test-nova-africa-twin-motonline-3

Test-ride Africa Twin 2020: a big mais trail

Desde seu lançamento no Brasil, em 2016, a Honda CRF 1000L Africa Twin se mostrou uma bigtrail versátil, capaz de encarar com louvor qualquer aventura. Esguia, confiável, ágil. Mas isso tudo nós já sabemos sobre ela. Agora queremos colocar à prova as novidades da versão 2020, que recebeu recursos eletrônicos e ‘mimos’ para favorecer o uso em viagens. Será o suficiente para fazer as vendas do modelo melhorarem aqui no mercado brasileiro?

Nova Honda Africa Twin 2020 mantém a base mecânica da geração anterior e ganhou upgrade tecnológico

Nova Honda Africa Twin 2020 mantém a base mecânica da geração anterior e ganhou upgrade tecnológico

Uma breve apresentação

A Africa Twin 2020 possui duas versões, standard e Adventure Sports. Ambas têm novidades em relação a geração anterior, como os quatro modos de pilotagem (com diferentes níveis de entrega de potência, torque, freio motor e controle de tração – HSTC), dois níveis de altura do assento, acelerador eletrônico TBW e sete níveis de controle de tração – incluindo o desligado.

Concebida para ser um sinônimo de versatilidade, o modelo se sai bem tanto no asfalto quanto na terra; o limite quem dá é o piloto

Concebida para ser um sinônimo de versatilidade, o modelo se sai bem tanto no asfalto quanto na terra; o limite quem dá é o piloto

A Adventure Sports traz alguns recursos a mais, visando proporcionar mais conforto e proteção aerodinâmica. Suspensões com 20 mm a mais na dianteira e traseira (totalizando 252 mm e 240 mm de curso, respectivamente), manoplas aquecidas, assento plano, parabrisa maior, tanque de combustível de 24,2 litros (ante 18,8 da outra versão) e pintura exclusiva. Ambas também podem sair da concessionária com cavalete central, malas laterais, proteções tubulares e top case – configurando o kit Travel Edition. Os preços são:

  • CRF 1000L Africa Twin: R$ 57.990
  • CRF 1000L Afica Twin Travel Edition: R$ 66.990
  • CRF 1000L Africa Twin Adventure Sports: R$ 64.990
  • CRF 1000L Africa Twin Adventure Sports Travel Edition: R$ 69.990

Nova Africa Twin 2020 – Test Ride

Rodamos por cerca de 200 quilômetros nos arredores de Cuiabá (MT), em meio ao cerrado. O roteiro incluiu uma (para mim, deliciosa) passagem por um trecho de aproximadamente 30 quilômetros de muita areia e terra em torno da Chapada dos Guimarães, além de asfalto e um off road mais moderado, todos cenários que uma bigtrail deve estar pronta para encarar.

Identidade visual

Identidade visual

Os dois faróis são uma marca da Africa Twin e o conjunto de iluminação é full LED

Suspensões ajustáveis na frente...

Suspensões ajustáveis na frente...

Com três ajustes, feitos manualmente

... e atrás

... e atrás

Com seleções de fácil acesso

ABS comutável

ABS comutável

Freio ABS sobra. Opção de desligar o sistema na roda traseira ajuda no off-road

Painel de instrumentos

Painel de instrumentos

Completo, mas sem TFT, cores ou opções de personalização

Alta, mas nem tanto

Alta, mas nem tanto

A altura do assento é ajustável, democratizando o controle da Africa Twin

Na prática, o avanço tecnológico deixou a moto mais segura. O controle de tração é muito eficiente na missão de evitar a derrapagem da roda traseira, o que pode ser vital em situações adversas como a condução em asfalto molhado. O ABS também merece destaque, com acionamento suave e respeitosamente eficiente. É importante mencionar, apesar de não fazer grande diferença, que esta nova versão perdeu 6 cv em relação à versão européia em função da nossa legislação de emissão de ruídos. Em relação ao modelo anterior, a perda é de 2 cv.africatwin_geometria

Outros recursos também ajudam, como o banco com regulagem de altura, que pode tornar os 870 mm (920 mm na Adventure Sports) mais confortáveis aos pilotos de menor estatura, e o grande tanque de combustível da versão Adventure. Mesmo com mais de 24 litros de capacidade, ele não apresenta nenhum desconforto ao piloto – mesmo na hora de pilotar em pé sobre as pedaleiras.

Adventure Sports

Adventure Sports

Modelo tem pintura exclusiva

Adventure Sports

Adventure Sports

Tanque com capacidade para 24,2 litros não atrapalha a pilotagem

Adventure Sports

Adventure Sports

Banco reto é mais confortável que o da Standard - mas não o suficiente para longas viagens sem dores lombares

Adventure Sports

Adventure Sports

LED na frente e atrás. Note o bagageiro exclusivo dessa versão

A atuação do freio motor também faz diferença, especialmente na terra, variando entre ‘tirar a mão do acelerador e sentir a moto correr como se estivesse no neutro’ para ‘soltar a mão e sentir a moto freando, lhe segurando para atrás’. Já os três níveis de entrega de potência, também configuráveis através dos modos de pilotagem, não são perceptíveis na mesma intensidade.

Na terra é um brinquedão

Alta, esguia e com um ciclística agressiva, a Africa Twin é muito maleável na terra. Passa ao piloto a sensação de estar sobre uma moto de menor cilindrada – o que é ótimo neste caso. O motor tem entrega linear de potência, sem sustos, e o torque chega desde as baixas rotações, reduzindo a necessidade de trocas de marchas.

Na terra é a mesma Africa que já conhecemos - mas beneficiada pelos ajustes de freio motor. Esguia, alta, totalmente maleável como uma moto de menor cilindrada

Na terra é a mesma Africa que já conhecemos – mas beneficiada pelos ajustes de freio motor. Esguia, alta, totalmente maleável como uma moto de menor cilindrada

Já a posição das pedaleiras, tanque e guidão favorecem a pilotagem em pé, o que aumenta o controle sobre a motocicleta. Então basta desligar o controle de tração e o ABS (na roda traseira, apenas), manter o freio motor no nível máximo e começar a diversão. Em poucos minutos você esquecerá que está com uma moto de 999 cm³ e pouco mais de 200 kg e vai se divertir como se estivesse num modelo off-road.

Posição favorece a pilotagem de pé. Motor é o mesmo da geração anterior, com 88,9 cv a 7.500 rpm e torque de 9,5 kgf.m a 6.000 rpm. Não empolga, mas é suficiente para dentro e fora da estrada

Posição favorece a pilotagem de pé. Motor é o mesmo da geração anterior, com 88,9 cv a 7.500 rpm e torque de 9,5 kgf.m a 6.000 rpm. Não empolga, mas é suficiente para dentro e fora da estrada

No asfalto, o porém

A pergunta é: quem compra uma bigtrail de mil cilindradas irá percorrer mais quilômetros em estradas de terra, com buracos e areia, ou no asfalto, cruzando estados brasileiros e países do Mercosul? Quem optar pela segunda opção ainda sentirá a ausência de itens de conforto – presentes na maioria das concorrentes.

Parabrisa com regulagem de altura (o da Honda Africa Twin é fixo), o que permite ao piloto ajuste de acordo com a estatura para evitar turbulência no capacete, controle de velocidade de cruzeiro, pneus sem câmara, painel de instrumentos TFT colorido e assentos aquecidos estão na lista de componentes que podem fazer falta na hora de encarar uma viagem de várias horas sobre a motocicleta.

O modelo foi pensado para longas viagens... e aí itens como parabrisa ajustável, cruise control, painel personalizável e bancos aquecidos farão falta aos mais exigentes

O modelo foi pensado para longas viagens… e aí itens como parabrisa ajustável, cruise control, painel personalizável e bancos aquecidos farão falta aos mais exigentes

O preço

Este foi o calcanhar de Aquiles da Africa Twin quando chegou no Brasil em 2016 – menos eletrônica que hoje e extravagantes R$64.900 – , o que acabou repelindo compradores e difamando as qualidades técnicas do modelo. Agora ela tem um preço mais condizente com o mercado e as concorrentes, mas terá de agradar um público seleto, exigente, que faz questão de ter à disposição todos os recursos que podem fazer sua viagem mais confortável e segura. Os executivos da Honda falam em vender entre 100 e 150 unidades por mês. A conferir.

vinheta-instagram_9



Guilherme Augusto

@obomguiaugusto >> Amante de motos em todas suas formas e sons (se for de 2T, melhor). Fã de viagens, competições, do Hugh Jackman e de praias. Viciado em café desde quando comecei a escrever