images

Ética, bom senso ou obediência às leis de trânsito?

No trânsito, a regra básica é o bom senso

No trânsito, a regra básica é o bom senso

Alguns anos atrás eu li em uma campanha publicitária que “quem usa o bom senso obedece às leis”. Concordo com isso, pois obedecer às leis e regras de trânsito é mais do que usar bom senso, é uma obrigação!

Porém, pare e pense: por que muitos motoristas não param nos cruzamentos quando há um pedestre querendo atravessar, mas param quando um caminhão está cruzando a via? A resposta é óbvia, pois o acidente entre o carro e o caminhão causa (para o carro) um prejuízo muito maior! Portanto, o bom senso do condutor do automóvel é parar, mesmo se a lei de trânsito esteja a favor do motorista.

Mas parar para um pedestre atravessar…  Neste caso é melhor que o pedestre use de bom senso e deixe o carro passar. Opa! Então usar de bom senso é deixar a lei de trânsito de lado e tentar se salvar? Como o uso da ética ajudaria para fazer um trânsito mais justo e seguro? Para responder a essas perguntas veja as definições a seguir:

Ética é o nome geralmente dado ao ramo da filosofia dedicado aos assuntos morais. A palavra “ética” é derivada do grego ἠθικός, e significa aquilo que pertence ao ἦθος, ao caráter. (Yahoo Respostas).

Então, em termos práticos, ética no trânsito significa “o maior respeitar e cuidar do menor”. Ou seja, o caminhão cuida (ou respeita) do carro, o carro cuida (ou respeita) do motociclista, o motociclista cuida (ou respeita) do ciclista e o ciclista cuida (ou respeita) do pedestre. Dessa forma nem precisaríamos de leis para nos orientar, pois o simples fato de percebemos que o mais forte deve cuidar do mais fraco os acidentes diminuiriam muito!

Bom Senso vai muito além da capacidade de discernir o certo do errado. O bom senso esta diretamente ligado a capacidade intuitiva do ser humano de fazer a coisa certa, falar a coisa certa e pensar na coisa certa em momentos inusitados ou não. O Bom senso não envolve tanto uma reflexão aprofundada sobre um determinado tema, lugar ou situação (isso já entraria no campo da meditação), mas sim a capacidade de agir e interagir, obedecendo a certos parâmetros da normalidade, face uma situação qualquer, guiando-se por um senso comum e quase que completamente intuitivo. (Yahoo Respostas).

Não espere o acerto dos outros, defenda-se dos erros deles

Não espere o acerto dos outros, defenda-se dos erros deles

Sempre ensinei meu filho a atravessar na faixa de pedestres, porque assim, se ele fosse atropelado poderia morrer dentro das leis. Parece cômico, mas é trágico. Se você ensinar seu filho desta forma, mas esquecer de dizer a ele que antes de atravessar ele deve olhar e certificar-se de que os veículos vão parar, ele poderá ser atropelado. Isso significa que, infelizmente, em certos momentos na dinâmica do trânsito, a ética e a obediência às leis de trânsito devem ser deixadas de lado pois, mesmo que você esteja certo na lei, melhor usar o bom senso e não atravessar na frente de um veículo maior do que você.

Mas o que tem a ver esse artigo com você, motociclista? Em um trânsito tão caótico e violento como o que vivemos nas médias e grandes cidades, onde o “sentimento” da pressa é a maior culpada do stress humano e conseqüentemente dos acidentes, não existe nada que comanda ao condutor de qualquer tipo de veículo a usar de ética ou mesmo em obedecer às simples regras e leis de trânsito.

Sendo assim, não adianta ter a melhor técnica de pilotagem adquirida em cursos especializados na pilotagem de motos, pois o respeito e a ética praticamente não existem entre os usuários das vias. E mesmo sendo o motociclista um dos mais fracos no trânsito, a ética explicada aqui não é aplicada no comportamento humano. O exemplo disso é o aumento dos acidentes e mortes de ciclistas e pedestres. Leis a favor dos motociclistas existem algumas, como ‘USO OBRIGATÓRIO DO CAPACETE, VISEIRA SEMPRE FECHADA e ÓCULOS DE PROTEÇÃO; para os profissionais da moto, MATA CACHORRO, ANTENA CORTA LINHA DE PIPA e REFLETIVOS. Estas leis são para proteger o motociclista depois que o acidente ocorre (salvo a antena corta linha e refletivos).

Reconheça sua fragilidade; obedecer as leis não é suficiente para sua proteção

Reconheça sua fragilidade; obedecer somente as leis não é suficiente para sua proteção.

Porém, as leis que existem para impedirem possíveis acidentes como prevenção não são obedecidas por muitos tampouco fiscalizadas pelas autoridades. Um exemplo desse tipo de lei onde a preocupação é a prevenção está no artigo nº 29 do Código de Trânsito Brasileiro: indicar com antecedência a manobra pretendida, acionando a luz indicadora de direção do veículo ou por meio de gesto convencional de braço. Vendo estas atitudes e comportamentos no trânsito, quantas “fechadas” você levou de outros veículos esta semana por não obedecerem o artigo 29?

Tente se lembrar de alguma outra lei que, se obedecida, protegeria o piloto de moto contra possíveis acidentes. Talvez leis que obriguem às autoridades governamentais a manterem vias sem buracos e com sinalizações de solo pintados com tintas que não escorreguem; também leis que obriguem as moto-escolas a manterem instrutores responsáveis especializados na instrução de pilotagem de motos e leis que incentivem motoristas a respeitarem os motociclistas e vice-versa.

Amigos, estas leis existem (morais ou escritas) e alguém está desobedecendo ou mesmo não usando de ética! Assim, se a ética e as leis de trânsito são, em sua maioria, descartadas e não reconhecidas, o que protegerá o motociclista contra um possível acidente? É simplesmente usar de bom senso.

Inteligência é proteger a si mesmo e aos outros, é uma questão moral

Inteligência é proteger a si mesmo e aos outros, é uma questão moral

Bom senso para perceber que não é porque você está em uma via de sua preferência, onde a lei está ao seu favor e o semáforo está indicando “siga” fará isso sem cuidado. Bom senso para discernir que não é somente o capacete que protegerá de traumas em um acidente, mas roupas e calçados seguros.  Bom senso para entender que só porque a lei permite a velocidade máxima da via que a usará nos corredores formados por carros parados. Bom senso para saber que mesmo com um trânsito parado e congestionado a moto chegará sempre antes, por isso vá com calma. E para finalizar, bom senso para discernir os possíveis erros que os outros possam cometer no trânsito e que, portanto, mesmo que você esteja pilotando dentro das leis, quem deve evitar os acidentes é você.

Afinal, o uso do bom senso é saber que obedecemos as leis de trânsito não pelo motivo principal de evitar as multas, mas de evitar os acidentes. O uso da ética é uma questão moral e devemos entender que os mais fracos nas vias devem ser protegidos e dar primazia a eles e, claro, a junção de todas estas atitudes fará sem dúvida um trânsito mais seguro para todos.

Um forte abraço e até o próximo artigo.



Carlos Amaral

Carlos Amaral - Instrutor de pilotagem defensiva certificado pela Honda, instrutor de trânsito do Detran-SP na especialidade Direção Defensiva, palestrante da Porto Seguro Cia de Seguros Gerais, blogueiro e diretor operacional da Carlos Amaral Motorcycle Training