Foto: Idário Araújo - Y. Sports

Balbi representa o Brasil em “corrida do século”

Foto: Idário Araújo - Y. Sports

Foto: Idário Araújo - Y. Sports

Depois de onze anos, o Campeonato Mundial de Motocross finalmente retorna aos EUA, no que vem sendo chamada de “a corrida do século”. O motódromo de Glen Helen recebe a prova neste fim de semana (29 e 30 de maio) e Jorge Balbi, da equipe 2B Duracell Racing, é o representante brasileiro.

O retorno do Mundial de Motocross aos EUA marca muito mais do que o retorno da principal competição do planeta a um dos países que mais entusiastas tem do esporte. Depois de muitos anos, os pilotos do Mundial irão enfrentar os maiores nomes do AMA Motocross, em uma corrida que promete ser a mais disputada dos últimos tempos.

Na MX1, além de Antonio Cairoli, Maximilian Nagl e David Philipaerts, três primeiros colocados do mundial, estão confirmados Mike Alessi e Ben Townley, que correm no AMA Motocross. Na MX2, Marvin Musquin, Ken Roczen e Jeffrey Herrlings se unem a Tommy Searle, Max Anstie e Martin Davalos.

O mineiro Jorge Balbi, da equipe 2B Duracell Racing, será o único representante brasileiro na competição. Acostumado a provas internacionais, o piloto se mostra muito animado com a chance de competir em uma prova que, segundo ele, terá o maior nível técnico dos últimos anos.

“Realmente, esta prova será uma corrida histórica e é um orgulho pra mim estar aqui. Estou feliz porque, diferentemente do Brasil, vou correr sem pressão e pra me divertir e costumo render bem assim. Além disso, é muito bom voltar a correr em uma pista de Motocross de verdade porque as pistas do Brasil estão em um nível muito baixo”, comentou o piloto, que utilizará a prova como um “aquecimento” para a etapa brasileira do Mundial, que acontece em Campo Grande nos dias 21 e 22 de agosto.

A Equipe 2B Duracell Racing tem o patrocínio de Gilette, Ariel, Mobil, i9/Coca-Cola, Mormaii, Café Fino Grão e Mart Plus. Os patrocinadores/fornecedores são NFS, NEYFA, Pirelli, All Sign e L’aquila.