Juvenal Holanda (E) e Ricardo Carvalho (D) no ROTA CE. Foto: Ricardo Carvalho – Anonymous MG

ROTA CE – Contornando o Ceará em 4 dias

Juvenal Holanda (E) e Ricardo Carvalho (D) no ROTA CE (foto: Ricardo Carvalho – Anonymous MG)

Juvenal Holanda (E) e Ricardo Carvalho (D) no ROTA CE (foto: Ricardo Carvalho – Anonymous MG)

Perez Silveira, idealizador do ROTA CE e membro do Anonymous MG (foto: Ricardo Carvalho)

Perez Silveira, idealizador do ROTA CE e membro do Anonymous MG (foto: Ricardo Carvalho)

Um desafio vem fazendo a cabeça dos motociclistas cearenses: fazer a volta no estado margeando as suas fronteiras. O projeto chamado de ROTA CE foi idealizado pelo empresário motociclista, Perez Silveira, membro do Anonymous MG e tem como objetivo fazer com que os motociclistas cearenses conheçam o Ceará.

Para Perez Silveira, muitos irmãos saem daqui e vão rodar fora do estado sem antes conhecer as belezas do Ceará. Perez destaca que o Ceará é conhecido pelas suas praias e algumas serras, mas outra parte das suas incontáveis belezas está ainda desconhecida da maioria dos motociclistas cearenses.

O ROTA CE entrega aos participantes um patch bordado para ser afixado na jaqueta como registro de que aquele motociclista fez a rota. Para realizar o desafio é necessário antes ter o percurso aprovado pelo Perez. No final, o percurso é conferido juntamente com as fotos registradas para só então ser marcada a data para a entrega do patch (bordado) que sempre é feita durante a reunião administrativa dos Anonymous MG. Não há um prazo definido para fazer o ROTA CE. Você vai no seu tempo e na sua tocada, o que torna ainda mais agradável a viagem.

Uma custom e uma bigtrail: não importa a moto, todos podem fazer o ROTA CE

Uma custom e uma bigtrail: não importa a moto, todos podem fazer o ROTA CE

Acompanhamos uma edição do ROTA CE que foi realizado entre os dias 19 e 22 de junho de 2014 pelos irmãos do Anonymous MG Ricardo Carvalho e Juvenal Holanda, ambos empresários. Os dois percorreram em suas motocicletas o Estado do Ceará pelas margens. Para quem não sabe o Ceará é fechado por três grandes chapadas. Para sair do Estado é necessário, na maioria das vezes, passar por uma chapada. Para passar para o Piauí (oeste) precisa vencer a Chapada Serra Grande. Ao leste, no rumo do Rio Grande do Norte, precisa atravessar a Chapada do Apodi e por fim, para chegar a Pernambuco, ao Sul do Ceará, precisa subir e descer a Chapada do Araripe. O desafio é fazer a volta no Ceará margeando as suas fronteiras e quem foi volta encantado com o que viu. Ricardo e Juvenal conheceram a diversidade de paisagens e climas do estado bem como as fronteiras do Ceará com os outros estados. Um percurso que no total fica em torno de 2.070 km.

Passando por Jericoacoara e entrando no Ceará contornando pelas fronteiras (foto: Ricardo Carvalho)

Passando por Jericoacoara e entrando no Ceará contornando pelas fronteiras (foto: Ricardo Carvalho)

O primeiro ROTA CE foi realizado por Perez e seu filho Pepito e mais um amigo. Os feriados da Copa do Mundo foram a janela que permitiu aos dois empresários ganharem o mundo e realizar em quatro dias o ROTA CE. Confiram o relato de viagem e agende-se para descobrir ou redescobrir o Ceará de moto.

19 de Junho de 2014 – Primeiro Dia:

Clima de serra pela manhã, ótimo para refrescar do calor do dia anterior (foto: Ricardo carvalho - Anonymous MG)

Clima de serra pela manhã, ótimo para refrescar do calor do dia anterior (foto: Ricardo carvalho - Anonymous MG)

Com o apoio do Perez o “pai da rota” e dos amigos do Anonymous M.G, partimos em direção a Paraipaba pela CE 085 onde fomos escoltados para tomar café da manhã. De lá seguimos para o município de Granja onde almoçamos. O município nos surpreendeu pois era tudo bem cuidado e bonito. O calor forte nessa região fez com que preferíssemos ficar em cima da moto rodando já que o vento ajudava a refrescar.

Na Bica do Ipu (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

Na Bica do Ipu (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

De lá partimos para Viçosa do Ceará. A subida da Serra da Ibiapaba – a Serra Grande é cheia de curvas gostosas e uma paisagem de tirar o fôlego. Em Viçosa fomos até a Igreja do Céu para tirar algumas fotos, beber água e checar o mapa. De lá partimos por cima da Serra Grande passando por Tianguá, Ubajara, Ibiapina. Passamos por São Benedito e antes de chegar em Guaraciaba do Norte encontramos uma Pousada muito charmosa, cheia de verde e flores em Inhuçu. Resolvemos ficar ali, curtimos a piscina gelada e depois de jantar fomos dormir.

20 de Junho de 2014 – Segundo Dia:

Pela manhã nos deparamos com um clima serrano, neblina e muita natureza. Seguimos por Guaraciaba do Norte e começamos a descer a serra em direção ao Ipu. Muitos paredões rochosos chamavam nossa atenção até chegarmos na famosa Bica do Ipu, onde segundo o escritor José de Alencar, a índia Iracema tomava banho. Paramos em Crateús para visitar o pessoal da Honda Poty Motos. Rumamos para Tauá e almoçamos na Peixada do Sertão com os amigos Feitosa Filho e Sérgio Feitosa. Todos esses locais foram marcados com o adesivo do Anonymous M.G. Aproveitamos para dar uma checada nas motos, lubrificar e no caso da minha Harley foi necessário um ajuste no descanso lateral pois tinha empenado um pouco após encostar nas curvas fechadas da Serra de Ibiapaba. O detalhe que tal conserto não nos custou nada e a única exigência dos mecânicos foi dar uma volta nas motos!

Hora de voltar pra casa; na estrada aproveitando uma luz incrível de final de tarde (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

Hora de voltar pra casa; na estrada aproveitando uma luz incrível de final de tarde (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

Seguimos viagem para Campos Sales passando pela área de proteção ambiental da Chapada do Araripe. Lindas paisagens e muita natureza nos encantaram, mas não podíamos parar, pois já estávamos atrasados e precisávamos dormir em Juazeiro do Norte.  Nesse dia pegamos o trecho de Campos Sales a Juazeiro à noite e infelizmente não deu para apreciar a paisagem, no entanto percebi como o céu estava limpo e estrelado. Perfeito!

Chegamos à noite e nada de descanso. Amigos motociclistas locais nos levaram para jantar e tome conversa. Foi um momento agradável e ainda recebemos abrigo na casa do Marquinhos e Jeronimo Freire!!

21 de Junho de 2014 – Terceiro Dia:

Granja, Ceará; parada para almoçar (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

Granja, Ceará; parada para almoçar (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

Partimos cedo de Juazeiro do Norte, terra do Padre Cicero, na certeza que tínhamos que adiantar nossa viagem, pois marcamos com nossos amigos o reencontro para o café da manhã em Beberibe no quarto dia. Seguimos em direção a divisa entre Ceará e Pernambuco. Passamos pela Ferrovia Transnordestina e seguimos para Penaforte no Ceará. Na BR 116 encontramos o motociclista Carneiro dos Abutres de Mossoró (RN) viajando solitário retornando de São Paulo.

Em Juazeiro do Norte sob as bênçãos de Padre Cícero (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

Em Juazeiro do Norte sob as bênçãos de Padre Cícero (foto: Ricardo Carvalho, Anonymous MG)

Continuamos nossa jornada com objetivo de adiantar a viagem em direção a Pereiro. Chegamos ao trecho que fica entre Pereiro e Ererê e pudemos contemplar um dos mais bonitos pôr-do-sol que já vimos.

Ricardo, na hora de receber o patch das mãos da esposa, Poliana (foto: Luis Sucupira – Anonymous MG)

Ricardo, na hora de receber o patch das mãos da esposa, Poliana (foto: Luis Sucupira – Anonymous MG)

No trecho de serra chegamos a nos assustar com uma moto XRE 300 com dois caras em cima. Com medo de se tratar de assalto resolvemos enrolar o cabo e quanto mais andávamos, mais eles andavam atrás da gente fazendo curvas no limite das pedaleiras das motos. Ao pararmos, nossa surpresa –  os caras vieram cumprimentar agente e dizer que ‘nunca’ nenhuma moto tinha andado com eles de igual para igual nessas curvas. Segundo informaram, eles conheciam todas as curvas de cor, chegando ao ponto de andar sem farol à noite. Ficaram encantados com nossas motos, tiraram fotos e se despediram. Dormimos em Limoeiro do Norte.

Último dia – 22 de Junho de 2014:

Juvenal, na hora de receber o patch das mãos da esposa, Carla (foto: Luis Sucupira – Anonymous MG)

Juvenal, na hora de receber o patch das mãos da esposa, Carla (foto: Luis Sucupira – Anonymous MG)

Acordamos muito cedo, por volta das 5h00, arrumamos nossas coisas e fomos dar saída no hotel. O café da manhã não estava pronto ainda, mas, os funcionários do hotel foram gentis e conseguiram liberar um lanche. Algumas horas depois nos encontramos com os Anônymos em Beberibe e aqui sim, tomamos um ótimo café-da-manhã.

Sábado, dia 28 de junho, na homenagem realizada pela Harley-Davidson Fortaleza aos motoclubes foram entregues os patchs de Ricardo Carvalho e Juvenal Holanda. Para Juvenal Holanda, conhecer um dos mais belos estados do Brasil é obrigação de todo motociclista cearense. “Temos ótimas estradas e muitos lugares ainda desconhecidos da maioria das pessoas”, enfatiza. Segundo Ricardo Carvalho, pernambucano, “conhecer o Ceará de moto é uma experiência incrível e o ROTA CE da forma como é feito acaba te dando um curso completo sobre a Terra do Sol”, finaliza.



Motociclista desde os 18 anos. Jornalista e apaixonado por motos desde que nasceu.