Brasileiros informados se dividem entre os perfis datalimits, dataholics e dataspecialists

Pesquisa da Giovanni+Draftfcb identifica as diferenças dos consumidores de notícias

Como as pessoas recebem informações num mundo em que a velocidade atropela a atualização dos fatos com o excesso de variadas fontes?

Como o brasileiro mantém-se informado, independentemente do meio, da forma, do local ou da idade? Foi o que revelou a pesquisa qualitativa realizada no Rio de Janeiro com homens e mulheres, com idades entre de 16 a 60 anos, das classes A e B, através do Mind & Moods & Moments, ferramenta pertencente à Giovanni+Draftfcb. O resultado identificou três perfis de consumidores de notícias: os datalimits, os dataholics e os dataspecialists.

Os datalimits são as pessoas que entendem que é impossível saber tudo que acontece e por isso passam a ser mais seletivas e não sofrem por não saberem “tudo” o tempo todo. Em geral, são as pessoas com mais idade, que nasceram num mundo com menos excesso e buscam mais a qualidade do que a quantidade ou rapidez. Vale lembrar que esse consumidor também está on-line. São pessoas curiosas e atentas, mas que controlam a ansiedade e não acreditam que a velocidade é tudo.
– Frases: “O tempo é um só, as mídias são muitas, eu sei que não dou conta de tudo e isso não é um problema. “Eu leio as manchetes e depois vou ao que interessa.”

“A mídia impressa tem fontes mais seguras.”

“A internet tem um problema com a credibilidade.”

Os dataholics em geral são os mais jovens. Altamente conectados à internet, eles dominam as ferramentas de informação e se entregam à angústia de estar o tempo todo buscando. Não se perdoam por não saber o que está acontecendo, não importa a relevância do fato. Para esse grupo não é preciso só saber, é preciso saber na hora! Adoram quando percebem que algo nasceu na web para então chegar à mídia impressa. A noção de tempo ganha novas definições: vidas, milênios, dias passam a ser apenas alguns poucos segundos.

– Frases: “Vinte minutos de bobeira e você não entrou no Facebook? Perdeu a vida inteira!” “Essa palavra ‘proibir’ na internet é quase proibida.” “Se tá na internet, pra mim não é ilegal.” “Hoje a necessidade da rapidez, do dinamismo, é muito grande.”

Já os dataspecialists dominam tanto as ferramentas como a informação. Os blogueiros entram nesse nicho, proveem informação e têm seus métodos próprios de busca e fontes confiáveis. Recebem news de centenas de blogs nacionais e internacionais. Para um blogueiro é imperdoável não saber o que está bombando na internet.

– Frases: “Facilidade de acesso não significa que é possível ler tudo.” “É fundamental estar informado.” “Um dos diferenciais da internet é você querer procurar algo e achar no minuto seguinte.”

Essa velocidade contemporânea da informação trouxe duas consequências constatadas pela pesquisa: todo mundo se diz eclético e não existe mais silêncio.

A informação chega até para quem não tem interesse em recebê-la. E domingo é considerado o “Dia da Informação”, em que aumentam a compra de revistas e jornais e as conexões da internet. Além disso, o Brasil é líder mundial no Orkut e possui 8,8 milhões de usuários no Facebook, a terceira rede social mais acessada no país.