2009 encerra com crescimento de 12,9% no crédito para financiamento de veículos

Saldo acumulado das carteiras de CDC e Leasing atinge R$ 157,1 bilhões

Taxa média de juros praticada pelas associadas à Anef fecha em 1,42% ao mês

Planos médios ficam em 42 meses – Levantamento da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras) aponta que o saldo total das carteiras de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e Leasing para aquisição de veículos por pessoas físicas encerrou 2009 com R$ 157,1 bilhões. Isso representa um crescimento de 12,9% em relação ao balanço do ano anterior, quando registrou R$ 139,1 bilhões. Desse total, as operações de CDC mostraram aumento de 13,9%, passando de R$ 82,4 bilhões para R$ 93,9 bilhões. Já a carteira de Leasing saltou de R$ 56,7 bilhões para R$ 63,2 bilhões, elevação de 11,5%, sobre o mesmo período do ano passado.

A taxa média de juros praticada pelos bancos das montadoras associados à Anef fechou em 1,42% ao mês (18,44% ao ano), contra 1,80% ao mês (23,87% ao ano) registrado em 2008. A inadimplência acima de 90 dias por meio de CDC encerrou o ano em 4,4%, ante 4,3% registrado no mesmo período do ano anterior.

Os planos máximos disponibilizados ao consumidor para financiamento de veículos cresceram de 60 meses, em 2008, para 80 meses em 2009. Já os planos médios passaram de 40 meses em 2008 para 42 meses no ano passado.

“O aumento de 12,9% no saldo do crédito para financiamento de veículos pelas pessoas físicas atingiu as metas preestabelecidas para o período, que estavam em torno de 10% a 15%. Esse cenário é resultado da retomada da economia nacional e da confiança do consumidor para aquisição de veículos financiados. Para esse ano, as projeções deverão acompanhar a indústria automobilística e nosso setor poderá crescer nas mesmas bases do ano anterior”, avalia Luiz Montenegro, presidente da Anef.

Vendas a prazo – Dos veículos e comerciais leves comercializados em 2009, 61% representam as vendas a prazo. Desse total, 33% correspondem aos financiamentos por meio do CDC, 23% por meio de Leasing e 5% por Consórcio.

Dos veículos comerciais (caminhões e ônibus), as vendas por Finame atingiram 66%, o Leasing (incluso Finame Leasing) encerrou em 13%, o CDC representou 8% e o Consórcio ficou em 2%. No segmento de motocicletas, 27% das vendas equivalem ao Consórcio, 48% correspondem às operações de CDC e 2% foram por Leasing.