Governo (ES) vai educar e fiscalizar condutores de motocicleta no interior

Mais de 370 mil motociclistas de todo o Estado serão o público-alvo da campanha -Motociclista, coloque em prática as leis de trânsito-, que o Governo do Estado lança, nesta quarta-feira (09).

As ações serão desenvolvidas pela Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop), por meio do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES), em parceria com as secretarias de Saúde (Sesa) e Segurança Pública (Sesp).

O anúncio foi feito em entrevista coletiva pelo governador Paulo Hartung, junto com o vice-governador e secretário de Transportes e Obras Públicas, Ricardo Ferraço; a diretora geral do Detran-ES, Luciene Becacici; e os secretários de Saúde, Anselmo Tozi, e Segurança Pública e Defesa Social, Rodney Miranda.

O governador Paulo Hartung afirmou que o lançamento da campanha representa mais um passo no sentido de conscientizar os condutores de maneira geral sobre a necessidade de se construir uma cultura de paz no trânsito. “Já estamos desenvolvendo campanhas educativas, na Grande Vitória e no interior, inclusive com a importante participação de voluntários, conscientizando motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres sobre a necessidade de obedecer às leis de trânsito”.

Hartung ressaltou que a nova campanha foi motivada, sobretudo, pelo significativo aumento da frota de motos, tanto na Região Metropolitana quanto no interior. O governador lembrou que o aumento da frota foi acompanhado do aumento dos acidentes. “Reverter essa grave situação requer a participação de todos. Queremos instituir uma prática civilizada de mobilidade. Para isso, o respeito às leis e ao próximo é fundamental”, pontuou.

“Essa ação tem como foco a valorização da vida. É um trabalho conjunto que queremos construir com a população no sentido de fortalecer valores sociais importantes para garantir a qualidade de vida de todos, na Grande Vitória e no interior do Estado. Os acidentes de trânsito, sobretudo os que envolvem motos, são os responsáveis por muitos casos que geram vítimas fatais e seqüelas graves para os acidentados. Essa campanha vai ressaltar que vale a pena valorizar e respeitar as leis de trânsito, que vale a pena ser responsável. Os órgãos do governo envolvidos nessa iniciativa vão garantir informação e condições para que os motociclistas e motoqueiros trafeguem dentro das normas estabelecidas na legislação”, destaca o vice-governador Ricardo Ferraço.

O objetivo da campanha, que tem caráter educativo e punitivo, é a prevenção de acidentes no trânsito envolvendo motocicletas. Dentre as outras metas da campanha estão: destacar a importância do respeito às leis de trânsito como forma de evitar acidentes; promover a harmonia entre os motoristas e os motociclistas; enfatizar o respeito e a preservação da vida, especialmente o respeito ao pedestre, ciclistas, idosos e crianças, favorecendo a redução do número de vítimas, tornando o motociclista protagonista na prevenção de acidentes; e, principalmente, tratar o trânsito, também, como uma questão de saúde pública.

As ações de educação ficarão a cargo do Detran-ES, enquanto a Secretaria de Segurança Pública, por meio da Polícia Militar, realizará operações de fiscalização e punição dos infratores.

De acordo com levantamento realizado pelo Detran-ES, a frota de motocicletas no Espírito Santo aumenta a cada ano. Os números impressionam: em 2004 eram aproximadamente 150 mil. Hoje, já somam mais de 260 mil, um crescimento de 173% em apenas quatro anos, sendo que, deste total, 185 mil motocicletas estão no interior.

A frota cadastrada no Estado do Espírito Santo, até 07 de julho 2008, era de 1.037.066 veículos, dentre os quais 264.350 são motocicletas, ou seja, 25,56% deste total.

Das 368 mil pessoas habilitadas para conduzir moto, aproximadamente 226 mil estão no interior do Estado. Isso representa 61% dos condutores deste tipo de veículo, que muitas vezes não utilizam equipamentos de segurança adequados, como capacete e calçados fechados.

A diretora-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES), Luciene Becacici, apresentou os números relacionados à frota de motocicletas no Estado e acidentes que envolvem o meio de transporte e disse que a principal causa destes acidentes está na não utilização dos equipamentos adequados de segurança. “O motociclista precisa reconhecer a importância dos equipamentos de uso obrigatório, como luvas, capacetes, calçados e roupas adequadas para a sua segurança”, alertou ela.

Luciene disse ainda que até setembro o Detran-ES, juntamente com seus parceiros, irá realizar ações intensivas de educação e fiscalização em 12 cidades do Estado que apresentam o maior número motocicletas. “Através desse esforço envolvente, com apoio do Governo do Estado, do Sindimotos e das clinicas credenciadas, nosso objetivo é alertar e fortalecer a questão da prevenção de acidentes envolvendo motocicletas”, ressaltou.

As abordagens se darão na forma de “pit stop” e organizadas em tendas, visando sempre o envolvimento da comunidade local.

Saúde – O secretário de Estado da Saúde, Anselmo Tozi, apresentou os custos sociais dos acidentes de trânsito no Estado e ressaltou que, no Hospital São Lucas (HSL), referência em traumas, a cada três internações por acidentes, duas são por acidentes de motos.

Os números de internações chegam a 540/mês, sendo que 50% são de vítimas de acidentes de trânsito. Vale destacar que 25% dos acidentados são motociclistas. “O número de óbitos por acidentes de trânsito no Estado, em 2006, foi de 912, sendo 194 por acidentes de moto; em 2007, foram 232 mortes por acidentes de motos de um total de 949″, destacou Tozi.

O gasto mensal do Hospital São Lucas com vítimas de acidentes chega a R$ 2,7 milhões, absorvendo 70% do custo total do mês. Cada paciente permanece internado, em média, durante 10 dias, gerando um gasto de aproximadamente R$ 8,4 mil por paciente nesse período de internação.

Os números de internações chegam a 540/mês, sendo que 50% são de vítimas de acidentes de trânsito. Vale destacar que 25% dos acidentados são motociclistas.

O Serviço de Atendimento Pré-hospitalar Móvel de Urgência (Samu) registrou, de janeiro a junho desse ano, nove casos de colisão entre moto e caminhão. Os números de colisão entre motos chegam a 28. Mas o maior número de acidentes ocorre entre carros e motos: 99 registros.