Foto: Claudio Rosa comanda a revolução.

Após faxina, Kasinski muda tudo para crescer

Foto: Claudio Rosa comanda a revolução.

Foto: Claudio Rosa comanda a revolução.

Um salto de crescimento superior a 10 vezes o seu volume de vendas atual. Este é o resultado que a Kasinski espera conquistar nos próximos anos. Pela exposição que o principal executivo da marca, Claudio Rosa Jr., fez aos concessionários na semana passada em São Paulo (SP), para alcançar essa meta a empresa precisará de muito investimento e aposta em uma completa revolução.

Há dez meses sob a gestão da CR Zongshen do Brasil, holding nacional do Grupo Zongshen, a Kasinski está no meio deste processo de reforma. “A primeira parte foi a faxina da linha de produtos”, explica Rosa, referindo-se a qualidade e quantidade de modelos que estavam em linha. “Sabemos que sem um nível mínimo de qualidade nos produtos não conseguiremos avançar”, justifica.

O portfólio de produtos Kasinski vai de 110 a 650 cm³ de cilindrada: cub Win 110, scooters Prima 150 e Prima Electra, street Comet 150 e Comet GT 250 EFI, custom Mirage 150, Mirage 250 EFI e Mirage 650 EFI, on-off road CRZ 150 e CRZ 150 SM e as esportivas Comet GT 250R EFI e Comet GT 650R EFI. “Até dezembro de 2010 mais três produtos completarão nosso portfólio e aí atuaremos em praticamente 100% dos segmentos do mercado brasileiro”, fala Rosa.

Foto: Divulgação Kasinski / O scooter Prima 150 com o layout da Renaut F1

Foto: Divulgação Kasinski / O scooter Prima 150 com o layout da Renaut F1

Além dos produtos, a Kasinski também muda sua base operacional em Manaus (AM). No início de agosto a empresa inaugura uma fábrica com capacidade instalada para produzir 110 mil motos/ano. “Esta ainda não é definitiva”, explica Rosa. “Em 2010 iniciaremos a construção de nossa fábrica em área própria também em Manaus (AM), com planos para entrar em operação em 2012”, prevê. “Junto com esta fábrica virão também fornecedores da Zongshen que se instalarão em Manaus para serem nossos fornecedores”, fala.

A capacidade produtiva da nova fábrica será de 180 mil motocicletas/ano, mas o volume de vendas pretendido não é informado. Contudo, Claudio Rosa justifica a necessidade de ter esta capacidade instalada com a competitividade de mercado brasileiro. “Precisamos ter capacidade para produzir uma ampla gama de produtos simultaneamente e agilidade para mudar rapidamente quando necessário, pois a competitividade do mercado brasileiro exige e isso só é possível quando você tem grande capacidade instalada na fábrica“, explica. A Kasinski também apresentou uma parceria com a Renault F1 Team que prevê a produção e a comercialização de cem unidades do scooter Prima 150 e outras cem do modelo esportivo Comet GT 650R com o layout do time de F1 da Renault.