XT600, ajuda, Wankel, fôlego, regulagem do farol

XT600, ajuda, Wankel, fôlego, regulagem do farol

XT600, ajuda, Wankel, fôlego, regulagem do farol

XT600 – Olá, gostaria de parabenizá-lo pelos artigos e aproveitar para pedir orientação em um assunto que me preocupa: adquiri recentemente uma Xt 600, ano 1997 que depois de alguns dias de uso apresentou um filete de óleo escorrendo do lado do motor de arranque. A minha dúvida é: há alguma junta que possa ser trocada ali, sanando assim o vazamento? A moto apresenta quilometragem de 40.000 km e mantém a pintura original e bom estado geral. Desde já, obrigado. Hdelberto Pereira(45). Rio de Janeiro, RJ
– Hidelberto, Infelizmente com as informações que você nos dá é impossível dizer do que se trata. Tanto pode ser algum retentor de óleo quanto uma junta, defeito conseqüente de um serviço anterior mal feito ou outra causa mais natural de uso normal, difícil dizer. Procure a origem do vazamento limpando bem a região e fique atento à origem do filete de óleo, com isso em mente vá a uma oficina de sua confiança para fazer os reparos necessários. Boa sorte.

Para o Hdelberto Pereira(45). Rio de Janeiro, RJ. Eu já tive XT 600 – o óleo que evapora do motor fica reservado na caixa do filtro de ar, lá ele condensa. Tem uma mangueira fechada na ponta que estoca esse óleo. Quando esgota a capacidade ele vai pingar em cima do motor. Esgote a mangueira, limpe a caixa do filtro e o motor e observe se o gotejamento parou.
Klinger Paulo Zeferino(42), Maringa, SP

XT600, ajuda, Wankel, fôlego, regulagem do farolWankel
Olá, tudo bem? Sou um grande fã de vcs acesso o site todos os dias atrás de novidades. A pergunta: outro dia eu estava lendo uma revista de automóveis quando passei por um teste do mazda rx-8 que possui motor rotativo(wankel) o motor era 1.3 e tinha 238 cv. A minha pergunta é a seguinte seria possível fazer ou colocar um motor rotativo em uma motocicleta? Não teria um maior rendimento? Abraço. Diogo Minasi (21), Rio Grande, RS
– Diogo, isso já foi feito. A Suzuki lançou nos anos de 74 a 76 o modelo RE-5 com tecnologia da NSU alemã. Consta que apesar de ser uma boa moto não conseguiu um bom resultado comercial, por diversos motivos principalmente porque era muito diferente de tudo que havia no mercado e isso assustou os consumidores. Essas motos são muito procuradas pelos colecionadores e têm um alto valor se bem conservadas. (muito poucas no Brasil, pessoalmente só ví uma) Há quem diga que a diretoria da empresa ficou tão decepcionada com o seu resultado comercial que mandou jogar todo ferramental e peças do estoque no mar do Japão… Já imaginou a loucura? Milhões de dólares ao mar.

Fôlego
Olá, tudo bem? Tenho uma CBX200 Strada 2002 e pego rodovia diariamente para o trabalho e todo fim de semana para dar um rolê com a patroa. Engarupado passo por muitos apuros para passar ônibus e caminhões, pois a motinho não tem fôlego para fazer uma retomada a 80 ou 100km/h. Quero passar para um moto maior, mas as minhas condições financeiras (e técnicas também !!) não permitem ainda nada além de uma Twister ou Fazer. Aí, lendo os testes aqui no Motonline mesmo percebi, que os nºs de velocidade final, arrancada e retomadas das 3 motos são muito paracidos (Tite cita os nºs da Twister no teste da Fazer). Achei estranho a velocidade final da Strada (131,4) ser maior que a da Fazer (130,1) e muito parecido com a da TW (134,6) e também a aceleração de 0 à 80 ser superior à da Fazer ( 7,3 na Fazer e 7,2 na Strada) e muito parecido com o da Twister (7,1). A minha dúvida é: vale à pena eu comprar uma moto que custa mais que o dobro da minha (R$ 4.500,00 x R$ 9.500,00) por uma melhora tão insignificante de performance?? Ou estes números dos testes não estão corretos? Josué Nunes (29), Novo Hamburgo, RS
– Oi José, tudo bem. Analisando apenas os números fica difícil a decisão, não é mesmo? Isso porque eles não traduzem todas as diferenças que se pode observar. O que mais eu posso indicar seria você fazer um test-drive com o modelo que mais lhe atrai e ficar atento às diferenças principais em relação à Strada, que na verdade estão realmente nas características de retomada e conforto. No caso da retomada, apesar de os números não indicarem isso de forma notável, as motos de cilindrada maior conseguem um resultado melhor em condições de rotação mais baixa (maior durabilidade) e não exigem tanto do câmbio e embreagem. Na questão do conforto, as suspensões, distribuição de peso e
ciclística do conjunto traz mais estabilidade e controle. Isso vale para quaisquer dos modelos citados, que vão lhe proporcionar um maior conforto e segurança nas rodovias. Boa compra

Regulagem do farol
Caros amigos do Motonline, estou com uma dúvida que “não quer calar”. Como deve ser efetuada a regulagem de altura dos farois da moto? Eu sei pelo manual que na minha Bandit existem 2 parafusos, 1 para ajuste vertical e outro horizontal, mas qual é o procedimento, isto é, qual é o gabarito que uso para efetuar a regulagem? No manual não tem nada, e eu levei em varias oficinas e ou eles não efetuam regulagem de moto ou faziam “de olho”. Já procurei no Google e a única coisa que achei foram regras “de olho” também. Muito obrigado pela atenção! Alexandre Penna (34), Campinas, SP
– Caro Alexandre, As oficinas não têm um procedimento padronizado para ajuste dos faróis de motos. Pode ser que algumas das maiores montadoras passe esse procedimento com o equipamento óptico à sua rede mas o fato é que poucas ou quase nenhuma dispõe dele. Daí a única solução fica sendo a “de olho” ou a mais caseira mesmo e a boa notícia é que é muito fácil. Primeiro encontre os parafusos que ajustam horizontal e vertical e com uma chave apropriada (fenda ou phillips) teste o seu movimento. Em motos mais antigas ou batidas esse dispositivo muitas vezes está estragado, conserte se for o caso. Depois vá a um lugar aberto que pode ser uma garagem ou uma rua nivelada, tranqüila e escura. Coloque a moto a uma distancia de 30 a 50m de uma parede ou a traseira de um carro. Se for contra a parede faça uma marca aproximadamente a 80 cm do chão que seja visível à distância. Acenda o farol baixo e sentado na moto repare a linha de corte do facho que deve estar alinhado com a marca na parede ou na altura da linha inferior do vidro traseiro do carro. Ajuste o vertical para que isso ocorra. Depois, verifique se a direção da moto está bem reta e ajuste o horizontal se for o caso, pois na maioria das vezes não é necessário mas vale a pena verificar. Se a moto tiver bloco óptico para o alto em separado (a Bandit não tem) verifique se este está seguindo o facho do baixo, sem o corte a 80 cm do chão, é claro. Como vê, pode ser feito por você mesmo ou por um amigo e não precisamos sofisticar o procedimento. Importante: Ajuste o farol somente depois de fazer todos os outros ajustes dos comandos e suspensão para seu biótipo, pois isso pode alterar o alinhamento do farol.