Marc Marquez, Repsol Honda Team

MotoGP™: notícias do padock – 15/8

MARQUEZ: “SINTO ALGUMA PRESSÃO … “
Estar na liderança traz a cobrança pela manutenção da posição

Com a segunda metade da temporada da MotoGP™ começando neste fim-de-semana em Indianápolis, o estreante Márc Marquez retorna das férias de verão como líder do Campeonato. Durante os últimos dois anos na Moto2™, o espanhol nunca foi vencido no histórico traçado, mas o piloto da Repsol Honda Team admite que está sentindo a pressão…

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team

O Casey Stoner está desenvolvendo a moto de 2014. Como você se sentes em relação a isso?
Marquez: É muito importante para nós. Não tenho informações do teste de Motegi porque não falei com o pessoal do Japão, mas o Casey é muito rápido e com certeza levou a moto ao limite. Penso que é importante para a Honda e para o Dani (Pedrosa) também ter o Casey testando.

Está surpreso com todo o sucesso e até que ponto esperava dar-se tão bem esta temporada?
Marquez: Sim, estou surpreso. Para ser franco, não esperava nada disto antes do início da temporada. Está bem que o objetivo era tentar terminar as corridas e somar alguns pontos e depois melhorar um pouco antes do final da primeira metade da temporada. Depois começar a segunda parte com o intuito de lutar pelo pódio e vencer algumas corridas, mas já ganhei três; antes de começar a temporada não esperava nada disto, mas é muito bom sentir-me assim com a moto porque, desde o início, tenho me sentido bem e forte – isso são boas notícias!

Muitos dos pilotos, em particular os da Yamaha, acreditam que a Honda tem vantagem em aceleração – e que isso se traduz em vantagem na velocidade de ponta. Do teu ponto de vista, estando com a Honda, onde é que as Yamaha têm vantagem, se é que têm, sobre as Honda?
Marquez: Tudo depende dos circuitos. Talvez onde nós temos vantagem em aceleração eles tenham em aderência, mas se perdemos aderência podemos sempre usar toda a nossa potência. Temos apenas de encontrar o melhor equilíbrio para conseguirmos ser rápidos. O Lorenzo e o Valentino (Rossi) têm testado (durante a parada de Verão) e parece que experimentaram a caixa de câmbio “seamless”. Estas motos estão todas muito próximas.

Você falou que não sente tanta pressão como o Dani e o Jorge. Normalmente veríamos alguém no seu primeiro ano com liberdade para correr uma corrida de cada vez e sem pressão. Agora você lidera o Campeonato com 16 pontos de vantagem – isto a muda a forma como aborda cada corrida?
Marquez: Não. De momento o objetivo e a mentalidade é exatamente a mesma que na primeira metade da temporada. É certo que sinto alguma pressão por estar liderando o Campeonato… por isso sinto que tenho de manter o nível. De todas as formas, vou tentar manter o tipo de corrida, mas a mesma mentalidade com que iniciei a temporada.

OMBRO DE PEDROSA AINDA NÃO ESTÁ TOTALMENTE RECUPERADO
O piloto revelou que a fratura na clavícula ainda não está totalmente sarada, mas que se sente muito mais confortável após o intervalo de Verão

Dani Pedrosa da Repsol Honda Team lesionou-se em queda sofrida em Sachsenring, após o que se viu forçado a não correr o GP da Alemanha antes de correr com muitas dores em Laguna Seca. Desde então, usou o intervalo de verão para tratar da recuperação.

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

“Foi uma boa o intervalo de verão de Verão e sinto-me fisicamente mais forte”, disse Pedrosa na quarta-feira. “Tive tempo para relaxar com os amigos e também para fazer muita fisioterapia no ombro, para me preparar para a segunda parte da temporada. Fiz um exame médico nos últimos dias e vimos que o osso está cada vez mais forte. Ainda precisa de mais umas semanas para recuperar totalmente, mas já me sinto muito melhor que em Laguna. É importante manter a concentração, especialmente agora que temos três corridas consecutivas. Nos últimos anos consegui bons resultados em Indy, gosto de correr aqui e agora estou desejoso de ter contato com a moto e correr no meu melhor nível”.

YAMAHA FACTORY RACING MOTIVADA APÓS TESTE
A Yamaha está em segundo lugar no Campeonato de Construtores

Antes do retorno da ação no Indianápolis Motor Speedway neste fim-de-semana, a Yamaha Factory Racing realizou dois dias de testes em Brno na semana passada, o que deixou a equipe optimista antes da primeira de três corridas consecutivas.

 

Valentino Rossi, Yamaha Factory Team

Valentino Rossi, Yamaha Factory Team

Com nove provas já disputadas e outras tantas pela frente, o primeiro conjunto de três corridas acontece a partir deste fim-de-semana em Indaianápolis, seguido de Brno e Silverstone. No teste da Yamaha da semana passada, viu-se Jorge Lorenzo e Valentino Rossi andarem na pista de Brno durante dois dias, possivelmente avaliando a sua versão das transmissões “seamless” que já está sendo usada pela Honda.

“Fizemos um pequeno teste em Brno para verificar alguns pequenos problemas”, explica o diretor esportivo Wilco Zeelenberg. “O teste foi bom, primeiro porque ambos os pilotos ficaram contentes com os resultados e, em segundo lugar, porque, do nosso ponto de vista o Jorge fez um bom trabalho. No primeiro dia ele teve um pouco de dificuldades para encontrar o ritmo, mas no segundo dia melhorou muito e encontrou o ponto certo. O treino foi muito importante para o Jorge avaliar o seu estado físico depois de um duro mês em que foi vítima de duas lesões na clavícula e teve de ser operado duas vezes em dez dias. O Jorge ganhou mais confiança após o treino e agora voltamos aos Estados Unidos com otimismo”.

Tendo lutado para terminar em sexto lugar na última visita a Laguna Seca, o recuperado Lorenzo está agora empenhado em tirar o máximo partido da sua situação e pegar os líderes do campeonato da Repsol Honda Team, com Marc Márquez neste momento na frente de Dani Pedrosa.

No Campeonato de Construtores a Yamaha está a 13 pontos da Honda, enquanto no de Equipas a Yamaha Factory Racing é segunda, a 56 pontos da Repsol Honda.