bmw-g-310-r_mov8

Chegou a G 310 R, a BMW de entrada

Após quase dois anos, quando foi apresentada como conceito, finalmente chega ao mercado brasileiro a nova naked pequena, a BMW G 310 R. As primeiras unidades da moto já estão disponíveis nas 39 concessionárias da marca em todo o Brasil por R$21.900,00 e com ela a BMW quer ampliar e rejuvenescer sua base de clientes.

A G 310 R entra no segmento de mercado onde já estão a KTM 390 Duke, as Yamaha MT03 e Fazer 250, a Kawasaki Z300, a Honda CB Twister e a Dafra Next 250. Se considerarmos o preço pelo qual ela foi anunciada, podemos colocar aí também a Honda CB 500F, que tem preço hoje de R$23.900,00 (*promocional). Claro que este é um segmento que atrai uma variada gama de consumidores para quem a combinação de capacidade do motor e preço é analisada criteriosamente para a decisão de compra.

Modelo

Motor Potência Capacidade cúbica

Preço praticado (FIPE)

BMW G 310 R Um cilindro 34 cv 313 cc R$ 21.882
Dafra Next 250 Um cilindro 25 cv 249 cc R$ 13.772
Honda CB 500F Dois cilindros 50 cv 471 cc R$ 23.900(*)
Honda CB Twister Um cilindro 22,4 cv 249 cc R$ 15.967
Kawasaki Z300 Dois cilindros 39 cv 296 cc R$ 20.488
KTM 390 Duke Um cilindro 44 cv 375 cc R$ 21.990
Yamaha Fazer Um cilindro 20,7 249 cc R$ 14.251
Yamaha MT03 Dois cilindros 42 cv 320 cc R$ 21.017

Como se percebe, a missão desta nova BMW não é fácil e talvez por isso os executivos não queiram fazer publicamente qualquer previsão sobre a G 310 R. Mas é certo que uma organização como a BMW Motorrad tem lá seus planos e números para esta moto. A grande questão é que a marca não tem tradição nem prática nesta faixa de motos menores, onde a briga por espaço é muito mais acirrada naturalmente, porque há um volume infinitamente maior de potenciais compradores, mas há também grandes e experimentados competidores.

“Nosso foco está todo na qualidade da moto e do serviço que vamos oferecer aos nossos clientes”, enfatiza Federico Alvarez, diretor da BMW Motorrad Brasil. “Mais do que marcar o início de uma nova história da BMW no Brasil, a G 310 R reflete o espírito da marca em inovar e quebrar paradigmas”, complementa Alvarez. Nesse sentido, a BMW demonstra preocupação específica com os clientes brasileiros, já que a BMW informa que para a G 310 R a tabela de manutenção tem intervalos maiores entre as revisões e os custos de manutenção são similares aos que outras marcas que atuam no mesmo segmento oferecem. “O proprietário de uma BMW G 310 R terá gasto após 40.000 km com sua moto R$4.325,00 nas revisões obrigatórias”, informa Alvarez.

Bonita, equilibrada e cara

Alvarez: sem expectativa sobre volume de vendas

Alvarez: sem expectativa sobre volume de vendas

A BMW G 310 R foi desenvolvida na Alemanha, é fabricada na Índia e montada no Brasil. Por aqui ela recebe alguns componentes nacionais. O novo modelo segue sendo objeto de desenvolvimento de fornecedores nacionais não apenas para cumprir as exigências da legislação brasileira (PPB – Suframa), mas também para reduzir custos. “Estamos focados na qualidade do produto e da nossa produção, já que montamos aqui no Brasil 10 modelos e a G 310 R representa o maior volume”, comenta Alejandro Echeagaray, diretor da BMW Motorrad para a América Latina e Caribe.

De fato, percebe-se na moto grande cuidado na qualidade das peças e na montagem. A moto segue o padrão da marca e traz boas soluções para oferecer um conjunto equilibrado e que responde bem aos movimentos do piloto. Vale destacar que o test-ride oferecido pela BMW foi em pista, com asfalto perfeito e ambiente controlado, onde a moto se mostrou muito eficiente em todas as situações. Pode-se destacar o funcionamento suave do motor, apesar de ser de um cilindro, sem transmitir vibração excessiva nem nas pedaleiras nem no guidão, que está montado sobre coxins de borracha.

Com dimensões compactas, a moto oferece grande agilidade para condução em baixas velocidades, não exigindo muita aceleração para empurrar a moto em qualquer marcha. O destaque fica para as retomadas de velocidade, que acontecem sem sustos, mesmo quando se espera que o motor vá engasgar e exigir redução de marcha. Essa característica mostra que a combinação de potência e torque está bem resolvida, com adequada distribuição e disponíveis já em baixas rotações.

O motor da G 310 R é um monocilíndrico de 313 cc, arrefecido a líquido, com comando duplo de válvulas, injeção eletrônica de combustível e que gera 34 cv de potência a 9.200 rpm e torque máximo de 2,9 kgf.m a 7.500 rpm. Esse motor tem o cilindro invertido, ou seja, a saída do escapamento está atrás, o que deu à moto entre outras vantagens, menos peso (158,5 kg) pelo tubo de escapamento bem menor, melhor admissão de ar para a câmara de combustão e mais equilíbrio dinâmico da moto, já que esta posição transfere para trás e para baixo o centro de gravidade da moto.

Isso explica em parte o irrepreensível comportamento da moto em qualquer situação, seja para desviar de um obstáculo em velocidade mais alta, ou para manobrar em pequenos espaços no meio do trânsito, sempre com completo controle e equilíbrio. A moto se destaca também pela boa ergonomia e conforto, com a posição do triângulo assento, pedaleiras e guidão bem ajustada para todos os pilotos, inclusive os de maior estatura.

Colaboram muito para o bom nível de segurança e conforto que a moto oferece o conjunto de suspensões, com um amortecedor na traseira que possui ajuste na pré-carga da mola e garfo invertido na dianteira. Mas como esse primeiro contato com a moto foi em pista, cabe uma melhor avaliação em terreno normal, desses que se encontra em qualquer esburacada cidade brasileira para se ter uma análise mais correta do comportamento do conjunto de suspensões da nova moto.

E já que falamos de suspensão, vale destacar que os tubos dourados da suspensão dianteira da G 310 R compõem o detalhe que destaca a moto quanto ao seu design. Como uma naked, o estilo da BMW G 310 R segue o padrão, sem muitas peças para esconder quase nada. A pequena peça colocada à frente do painel, os complementos do tanque de combustível e os protetores do garfo formam um conjunto bonito e que fornecem o caráter esportivo da moto. Complementado pela rabeta com as alças em alumínio e a pequena lanterna traseira em LED, a moto tem desenho próprio e inspira muita personalidade.

O chassi tubular treliçado está aparente e o motor parece “pendurado” nele. Há um sub-chassi que sustenta a traseira da moto e uma peça única em alumínio que cobre o vértice na base do chassi e traz o suporte da pedaleira do garupa. Esta peça forma um conjunto com a parte debaixo do motor que se destaca na moto. Por fim, um pequeno protetor na base do motor, o grande escapamento e a balança traseira de alumínio, ambos pintados em preto fosco, se combinam e harmonizam com o protetor do escapamento em alumínio polido, o que dá estilo próprio à nova moto da BMW.

Como uma marca sem tradição no segmento de motos menores, é preciso prestar atenção para saber que se trata de uma BMW porque a marca apenas aparece estampada em baixo relevo na tampa do motor e na lateral do tanque.

Os comandos seguem o padrão e o painel de instrumentos digital possui um grande display de LCD (cristal líquido) que traz várias informações, como velocidade, conta-giros (em barras), indicador de marcha engatada, nível do combustível no tanque, hodômetro total e parcial (trip 1), relógio, além do computador de bordo que informa consumo instantâneo e consumo médio. Esse painel está protegido por uma pequena carenagem, que apenas faz a função de compor o design da moto. Uma pequena logomarca BMW está presente sobre a mesa superior e orna o guidão de forma discreta.

G 310 R: para ampliar a base de clientes

A tentativa da BMW com esta moto é ampliar sua base de clientes e rejuvenescer a marca, atraindo uma fatia de consumidores mais jovens para a BMW Motorrad. Esta estratégia já está sendo utilizada pela Harley-Davidson com modelos de motos “menores” e mais acessíveis do ponto de vista financeiro. “Inicialmente pensamos a moto apenas para mercados emergentes, como Índia e Brasil, mas depois percebemos que mercados maduros, como os da Europa, também podem receber a G 310 R como uma forma de atrair para nossa marca consumidores mais jovens e com menos dinheiro”, informa Federico Alvarez.

Primeira impressão ótima sobre o produto, mas o preço pode ser um problema

Primeira impressão ótima sobre o produto, mas o preço pode ser um problema

Esse detalhe da ampliação do destino desta nova moto para mercados maduros deixa transparecer que mais motocicletas em novos segmentos de mercado devam vir por aí, pois se há o objetivo de atrair para a marca consumidores mais jovens (e com menos dinheiro), há também o objetivo de mantê-los na marca e o degrau acima da G 310 R na BMW hoje é a F 700 GS, que representa um enorme salto para quem quiser permanecer fiel à marca germânica. Mas claro, o executivo não quis seguir falando do assunto.

Pré-venda esgotada; quantas motos?

Naturalmente a BMW Motorrad precisa sinalizar ao mercado que sua nova moto está destinada a fazer sucesso. Assim, a empresa realizou um campanha de pré-venda da nova moto e informou que foi esgotado o estoque de pré-venda da G 310 R em apenas três semanas. No entanto, a BMW não informou quantas unidades essa pré-venda representa. “Essas primeiras motos deixaram a fábrica da BMW em Manaus (AM) agora em julho para serem entregues este mês aos clientes da pré-venda”, informa o comunicado da empresa, sem dizer quantas motos são.

Outro aspecto interessante da estratégia da BMW Motorrad no Brasil para esta moto está no inédito plano de financiamento para o lançamento. A moto de entrada da marca no segmento de motocicletas abaixo de 500 cc no Brasil pode ser adquirida por meio da BMW Serviços Financeiros em condições especiais de financiamento, com entrada de R$7.150,00, 36 parcelas mensais de apenas R$499,00 (taxa de juros de 2,08%), e mais uma parcela final de 30% do valor da moto. O mesmo plano pode ser feito em 24 meses, mas com a parcela final de 40% do valor da moto.

A julgar pela qualidade da moto, imagem da marca e estratégia de vendas, a G 310 R pode vir a incomodar suas concorrentes diretas. Mas o preço pode ser um problema, porque a relação custo-benefício no momento da aquisição faz muita diferença, sobretudo para as naked equipadas com motores de dois cilindros. No entanto, ao acenar com tabela de manutenção com preços equivalentes e programa de financiamento mais acessível, a BMW pode amenizar esta questão do preço. Para o consumidor, seja bem vinda G 310 R!

Ficha Técnica BMW G 310 R

Motor Um cilindro, 4 tempos, arrefecido a líquido, 4 válvulas, DOHC
Capacidade cúbica 313 cc
Diâmetro X Curso 80mm x 62,1mm
Taxa de compressão 10,9:1
Sistema de partida Elétrica
Bateria 12V – 8 Ah
Sistema de Ignição Eletrônica
Tipo de combustível Gasolina
Capacidade do tanque de combustível 11 litros
Alimentação Injeção Eletrônica
Torque máximo 2,9 kgf.m a 7500 rpm
Potência máxima 34 cv a 9500 rpm
Transmissão 6 velocidades
Embreagem Multidisco em banho de óleo
Transmissão final Corrente – pinhão 16 / coroa 40
Tipo de chassi Estrutura tubular de aço com sub-chassi parafusado
Pneu dianteiro  110/70 R17 ZR tubeless
Pneu traseiro  160/60 R17 ZR tubeless
Freio dianteiro Disco simples de 300 mm com ABS
Freio traseiro Disco simples de 240 mm com ABS
Comprimento 2.005 mm
Altura 1.080 mm
Altura do assento 785 mm
Trail  102 mm
Ângulo de esterço 64,9 graus
Peso em ordem de marcha 158 kg
Distância entre eixos 1.374 mm
Suspensão dianteira Garfo telescópico invertido, tubos de 41 mm de diâmetro, 140 mm de curso
Suspensão traseira Balança de alumínio, amortecedor c/ regulagem na pré-carga da mola, 131 mm de curso
Consumo (dados de fábrica) 3,33 litros / 100 km
Capacidade máxima de carga 186 kg
Preço Público Sugerido R$21.900,00



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.