kawasaki-z-400-2019-motonline-1

Kawasaki Z 400 e W800 – o que pode estar vindo ao Brasil

Nós já falamos aqui algumas vezes sobre a agressividade (no bom sentido) da Kawasaki no mercado nacional, afinal, a japonesa mostra esforços para manter o Brasil atualizado com seus principais lançamentos globais. Foi assim com a Z900 RS, por exemplo, exibida ao mundo em outubro de 2017 e apresentada no Brasil já no mês seguinte. Mas e quanto a outras novidades, como a naked média Z 400 e a clássica W800, será que desembarcam aqui? Nossa aposta é sim e não, respectivamente.

A Kawasaki ainda não se pronunciou oficialmente sobre lançar a Z 400 no Brasil, mas acreditamos que logo o modelo de 48 cv chegará por aqui - a um preço competitivo, cremos

A Kawasaki ainda não se pronunciou oficialmente sobre lançar a Z 400 no Brasil, mas acreditamos que logo o modelo de 48 cv chegará por aqui – a um preço competitivo, cremos

* LEIA, TAMBÉM *
– Teste Kawasaki Z900 RS: uma clássica esportiva
– Kawasaki apresenta Z400 no Salão de Milão
– Ninja 400 promete uma nova era na categoria (com vídeo e ficha técnica)
– Ana Carrasco e Ninja 400 conquistam o Mundial de 300cc

Kawasaki Z 400 no Brasil

Como já acontecia com a antecessora de 300 cm³, a Z 400 divide a mesma plataforma da irmã carenada, no seu caso a divertida (e rápidaNinja 400. Outro fator comum entre as novas naked e esportiva é o fato de que representam um salto de tecnologia e desempenho em relação às suas gerações anteriores – e é justamente isto que pode dar nova vida às vendas da naked verde no Brasil.

A Z400 promete fazer sucesso se vier ao nosso mercado – o que nos faz acreditar que em breve será lançada aqui. É mais leve (173kg para 167 kg, em ordem de marcha), potente (48 cv e 3,9 kgf.m de torque ante os 39 cv e 2,8 kgf.m) e ágil (com novo chassi e embreagem deslizante mais leve) que a Z300. Também tem iluminação em LED, freios ABS (com discos de 310 mm e 220 mm atrás) e o painel digital da Z650. Saiba tudo sobre a Z400 aqui.

Claro que a Z300 é uma moto repleta de qualidades (relembre nosso teste), mas sofreu com o lançamento de concorrentes e suas vendas caíram à medida que as da Yamaha MT03, por exemplo, cresceram quase 50%. Isso talvez porque faltava um pouco de vigor à Kawasaki, algo que será suprido pela Z400 – assim como ocorreu com a evolução da Ninja 300 para a 400.

EMPLACAMENTOS NAKED ‘PREMIUM’ – 300 A 500 CM³

Kawasaki Z 300 Yamaha MT03 Honda CB500 KTM 390 DUKE
2015 713
2016 1.239 4.519 3.255 308
2017 1.032 6.672 3.523 280
2018 714 6.732 6.005 386
Total 3.698 17.923 12.783 974

W800 é hipótese descartada

Sobre a W800 temos um posicionamento oficial da Kawasaki – e a resposta é não. A marca reconhece a importância do crescente segmento das clássicas, mas enfatiza que permanecerá representada nele com a Z900 RS e Z900 RS Café, apenas. Também aproveitou o contato para lembrar que fez outros importantes lançamentos no Brasil em 2018, com a chegada de Ninja 400 e Vulcan S.

Com visual de clássica inglesa, W800 não está nos planos da marca para o Brasil - infelizmente

Com visual de clássica inglesa, W800 não está nos planos da marca para o Brasil – infelizmente

Já para 2019, a Kawa afirmou em nota que “a meta oficial é crescer 10%, porém somos uma empresa que adora desafios e vamos novamente trabalhar forte pra conseguirmos superar essa meta. Para isso continuamos com uma política comercial agressiva, com diferentes ações a cada mês, e vamos ter outros lançamentos significantes” – por exemplo o da Z400, imaginamos. Vamos aguardar.

 

separador_kawasaki

 



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de viagens, competições, do Hugh Jackman e de praias. Viciado em café desde quando comecei a escrever