Aragon vence prémio anual IRTA de “Melhor Grande Prémio” à primeira

Aragon vence prémio anual IRTA de “Melhor Grande Prémio” à primeira

Aragon vence prémio anual IRTA de “Melhor Grande Prémio” à primeira

Nunca na história do prestigiado prémio IRTA “Melhor Grande Prémio” um circuito recebeu tal honra na época de estreia, até este ano. O prémio IRTA “Melhor Grande Prémio” 2010 foi atribuído ao MotorLand Aragón, o moderno circuito que ultrapassou obstáculos intimidantes como prova de substituição para triunfar num calendário repleto de traçados de elevada qualidade a nível mundial.
Aragon vence prémio anual IRTA de “Melhor Grande Prémio” à primeira

O exigente circuito, em conjunto com as excelentes instalações para as equipas, a cooperação e forma acolhedora como todos foram recebidos, bem como o grande agrado obtido junto dos pilotos, fez do Gran Premio A-Style de Aragón 2010 o claro favorito para o galardão de corrida do ano.

Ao vencer o prémio, o MotorLand Aragón junta-se a Jerez, Catalunha, e Valência como os quatro traçados espanhóis a atingirem esta honra. O país que nos deu os Campeões do Mundo e vice-Campeões das três categorias lidera com nove traçados vencedores ao longo dos 27 de história do galardão. O facto do MotorLand Aragón ter ganho logo à primeira é bom testemunho do extraordinário trabalho levado a cabo pelo comité de organização liderado por José Angel Biel, Presidente do Circuito MotorLand Aragón.

Enquanto a maior parte dos circuitos sabe com um ano de antecedência se vai, ou não, fazer parte do calendário de Grandes Prémios, o MotorLand Aragón teve metade do tempo. A pista, que foi a primeira de reserva, entrou para o calendário a 18 de Março, apenas seis meses antes da corrida de 19 de Setembro.

Assim que foi dada a luz verde a direcção do circuito começou de imediato os preparativos para receber o mais prestigiado Campeonato do Mundo, garantindo que quando as equipas, pilotos e espectadores chegassem ao traçado de Alcañiz seriam bem tratados.

Localizado 200 Km a Sudoeste de Barcelona, o circuito, construído com o apoio das autoridades locais, foi desenhado por Hermann Tilke. Houve também a contribuição da prestigiada empresa britânica de arquitectura Foster + Partners no que toca ao desenho da futura área de Laser e Cultura. A terceira área é um parque tecnológico (TechnoPark). O resultado final é um complexo de desportos motorizados multi-usos que tem como pilares base a tecnologia, desporto e laser e cultura.

Ao longo dos 5,077km da pista há uma combinação de 17 curvas de velocidade variada, bem como diferenças de elevação. Devido à proibição de testes de MotoGP, nenhum piloto da categoria rainha teve como testar os seus protótipos no traçado antes da corrida. Mas foram autorizados a rodar com outras montadas, situação da qual muitos pilotos tiraram partido.

O Campeão do Mundo Jorge Lorenzo, da Fiat Yamaha, disse: “Gosto mesmo desta pista. É muito divertida de pilotar e muito diferente, um desafio novo. É interessante rodar aqui com a M1 depois de o ter feito numa R1.” Juntem-se as declarações de Nicky Hayden depois de ter sido segundo na qualificação: “Penso que construíram uma pista de que se podem orgulhar. As instalações são boas, o desenho é bom e seguro. Tem algumas secções divertidas, com entradas cegas, algumas curvas rápidas e outras lentas… é uma boa mistura.”

Apesar da pista ser ultra-moderna, tem as suas raízes no passado. O Circuito Citadino de Alcañiz recebeu o primeiro GP Cidade de Alcañiz em Setembro de 1965, com as corridas a serem disputadas até 2003. Com os carros a tornarem-se mais potentes e as velocidades a aumentarem, tornou-se cada vez mais difícil organizar um evento seguro. Com o aproximar do milénio foi criado um plano para construir um complexo de desportos motorizados. O MotorLand Aragón é uma empresa pública criada em 2011 como “Motor City de Aragón”.

O Presidente da IRTA, Herve Poncharal, notou o rápido trabalho de preparação do circuito para o Grande Prémio no anúncio do galardão. “Este é um ano muito especial para o prémio. Tivemos o prazer de honrar muitas grandes pistas, mas nenhuma delas no seu primeiro ano. E nenhuma que tenha tido apenas seis meses para organizar o seu primeiro Grande Prémio. O facto de o terem conseguido é impressionante e histórico; é a primeira pista na história a receber o galardão à primeira tentativa.”

“Como todos sabem, os fãs espanhóis do motociclismo são únicos. Havia alguma preocupação quanto a uma quarta corrida em Espanha, se seria um problema, mas não foi o caso. A corrida contou com muito público, mais de 70.000, que foi recebido numas instalações que são muito mais que uma pista. É justo que se junte a Jerez, Catalunha e Valência como vencedor do prémio.”

“Ao ganharem no ano de estreia estabeleceram uma fasquia que não será fácil de igualar. Como é que se melhora quando se é eleito o melhor? Contudo, acredito que isso não será um problema. O José Angel Biel, Presidente do MotorLand Aragón, e o seu pessoal trabalharam de forma incansável durante seis meses para fazerem da corrida o sucesso que foi e no dia após a corrida começaram a preparar 2011, ano em que têm lugar garantido no calendário.”