Brasil comercializa 13,7 milhões de computadores em 2010

Brasil comercializa 13,7 milhões de computadores em 2010 e passa a ocupar a quarta posição no ranking mundial dos países que mais vendem PCs, revela estudo da IDC

No último trimestre os usuários domésticos e corporativos compraram 3,6 milhões de equipamentos. Somando a venda do ano inteiro, o mercado cresceu 23,5% em relação a 2009

O ano de 2010 foi bastante aquecido pra o mercado de PCs. Essa é a conclusão do estudo Brazil Quarterly PC Tracker, realizado pela IDC Brasil, líder em inteligência de mercado, consultoria e eventos para as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Ao todo foram vendidos 13,7 milhões de computadores, sendo 55% desktops e 45% notebooks. Este número representa um crescimento de 23,5% ante 2009. A movimentação levou o Brasil à quarta posição no ranking mundial das empresas que mais vendem computador no mundo, seguido por Estados Unidos, China e Japão.

Somente no último trimestre de 2010 foram vendidos 3,6 milhões de equipamentos. Deste total, 52,5% foram desktops e 47,5% notebooks. “O quarto trimestre de 2010 mostrou um cenário diferente do que víamos no passado, quando eram vendidos mais computadores por conta do Natal. Com a antecipação do varejo nas compras de final de ano, o terceiro trimestre de 2010 foi mais forte. Mesmo assim, os números apontam um crescimento de 15% com relação aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2009”, declara Luciano Crippa, gerente de pesquisas da IDC.

No início de 2010, a IDC previa que o mercado chegaria à marca de 13,2 milhões de computadores, porém, devido à competição acirrada entre os fabricantes de PCs, o número foi 3,6% melhor. “E se somássemos o número de tablets comercializados no Brasil, cerca de 100 mil unidades, chegaríamos ao total de 13,8 milhões de equipamentos”, completa o gerente de pesquisas da IDC.

Durante todo o ano, 65% dos computadores vendidos foram para usuários domésticos e 35% para o mercado corporativo, incluindo os segmentos de educação e governo. Segundo o estudo da IDC, em 2010 a venda total de notebooks para usuários domésticos foi 30% maior do que a de desktops, comprovando uma tendência já apontada em estudos anteriores. “Isso confirma que a categoria dos portáteis chegou para ficar no mercado nacional”, explica Crippa. “E não podemos esquecer que para o ano de 2011 ainda esperamos que as vendas de tablets cheguem à casa das 300 mil unidades comercializadas, e este número não está contemplado nas previsões do mercado de computadores tradicionais”, completa.

De acordo com Crippa, a influência dos tablets no mercado de PCs é certa. “À medida que avaliamos o comportamento do segmento, notamos sinais de um novo cenário, que aponta cada vez mais para um crescimento maior do que havíamos projetado anteriormente”, explica. “Definitivamente, o mercado de PCs será impactado pela venda de tablets, principalmente quando observarmos os netbooks. Basta olharmos para os produtos apresentados na CES e MWC, eventos ocorridos agora no primeiro trimestre de 2011”, conclui o gerente de pesquisas da IDC.