Brasil tem mais de 290 mil mortes no trânsito nos últimos cinco anos

Visando um compromisso dos países membros da ONU (Organização das Nações Unidas), entre eles o Brasil, com a diminuição da violência no trânsito, a Comissão Global para a Segurança no Trânsito da ONU lança hoje, dia 11 de maio, um plano de ação para a década 2011/2020. O plano recomenda aos países membros medidas imediatas de atenção e prevenção contra a violência no trânsito que se revela como a principal causa de morte prematura e de ferimentos incapacitantes na população de jovens do mundo. No Brasil, segundo dados da  DPVAT, seguro que indeniza vítimas de acidentes de trânsito no país, os últimos cinco anos deixaram mais de 290 mil mortos nas estradas brasileiras.

“Essa é uma causa muito séria e por isso necessita do apoio de toda a população e das autoridades de trânsito do país. Quando um avião cai, há uma grande comoção da sociedade, porém nas rodovias brasileiras morrem cerca de 160 pessoas por dia e esse número passa despercebido. É um avião por dia de mortos nas estradas brasileiras”, alerta a DPVAT.

O desafio lançado pela ONU é grande – reduzir em 50% os índices de mortalidade. Em todo o mundo, mais de um milhão de pessoas morrem nas ruas e estradas a cada ano. Além dos óbitos, milhares de pessoas ficam feridas, a maioria de forma permanente, formando um gigantesco contingente de incapacitados precoces. No Brasil, os números do DPVAT apontam que nos últimos cinco anos foram mais de 485 mil registros de invalidez permanente devido a acidentes de trânsito.

Como medida de apoio a Década de Ações Para a Segurança no Trânsito, a  DPVAT divulgará boletins trimestrais de pagamentos de indenizações realizados a vítimas de trânsito. “Esperamos desta maneira alertar a sociedade sobre as estatísticas cada vez mais alarmantes de violência no trânsito. Além disso, continuaremos investindo em campanhas educativas”, afirma Ricardo Xavier.