A Diavel será a primeira moto premium produzida pela Ducati no Brasil

Ducati anuncia subsidiária e produção de motos no Brasil

O entusiasmado presidente da Ducati, Gabrielle Del Torquio, faz pose na frente da primeira Ducati "brasileira"

O entusiasmado presidente da Ducati, Gabrielle Del Torquio, faz pose na frente da primeira Ducati "brasileira"

A Ducati anunciou hoje em São Paulo sua nova operação no Brasil, com a criação de uma filial, anunciada pelo CEO e Presidente da Ducati Motor Holding SpA, Gabriele Del Torchio.

A nova empresa se chama Ducati do Brasil Indústria e Comércio de Motocicletas Ltda, que irá gerenciar a montagem, distribuição e serviços  da marca em todo território nacional.  Confirmou também a contratação da Dafra, em Manaus, para a montagem dos modelos e a primeira moto será a Diavel, já em pré-produção, com uma unidade exposta na coletiva de imprensa. A produção, segundo o presidente, começa em algumas semanas, supervisionada diretamente por pessoal da matriz italiana de Borgo Panigale, na região de Bolonha, com técnicos e diretores italianos residentes em Manaus.

A Diavel será a primeira moto premium produzida pela Ducati no Brasil

A Diavel será a primeira moto premium produzida pela Ducati no Brasil

A estrutura comercial vem sendo implantada em São Paulo e o presidente Del Torchio anunciou como diretor-administrativo da filial o brasileiro Ricardo Suzini, ex-Honda e como gerente de pós-venda Marcos Truzi, ex-BMW Motorrad.  Para o presidente mundial, a chegada da Ducati ao Brasil é estratégica para a companhia, que agora é controlada pela Audi, do grupo Volksvagen, “no maior mercado emergente do mundo”. Frisou, ao falar do Brasil, que não o considera emergente, mas já emergido. E justificou a escolha da Diavel, um modelo top de linha da marca, pela intenção de iniciar a produção no mercado brasileiro com o que há de mais novo e moderno.

O modelo “de entrada”, mais vendido no mundo é a Monster, seguida da Multistrada.  Mas a Diavel é a que mais cresceu nas vendas, desde seu lançamento mundial em 2010 na EICMA, feira internacional de Milão. Os demais modelos, das famílias Hypermotard, Monster, Multistrada, Streetfighter e Superbike serão importados e com o tempo incluídos entre os montados em Manaus. São, segundo o presidente, motos imbuídas dos valores declarados da Ducati, esportivas de alto desempenho, com tecnologia original (própria) e italianas. A empresa foi fundada em 1926 e passou a produzir motos em 1946.

São ícones do “made in Italy”, vendidos em mais de 80 países – 9 de cada 10 motos produzidas em Borgo Panigale são vendidas no exterior –  e sempre presentes nas competições, com destacada performance no Mundial de MotoGP, campeã em 2007.  No mundial de Superbikes tem mais títulos que todas as outras marcas juntas, 14 de pilotos e 17 de construtores.