destaque

Entenda e escolha o melhor pneu para sua motocicleta

Bom, chegou a hora de trocar o pneu de sua moto. Ah, antes ainda há uma questão importante: quando é a hora de trocar o pneu de motocicleta? Se você for parado numa blitz vai aprender do jeito mais difícil se um dos dois pneus estiver abaixo da marca de desgaste. Sua moto poderá até ser apreendida, dependendo do rigor que a autoridade no momento quiser aplicar. Claro, esta não é a principal razão para você trocar o pneu da sua moto. Você não quer abrir mão do desempenho tampouco da sua segurança, afinal, eles podem salvar sua vida. Então verifique a marcação (TWI) na banda de rodagem do pneu e faça a troca se ela estiver próxima de ser alcançada.

As principais marcações a serem verificadas no pneu; medidas, sentido de rotação e os indicadores da hora da troca (TWI)

As principais marcações a serem verificadas no pneu; medidas, sentido de rotação e os indicadores da hora da troca (TWI)

A sua moto veio de fábrica com o pneu escolhido por engenheiros especializados e eles sabem o que estão fazendo quando decidem qual pneu instalar na sua moto. Então você deve estar pensando que nós aqui no Motonline estamos querendo lhe dizer que o melhor pneu é o original da sua moto, não é? Não é exatamente isso que estamos dizendo, mas é importante você saber o quê as fábricas levam em consideração quando escolhem um pneu para equipar a moto que você vai comprar, além de saber que essa escolha atende aspectos que trazem maiores vantagens a eles, mas que muitas vezes podem não representar o que exatamente você deseja ou necessita.

Claro que eles decidem verificando as características da moto, seu ambiente de uso, o desempenho coerente com o tipo de uso, a durabilidade e até aspectos estéticos. Mas aspectos comerciais e econômicos também influem nessa decisão e muitas vezes, o que é bom para o fabricante não é bom para o consumidor. Há muitos exemplos de motos que vem de fábrica com pneus que não atendem de forma ideal as necessidades da moto e invariavelmente prejudicam seu desempenho, fazendo com que o piloto tenha que compensar essas deficiências se adequando às suas características. Estão aí as chamadas motocicletas “crossover”, aquelas que são vendidas com jeitão de trail e até bigtrail, mas que vem equipadas com pneus para asfalto e se você decidir encarar uma estradinha de terra com elas, adapte-se, para não dizer uma palavra feia.pneus_inscricao

O fato é que para cada moto, para cada tipo de uso há um pneu ideal. Os fabricantes a cada lançamento, oferecem uma nova opção, em geral com alguma qualidade a mais. Essas conquistas são informadas através da imprensa especializada e invariavelmente estão bem explicadas no website do fabricante (do pneu). Raramente há uma característica mentirosa nesses sites, porém deve-se ficar atento a exageros e às frases feitas utilizadas pelo marketing do produto. “Performance superior na chuva“, “Durabilidade 50% maior” ou “Melhores frenagens” são alguns “chavões” que se encontra por aí e que absolutamente não traduzem com exatidão a realidade. Portanto, não significa que você possa fazer curvas como o Mark Márquez sob chuva, nem que seu pneu vai durar 50 mil quilômetros ou que você vai frear em muito menor espaço na hora da emergência.

Observar as opções para o mesmo tipo de moto: cada modelo de pneu é mais adequado a um tipo de uso específico

Observar as opções para o mesmo tipo de moto: cada modelo de pneu é mais adequado a um tipo de uso específico

Para ficar mais fácil para você, listamos alguns aspectos que devem ser levados em conta quando for a hora de decidir pela troca do pneu.

Cuidados com o pneu de motocicleta

Entenda as marcações no seu pneu, há três tipos

Entenda as marcações no seu pneu, há três tipos

Use sempre pneus compatíveis, na dianteira e traseira. O uso de marca ou modelos diferentes pode tornar sua moto instável e comprometer a ciclística se o par não foi feito para trabalharem juntos. Evite o uso de pneus de modelos diferentes na mesma moto.

Desempenho ou economia? O que é mais importante para você? Esteja certo do que procura para sua moto. Se sua condução for mais esportiva, procure performance. Se sua pilotagem for mais tranquila,  priorize a durabilidade. Procure nos catálogos os pneus com essa característica.

Escolha uma marca que possa lhe oferecer qualidade e garantia, que comprovadamente utilize material de primeira linha para não ter surpresas desagradáveis. Infelizmente há inúmeros relatos de uso de pneus de qualidade inferior que resultaram em acidentes ou mesmo prejuízos ao bolso, com durabilidade reduzida e desempenho abaixo do esperado. Os grandes fabricantes detém a tecnologia fruto das pesquisas avançadas nessa área e dominam o mercado. Os pequenos fabricantes acabam explorando pequenas fatias do mercado e muitas das vezes buscam atuar em nichos. Essa é uma realidade que nenhum de nós pode ignorar para nossa própria segurança.

Remold não

Claro, não vamos nem nos ater ao assunto dos pneus remoldados. Como já mencionamos aqui no Motonline várias vezes, os pneus remoldados ou recauchutados para motocicletas não poderiam nem ser fabricados, quanto mais utilizados em motocicletas. Mas infelizmente não é essa a realidade. Basta fazer uma busca na internet e você vai encontrar várias ofertas de pneus remold para moto. Pneus reciclados podem ser utilizados com segurança em caminhões, sob certas circunstâncias e você já viu restos de pneus de caminhão espalhados pela pista, inclusive oferecendo risco a nós motociclistas. Em motocicletas chega a ser imoral esse tipo de produto. Nem pense em colocar pneus remoldados na sua moto. Além de muito perigosos, eles são proibidos por lei.pneus_tabela-velocidade

Verificar a pressão

Verifique a pressão dos pneus uma vez por semana ou antes de viajar e use sempre um calibrador confiável. Ter o seu próprio na sua bolsa de ferramentas é uma boa ideia. A medição deve ser feita com os pneus frios e significa não rodar mais do que 3 km em velocidade moderada. A pressão aumenta conforme o pneu esquenta e a medição se mostrará incorreta. Se você calibrar um pneu quente pode fazer com que a pressão fique abaixo do ideal e as consequências do uso com pressão baixa não serão evitadas. Perdas na faixa de 2 libras por mês são admissíveis nos pneus sem câmara, mas se a queda for maior do que isso, pode haver vazamentos na válvula ou na junção do pneu com o aro. Procure um borracheiro para verificar e corrigir isso. O uso das tampas é indispensável.pneus_tubeless-tubetype

Mantenha sempre a pressão dos pneus conforme indicado no manual da sua motocicleta. Essa é uma questão importante para segurança e durabilidade. Atente ao fato de que a pressão dos pneus pode ser diferente de acordo com a carga que se leva na moto. Pressão abaixo do especificado pode ser perigoso, os pneus vão esquentar e podem falhar prematuramente, entre outras consequências como direção imprecisa, dificuldade nas curvas, redução da durabilidade do pneu, aumento do consumo de combustível, causa trincas na carcaça do pneu, desconforto e maior dificuldade na frenagem.

Excesso de pressão também pode ser perigoso porque os pneus ficam mais sujeitos a cortes, furos ou quebra da sua estrutura interna quando submetidos a grandes impactos. Não exceda a pressão indicada pelo fabricante e consulte o manual da sua moto para saber a faixa de pressão correta. Ao adicionar ou aliviar carga na moto acompanhe essa variação junto com a pressão, mas sempre dentro da margem indicada no manual da sua moto.

Válvulas e câmaras de ar

Válvulas velhas devem ser substituídas por novas para evitar vazamentos. Faça a troca junto com a substituição dos pneus. A tampa serve para manter a válvula livre de poeira e umidade e deve ser sempre utilizada e apertada com a mão. Se o seu pneu requer o uso de câmara de ar, troque-a sempre junto com o pneu e tenha certeza de que é do tamanho correto. Com o tempo elas se esticam e perdem a elasticidade, as paredes da borracha se tornam muito finas e sujeitas a falhas quando submetidas à pressão. Isso ocorre também em câmaras novas se forem menores do que o tamanho correto.

Se forem maiores, podem ocorrer dobras que prejudicam o balanceamento e provocam cortes na câmara. Se a roda de sua moto for raiada, verifique a banda de segurança que cobre os raios. Se ela estiver rompida ou fina demais pode falhar quando submetida à pressão e provocar furos na câmara se um raio ultrapassar a camada protetora. Lembre-se que normalmente as rodas raiadas utilizam câmaras de ar.

Pneus correspondentes na frente e atrás

Tabela de conversão para a carga de cada pneu

Tabela de conversão para a carga de cada pneu

Ao contrário dos carros, que usam pneus de desenho e tamanho iguais em todas as rodas, a maioria das motos utilizam pneus de medidas diferentes na dianteira e na traseira e muitas vezes com desenhos diferentes também. Pode parecer um dica idiota, mas preste atenção para não inverter os pneus e colocar na frente o traseiro e vice-versa. Lembre-se que as rodas podem ter o mesmo tamanho (raio e largura) e essa troca pode acontecer. Outra inversão importante que não pode acontecer é montar o pneu na roda no sentido invertido em relação à rotação da roda da moto. Siga a seta que está na lateral dos pneus indicando o sentido de rotação da roda.

Evite combinar um pneu gasto com um pneu novo, situação bem comum em motos grandes, onde o pneu traseiro normalmente acaba bem antes do dianteiro em função do grande torque aplicado na roda que traciona – a traseira. A combinação de pneu bom com pneu “meia-vida” permite a você rodar um pouco mais com o pneu dianteiro, mas o ideal é trocar ambos sempre, pois mesmo nessa condição, essa mistura pode causar instabilidade. Consulte sempre o manual do proprietário quando for trocar os pneus da sua moto por outros, de medidas diferentes dos originais para não ter problemas. O ideal é consultar o fabricante da moto.

Período perigoso

Pneus novos só atingem a performance esperada depois de rodar uma distância de 150 km aproximadamente. O cuidado nas curvas, frenagens e em aceleração deve ser redobrado nesse período. Evite acelerações e frenagens fortes, além de curvas rápidas nesse período de amaciamento dos pneus. A banda de rodagem vem com uma camada de desmoldante que é usado no processo de fabricação, para extração do molde e essa camada deve ser desgastada antes que o pneu ofereça o resultado esperado em termos de tração e aderência.

Sobrecarga

Excesso de carga é perigoso para os pneus, assim como para outros componentes da sua moto, notadamente a suspensão e transmissão. Evite a sobrecarga por muito tempo, pois pode comprometer a vida dos pneus. Verifique na tabela o índice de carga, conforme o código impresso na lateral do pneu e compare-o com o peso máximo indicado para sua motocicleta no manual do proprietário. Assuma o menor valor desses dois. Será essa a carga máxima admitida para sua motocicleta, incluindo-se todos os acessórios.

Profundidade dos sulcos e danos nos pneus

Faça a escolha certa, na hora certa para não colocar em risco a sua segurança

Faça a escolha certa, na hora certa para não colocar em risco a sua segurança

Fique atento quando fizer uma verificação dos pneus. Grandes cortes, descolamentos da banda de rodagem, furos mal reparados e desgaste excessivo em alguma parte do pneu indica dano e requer a inspeção de um especialista para identificar o problema. Ao verificar uma possível avaria do seu pneu, depois de passar por algum objeto crítico. O pneu pode não apresentar um dano visível e somente após um período de uso é que pode apresentar problema, inclusive risco e isso pode ocorrer dias, meses ou até anos depois.

Verifique a profundidade do sulco dos pneus da sua moto regularmente. Quando estiver próximo do TWI (Tread Worn Indicator – Indicador de Desgaste) faça a troca do pneu. Para fazer isso, meça a profundidade do sulco, a partir da banda de rodagem até o fundo do sulco, na posição do ressalto do TWI. Essa dimensão deve estar acima de o,8 mm e se a medição for menor do que isso, o pneu está desgastado e a troca deve ser imediata. Evidentemente que o desgaste excessivo em apenas um local da banda de rodagem e lonas à mostra são outras indicações de pneu desgastado e que requer troca. Se há um desgaste excessivo em apenas um área específica do pneu, isso é resultado de algum outro problema grave na motocicleta e então a moto deve ser inspecionada por um mecânico competente. Aros amassados ou trincados também devem ser reparados e, se possível, substituídos.

Limpeza e conservação

Não utilize óleo, graxa, gasolina ou mesmo aquele produto que deixa o pneu “pretinho” e com brilho. Esses produtos contém elementos químicos abrasivos e corrosivos e, com o tempo, podem deteriorar a borracha. Limpe os pneus apenas com água e sabão neutro. Esses produtos podem ainda escorrer para a banda de rodagem e tornar perigosa a pilotagem. Fique atento também à data de fabricação do pneus de sua moto. Pneu tem vencimento sim senhor. A borracha, após um período de cinco anos se torna mais dura, mais quebradiça e menos aderente para uso intenso. Evite comprar pneus com data de fabricação impressa nas laterais superiores a esse período.

Enfim, a qualidade na construção do pneu não é uma opção, é uma necessidade que você não pode abrir mão. fique atento aos pneus de sua moto, não compre pneus remoldados (recauchutados) e siga as dicas para conservar o pneu da sua moto e rodar sempre com total segurança. Avalie suas necessidades quando for escolher a sua próxima compra e não se esqueça, acompanhe o desgaste para não ultrapassar o ponto de troca, indicado pelo TWI.

separador-pneus



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.