Foto: Bitenca

Frente solta, Tanque, Mãos dormentes, retífica

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Olá Bitenca, comprei uma moto 600 cilindradas zero km. Andei com ela 330km e senti muita trepidação e ouvi barulhos na sua parte dianteira. Ao compará-la com uma igual de um amigo, cheguei a conclusão de que a sua caixa de direção estava com uma grande folga. Dito e feito, na concessionária ajustaram a caixa e a moto ficou outra. Primeiro, é um absurdo uma moto zero km, não importa nem o valor, mas sim a condição de nova, vir com tal problema. Segundo, o fato de ter andado 330 km com ela folgada pode ter gerado algum dano para a moto. Obrigado. Simon, 39, Belo Horizonte, MG
R: Caro Simon, realmente não é bom usar a moto com folga na frente porque os rolamentos podem sofrer impactos que podem marcar a pista e fazer com que o movimento da direção fique com calo. Verifique se isso não ocorreu levantando a frente da moto de forma a deixar o guidon livre para ver se ele não para no centro como se tivesse uma preferência por essa posição. Se parar em qualquer posição não houve dano e pode-se usar normalmente. A concessionária deve ter feito essa verificação.
abraços,

Prezados da Motonline, qual a razão para que os fabricantes de motos adotem tanques de combustivel tão pequenos (12l á 14l)? E pra que serve esta tal taxa de compressão? como se sabe se ta bom ou não ta? E qual a razão destas motos custom usarem peneu tão grosso atraz e um tão fino na frente? isso não tira parte da aderencia na pista? Um abraço e votos de um ótimo 2009 para todos da Motonline, Ebnezer, 46, Brasília, DF.
R: Ebnezer, como o esquartejador maluco, vamos por partes nas respostas às boas perguntas que me fez:
1- O volume de combustível que as motos levam no tanque é determinado pela autonomia que a fábrica deseja que a moto tenha, levando em conta o tipo dela, cliente e consumo médio do motor, ou resumindo – pelo marketing.
2- A taxa de compressão é uma característica importante utilizada na engenharia do projeto de um motor. De acordo com a qualidade do combustível e outras características determinantes do projeto a taxa de compressão é determinada pela diferença de volumes internos do cilindro entre o momento em que se fecha a válvula de admissão (pistão em baixo – PMI) e o ponto morto superior (PMS) do ciclo da compressão, que se identifica como unidade 1. Assim a taxa de 13:1, por exemplo, determina que o volume de mistura comprimida em tal motor é 13 vezes o volume final da câmara de combustão. A taxa de compressão não se pode mudar sem que haja uma alteração das características das peças internas do motor mas está adequada a um determinado combustível se a explosão é bem controlada, isto é: dada uma boa ignição, todo ou a maior parte da mistura combustível admitida é queimada na combustão e não há auto detonação antes do disparo da ignição (batida de pino). Por isso a “octanagem” ou a qualidade anti-detonante do combustível deve ser adequada à taxa de compressão do dado motor; quanto maior a taxa de compressão, maior deve ser a característica anti-detonante (octanagem) do combustível para o perfeito controle da explosão.
3- A estética da moto custom é essa, tradição das choppers dos anos 60. As motos eram aliviadas e tinham os paralamas cortados (do termo “chopped fenders” ou “bob tailed”) para melhorar a relação peso – potência das motos nos EUA. Para manter a tração eles mantinham as rodas grandes atrás e punham rodas menores na frente, justamente para diminuir o peso total. Tradicionalmente essas motos eram modificadas (esticadas) visando mais o uso nas auto-estradas americanas que têm muitas retas (como no deserto da california) e portanto a distribuição de peso entre eixos não era primordial. Diferente da tradição européia que prima pelo equilíbrio da ciclística objetivando uma melhor maneabilidade do conjunto, então você tem razão em dizer que a aderência fica prejudicada. Não só pela diferença dos pneus mas também por toda a geometria do conjunto. São diferenças nas tradições culturais que no Brasil e no resto do mundo se refletem em diferentes nichos de mercado.
Abraços.

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Olá! Recentemente comprei uma XT660R 05/05 sendo que a mesma veio com um guidon de motocross e sem os contrapesos. A moto tem vibrado muito, mesmo depois da troca dos dois pneus, balanceamento e desempeno das rodas. Sei que o motor da XT gera muita vibração, mas em viagens tenho sentido dormência nas mãos com menos de 100Km rodados. Será que colocar o guidon original com os contrapesos vai ajudar ou somente a colocação de contrapesos já vai ajudar no meu problema? Parabéns pelo site e um feliz 2009 a todos! Vinícius, 27, Sabará MG
R: Obrigado Vinícius, a você também. Mãos dormentes é um dos pesadelos dos motociclistas. Elas podem ser maiores ou menores de acordo com a vibração transmitida às mãos. Em geral, por causa da mínima folga entre canopla do acelerador e guidon, a mão direita sofre mais, então mantenha bem lubrificada a canopla para amortecer a vibração. O problema pode ser minimizado muito mais pela troca das manoplas do que pelo tipo ou presença dos pesos do quidon (mas ajudam). Procure manoplas mais grossas e mais macias à pressão das mãos. Uma boa luva, com gel ou espuma na palma também ajuda a isolar a vibração. Abraços.

Preciso de uma ajuda. Tenho uma cb 450 e vou mexer no motor dela, gostaria de saber se o virabrequim da cb retificado fica b tão bom quanto o de um carro? Valeu. Eduardo, 28, Gravataí, RS
R: Sim, fica tão bom quanto um de carro, claro se for bem feito e se forem substituídas
as peças por outras da mesma qualidade. boa sorte,