96 aviões construídos por estudantes chegam a SJCampos nesta quinta-feira (21)

96 aviões construídos por estudantes chegam a SJCampos nesta quinta-feira (21)

96 aviões construídos por estudantes chegam a SJCampos nesta quinta-feira (21)

Começa nesta quinta-feira, dia 21, a XII Competição SAE BRASIL AeroDesign, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos, SP. Este ano a competição com estudantes de engenharia aeronáutica bateu recorde com 96 equipes inscritas (91 em 2009), num total aproximado de 1,3 mil participantes. Na competição, as 96 equipes, com cerca de 15 universitários cada, vão submeter seus aviões radiocontrolados a avaliações de profissionais da indústria. As equipes são de 79 instituições de ensino superior do Brasil, Venezuela, México, EUA e Índia. A desafiante prova de voo, que acontece a partir de sexta-feira até domingo (22 a 24), é a mais esperada pelos estudantes.

Ao final da competição, as duas equipes da Classe Regular, uma Classe Aberta e uma da Classe Micro, que obtiverem melhores pontuações em suas respectivas categorias ganharão o direito de representarem o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em 2011, nos EUA, onde equipes brasileiras acumulam histórico expressivo de participações: cinco primeiros lugares na Classe Regular, quatro na Classe Aberta e um primeiro lugar Classe Micro, esta disputada apenas a partir de 2010.

Pontos curiosos da competição:
– Nomes atrativos: As equipes possuem diferentes títulos, peculiares às crenças ou às regiões dos estudantes.
Veja alguns nomes:
equipe Fênix, da Universidade Federal do Paraná
equipe Voa Tchê, da UPF – Universidade de Passo Fundo (Rio Grande do Sul)
equipe Trem Ki Voa – da UFSJ – Universidade Federal de São João Del Rei (Minas Gerais)
equipe Uai-Sô-Fly – UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais
equipe Uirapuru – UFP – Universidade Federal do Pará

– Distante da família: Os estudantes passam meses longe dos parentes, confinados dentro das oficinas para construir os aviões. Namoradas, pais, e avós matam a saudade na competição, de longe, na torcida.

– Estudantes preparados: As equipes trabalham como empresas, dividias em áreas e cada estudantes fica responsável pela sua. Afinal, prazos e resultados serão cobrados pelos patrocinadores, outro desafio para viabilizar os aviões e a viagem para a competição. Na competição, os aviões serão avaliados em rigorosos testes realizados por profissionais da Indústria aeronáutica.

– Mistura de sotaques: Os dialetos, de diferentes sotaques e culturas se misturam na troca de conhecimento, num ambiente saudável de aprendizagem. Equipes brasileiras ajudam as extrangeiras e vice-versa.

– Rifas: Para conseguir dinheiro para viabilizar o projeto e a viagem, estudantes realizam rifas e até cursinhos de fim de semana.

– AeroDesign multimídia: Os estudantes focam também na comunicação da equipe, como forma de divulgação para conquistar novos patrocinadores e trocar informações com equipes de outros estados. A maioria das equipes disponibiliza os vídeos dos testes de voo no Youtube, além da criação de Blogs, Twitters e até sites exclusivos para o projeto.

– Resultado: Ao final do evento, as duas equipes da Classe Regular, uma da Classe Aberta e uma da Classe Micro, que obtiverem melhores pontuações em suas respectivas categorias ganharão o direito de representarem o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em 2011, nos EUA.

– Títulos Mundiais: As equipes brasileiras acumulam histórico expressivo de participações nas competições Internacionais: cinco primeiros lugares na Classe Regular, quatro na Classe Aberta e um primeiro lugar Classe Micro, sendo que esta última categoria passou a ser disputada no Brasil apenas a partir de 2009. A SAE East Competition é realizada pela SAE International, que deu origem à SAE BRASIL e da qual esta é afiliada.