500 Milhas da Granja Viana com novidades técnicas

Diminuir a possibilidade de quebras e o tempo das paradas de Box sempre foi o segredo para a vit¢ria nas 500 Milhas de Kart da Granja Viana.

Ter um kart exclusivamente r pido nunca foi a grande preocupa‡Æo das equipes, e neste s bado, quando ser  disputada a s‚tima edi‡Æo da prova, essa estrat‚gia vai continuar valendo. Mas com algumas diferen‡as.

A partir deste ano, os cuidados com o kart serÆo redobrados e os pilotos tamb‚m terÆo que estar bem preparados para conseguir completar a prova. Isso porque o regulamento t‚cnico da competi‡Æo foi alterado e o equipamento usado tem caracter¡sticas completamente diferentes em rela‡Æo ao antigo. “Quem vˆ o kart de longe nÆo percebe nenhuma diferen‡a, mas quando se tira a carenagem, encontramos um chassi mais r pido e moderno, e um motor com caracter¡sticas diferentes”, explica o piloto Caio Travaglini, um dos respons veis pela equipe GTP Motor Sport (Rubi/Semorin/Odecam), que trouxe o francˆs Nicolas Todt ao Brasil.

Os chassis usados na s‚tima edi‡Æo das 500 Milhas nÆo sÆo mais os exclusivos para provas de endurance, e sim os de competi‡Æo homologados pela Condera‡Æo Brasileira de Automobilismo (CBA), vendidos normalmente para as demais categorias do kartismo. Essa troca s¢ foi poss¡vel porque a organiza‡Æo da prova optou por mudar tamb‚m a motoriza‡Æo dos karts, que usavam dois propulsores de 6,5hp e agora sÆo equipados com apenas um de 13hp. “O chassis de endurance era maior por causa dos dois motores, mais pesado e mais lento. Agora temos um equipamento mais r pido, de melhor contorno de curva”, completou Dion¡zio Bola, respons vel pela parte t‚cnica da equipe. “A £nica preocupa‡Æo ‚ com rela‡Æo … durabilidade, j  que o maior peso do motor pode provocar quebras de eixo. Esse chassi, que normalmente carrega 140 quilos nas corridas curtas, vai rodas quase 12 horas com 190kg, o que representa um aumento consider vel na carga”, completou.

As quebras de motor, normalmente comuns nas 500 Milhas, tornaram-se agora o maior problema dos competidores. At‚ o ano passado, o kart que sofresse uma quebra no meio da pista ainda poderia ser conduzido at‚ o box da equipe com a for‡a do segundo motor. A partir de agora, quem ficar pelo circuito ter  que esperar pela equipe de resgate.

A preocupa‡Æo com o preparo f¡sico dos pilotos tamb‚m ‚ grande. Cada um dos mais de 150 inscritos far  turnos de 1h40, aproximadamente, andando em ritmo forte com 72 karts na pista.

A GTP Motorsport tamb‚m disputa regularmente os campeonatos da Granaj Viana, e nas 500 Milhas de kart corre com o patroc¡nio das marcas Rubi, Semorin e Odecam.