Manutenção preventiva de velas e cabos de ignição reduz emissão de gases poluentes

Com a chegada do inverno, aumenta a probabilidade de concentração elevada de poluentes na atmosfera, conseqüência também dos gases emitidos pelos automóveis.

A revisão preventiva de peças como velas e cabos de ignição podem contribuir para o funcionamento adequado do motor e, assim, reduzir a poluição. A NGK, principal fabricante e especialista em velas de ignição do mundo, recomenda a manutenção de velas e cabos de ignição a cada 10 mil quilômetros para automóveis e a cada 3 mil quilômetros para motocicletas.

A empresa orienta também a verificação do manual do fabricante, onde contém informações específicas sobre o modelo do veículo. “A durabilidade das velas e cabos de ignição está diretamente relacionada às condições de uso do carro ou motocicleta, assim como a procedência do combustível utilizado”, explica Ricardo Namie, chefe da Assistência Técnica da NGK.

As velas de ignição desempenham papel fundamental no funcionamento do motor. As peças com vida útil ultrapassada acarretam em problemas, como dificuldade na partida e falhas no motor, além de reduzir a qualidade de componentes, como cabos, bobinas, transformador, distribuidor até o catalisador. Outro ponto importante da revisão preventiva é a obtenção de economia de combustível e a redução da emissão dos gases emitidos pelos automóveis.

“Em vista de tantos problemas e dificuldades que a falta de manutenção das velas e cabos de ignição podem trazer é recomendável atenção especial a esses itens. A revisão preventiva dessas peças deve ser regular, assim como a troca, quando necessária, por profissionais capacitados”, orienta Namie.

Cada veículo possui um modelo de velas e cabos de ignição apropriado, conforme orientado no manual do proprietário ou Tabela de Aplicação atualizada ou site NGK (www.ngkntk.com.br). Para mais informações ou dúvidas, o telefone de contato com a NGK é 0800 197 112 (ligação gratuita).