De olho em novas regras, montadoras adotam reciclagem

As novas regras ecologicamente corretas que movimentaram o setor motociclistico e automotivo no exterior ainda nÆo chegaram ao Brasil, mas j  preocupam as montadoras instaladas por aqui.

De acordo com diretrizes aprovadas na Europa em 2002, as fabricantes de veiculos serÆo obrigadas a criar projetos com a identifica‡Æo de todos os materiais recicl veis, al‚m de desmontar os ve¡culos quando eles chegarem ao o final de sua vida £til, reaproveitando as pe‡as.

Daqui a trˆs anos, 80% dos ve¡culos devem ser recicl veis no Velho Continente. At‚ 2015, esta marca se estender  a 85%. NÆo h  expectativa de quando uma regulamenta‡Æo semelhante pode ser implementada no Brasil, mas as montadoras adotam as pr ticas. Afinal, os ve¡culos exportados para a Europa terÆo de ser produzidos conforme as novas diretrizes.

O Comitˆ de Reciclagem de Materiais da Associa‡Æo Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), calcula que 75% dos ve¡culos fabricados no Brasil j  sÆo recicl veis. Isso ocorre por causa do alto n¡vel de reaproveitamento do a‡o, que compäe 70% de um ve¡culo. Praticamente 100% do a‡o ‚ reciclado no Brasil; faltam outros materiais, como pl sticos.

Um dos problemas maiores do setor, continua sendo a reciclagem dos pneus. Sua mat‚ria-prima principal, a borracha vulcanizada, nÆo se degrada e, quando queimada, contamina o ambiente com carbono, enxofre e outros poluentes. A portaria 258/99, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), obrigou as fabricantes e importadoras a reciclarem seus pneus gradualmente.

Atualmente, o Pa¡s tem cerca de 100 milhäes de pneus usados que um dia, terÆo de ser reaproveitados. A alternativa mais vi vel ‚ a tritura‡Æo, que exige investimento em m quinas e em log¡stica. Solu‡äes para estes problemas ambientais estÆo em discussÆo hoje no semin rio sobre reciclagem de materiais promovido pela AEA, no Audit¢rio do Instituto de Engenharia de SÆo Paulo.