Primeiras impressões - Yamaha YBR 125 Factor 2009

Primeiras impressões – Yamaha YBR 125 Factor 2009

Primeiras impressões - Yamaha YBR 125 Factor 2009

Yamaha lança nova YBR 125 Factor Modelo mais vendido da marca ganha novo visual, mas não virá com injeção eletrônica. A YBR 125 Factor vai usar carburador e chega às concessionárias somente em setembro. O preço ainda não foi divulgado

Impulsionada pelas regras de controle de emissão de poluentes por motocicletas, o famoso Promot 3, que entra em vigor a partir de janeiro de 2009, a Yamaha sai na frente das concorrentes e lança o modelo 2009 da motocicleta mais vendida da marca: a YBR 125 Factor. Apesar das alterações em sua ciclística e no sistema de alimentação, a YBR 125 Factor ainda não traz a tão esperada injeção eletrônica de combustível. Em vez disso, a Yamaha apostou no conhecido carburador, porém mais moderno.

Com a ausência da injeção eletrônica, a grande novidade da recém-lançada Yamaha de 125 cc é mesmo seu visual. Modernizado, lembra bastante a sua irmã maior, a Fazer 250. Principalmente por causa do tanque, agora mais encorpado, porém com a mesma capacidade para 13 litros de gasolina. Outros detalhes, como as aletas do tanque, a nova rabeta afilada e os piscas, fazem com que a Factor pareça uma mini-Fazer.
No modelo top de linha, a YBR 125 Factor ED, essa semelhança fica ainda mais evidente em virtude da adoção das rodas de liga-leve e do freio a disco na dianteira. A Factor também vai estar disponível em outras duas versões: Factor K, com partida a pedal, rodas raiadas e freio a tambor nas duas rodas; e a Factor E, com partida elétrica, rodas raiadas e freios a tambor. Todas calçadas com os pneus Metzeler ME 22 – nas medidas 2.75 – 18, na dianteira, e 90/90 – 18, na traseira. Com a diferença que a versão ED usa pneus sem câmara e as versões mais básicas, com câmara.

Primeiras impressões - Yamaha YBR 125 Factor 2009O novo modelo deve chegar às concessionárias da marca na primeira quinzena de setembro. Quanto ao preço, a Yamaha faz segredo. Mas de acordo com a filosofia comercial adotada pela empresa nos últimos anos, o preço da nova Factor deverá ter uma pequena elevação em relação ao modelo atual, porém só será divulgado no próximo mês.

Carburador hi-tech – Na apresentação do modelo à imprensa, houve certa decepção com a falta da injeção eletrônica nesta nova 125cc. “Uma questão de custos”, alegou o porta-voz da Yamaha. Porém, os engenheiros da marca garantem que a nova Factor atenderá ao Promot 3, sendo mais econômica e mantendo o mesmo desempenho. A grande jogada estaria no novo carburador Mikuni BS 25 com acionamento do segundo estágio a vácuo e com uma válvula solenóide de “cut-off” e um sensor de posição do acelerador (TPS – Throttle Positioning System). Além disso, a nova YBR ganhou catalisadores mais eficazes.
O segundo estágio a vácuo seria um dos responsáveis por otimizar o desempenho, atendendo às novas regras de emissão. Já o sensor de “cut-off” em conjunto com o TPS garantiria menor consumo. Pois com base na posição do acelerador a válvula cut-off corta o fornecimento de combustível, resultando em mais economia. O que, segundo a Yamaha, seria um dos desejos do consumidor desse tipo de motocicleta street de baixa cilindrada. Resta esperar para ver se a teoria da Yamaha confirma-se na prática, já que os números de desempenho da nova Factor 125 (torque e potência máximos) não foram divulgados pelo fabricante.

Internamente o motor continua exatamente o mesmo: um monocilíndrico, de 124,9 cm³, comando simples no cabeçote com duas válvulas e refrigeração a ar. Diâmetro e curso dos pistões mantiveram-se os mesmos (54,0 mm x 54,0 mm), assim como a taxa de compressão de 10,0 : 1. O antigo motor oferecia 12,5 cv de potência máxima a 8.000 rpm e 1,19 kgf.m a 6.500 rpm de torque. De acordo com a engenharia da Yamaha, não deve haver grandes mudanças nesses números. Resta esperar.
Já que, apesar das fotos rodando com a nova Yamaha de 125cc, ainda não podemos concordar, e nem discordar. Fizemos um curto teste na pista (totalmente plana) nas dependências da empresa em Guarulhos (SP), que não se aproxima do uso em situações reais. Não foi possível verificar o consumo de combustível e nem mesmo o desempenho em subidas, ladeiras ou curvas. Foi possível apenas ter as primeiras impressões da motocicleta.

Ciclística – O novo chassi, tipo diamante (com o motor fazendo parte da estrutura), foi reforçado e está mais resistente, segundo a fábrica. Porém não resultou em nenhuma mudança muito significativa, afinal o ângulo de cáster e o trail da moto continuam o mesmo. Nem mesmo a dimensões mudaram muito. A não ser por estar pouco mais larga, 760 mm contra os 745 mm da antiga YBR, e também com 15 mm a mais de distância do solo.
O novo chassi também contribuiu para uma melhor distribuição de peso, informa a montadora. Na prática pudemos perceber que a 125 Factor está mais ágil nas mudanças de direção. No modelo ED, top de linha, com freio a disco e rodas de liga-leve a agilidade é notada ainda mais facilmente.
O freio a disco também recebeu uma nova pinça de um único pistão maior, que melhora visivelmente as frenagens. Tanto em relação ao antigo freio a disco quanto também aos tambores que equipam as versões mais simples.

Mudanças visuais – Além do visual semelhante ao da Fazer, já citado, a nova Yamaha YBR 125 Factor também conta com um novo painel que, além de velocímetro e hodômetros, tem marcador de combustível e luzes de advertência, entre elas uma que informa sobre anomalias no sistema de ignição. O farol também tem novo refletor, mais eficiente.
Outras mudanças menores foram na alça da garupa agora mais reforçada e a posição da trava do capacete. Mas o preço e o desempenho da nova Yamaha 125cc ainda carburada fica para um próximo teste, de verdade. Com médias de consumo, desempenho, etc…
FICHA TÉCNICA – YBR125 Factor 2009
MOTOR Um cilindro, SOHC, duas válvulas, refrigerado a ar
CILINDRADA 124 cm³
POTÊNCIA MÁXIMA Não declarada
TORQUE MÁXIMO Não declarada
DIÂMETRO X CURSO 54,0 mm x 54,0 mm
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO Carburador Mikuni BS 25
TAXA DE COMPRESSÃO 10,0:1
SISTEMA DE PARTIDA Elétrica (pedal na versão “K”)
CÂMBIO 5 velocidades
TRANSMISSÃO FINAL Corrente
CAPACIDADE DO TANQUE 13 litros
QUADRO Diamond em aço
SUSPENSÃO DIANTEIRA Garfo telescópico, com 120 mm de curso
SUSPENSÃO TRASEIRA Balança com sistema bichoque com 105 mm de curso
FREIO DIANTEIRO Tambor de 130 mm de diâmetro (A disco de 245 mm na versão “ED”)
FREIO TRASEIRO Tambor de 130 mm de diâmetro
PNEU DIANTEIRO 2.75 – 18 42 P Metzeler ME 22
PNEU TRASEIRO 90/90 – 18 42 P Metzeler ME 22
DIMENSÕES (C X L X A) 1.980 mm x 760 mm x 1.080 mm
DISTÂNCIA ENTRE-EIXOS 1.290 mm
ALTURA MÍNIMA DO SOLO 175 mm
ALTURA DO ASSENTO 780 mm
PESO SECO 112 kg (110 kg na versão “K”)
COR Azul, prata, preta e vermelha
PREÇO Não divulgado