Abraciclo projeta crescimento de 20% para 2010

Abraciclo projeta crescimento de 20% para 2010

Abraciclo projeta crescimento de 20% para 2010

O último mês com IPI reduzido também refletiu positivamente para o setor de motocicletas. O balanço divulgado hoje pela Abraciclo – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, mostra que o término da isenção da Cofins levou os consumidores às lojas e resultou em um aumento de 35,3% nas vendas para o consumidor final em relação a fevereiro, e de 17,3% em comparação com o mesmo período de 2009.

No ano, as vendas são 9,6% acima do registrado no primeiro trimestre de 2009. O volume de vendas foi de 169.285 motocicletas, ante 116 mil do mês anterior. Este número é ligeiramente diferente do divulgado pela Fenabrave pois ele representa as venda no atacado (fábricas p/ concessionárias) e não inclui marcas não afiliadas à Abraciclo. “Os dados apontam finalmente para uma recuperação do setor, porém, com o término da isenção da Cofins, não sabemos quais serão os reflexos nas vendas”, afirma Paulo Shuiti Takeuchi, presidente da Abraciclo. O imposto acresce aproximadamente 3% no valor final do produto e voltou a ser cobrado em 1º de abril. A produção registrou em março um volume de 149.762 motocicletas, o que demonstra que a rede de concessionárias desovou estoque que estava represado nas lojas.

O setor tem dificuldade para retomar exportações. Os números, insignificantes perto das vendas ao mercado interno, refletem a valorização do Real frente ao dólar e o chamado “custo Brasil”, que inclui encargos trabalhistas, tributação de insumos e infra-estrutura local. “Nossos produtos são muito competitivos, mas o seu custo não”, resume Takeuchi. O setor projeta uma produção 20% maior em 2010 em relação ao ano passado, o que será traduzido em aproximadamente 1.840.000 unidades.