RE Camera

Chegou a nova Yamaha Neo 125

Num movimento preciso de quem está atento ao mercado, a Yamaha apresenta a nova Neo 125, scooter de entrada cujas características apontam para um provável sucesso de mercado. Não apenas pelo produto, mas também pelo momento que ele chega ao mercado, que tem o segmento de scooter em alta enquanto que o mercado geral está em baixa. As estatísticas apontam para que o segmento de scooter alcance mais de 5% do total em 2017 e a Yamaha quer seu espaço nesse bolo.

Veja o vídeo oficial da nova Yamaha Neo 125

Presente no segmento entre 2004 e 2013, o scooter Yamaha Neo 115 vendeu 80 mil unidades naqueles 9 anos, mas a concorrência era forte com vários outros produtos, inclusive com os CUB. Mas agora sua chegada acontece no momento em que a líder Honda não tem produto na base do segmento de scooter, já que o Lead foi descontinuado, a Suzuki tem o Burgman 125i e a Dafra acaba de chegar com seu Fiddlle III, estes dois últimos com preços bem acima do preço de lançamento do novo Yamaha Neo 125, que chega por R$ 7.990,00.

Susini: Grande potencial para a Neo 125 nos compradores de CUB

Susini: Grande potencial para a Neo 125 nos compradores de CUB

O diretor comercial da Yamaha, Ricardo Susini, informa que a marca almeja chegar a 40% de participação no segmento e estima que 800 unidades representem este porcentual. “As circunstancias atuais de mercado nos mostram que temos todas as condições de conquistar um bom espaço no segmento e nosso produto tem qualidades e preço para isso”, afirma Susini. A Yamaha aposta ainda, além do preço de R$7.990,00, num atraente pacote de benefícios aos compradores do Neo 125, como revisão com preço fixo, assistência 24 horas em todo o Brasil e um seguro total com preço mais baixo que o mercado (em torno de R$600,00) para o primeiro ano.

A Yamaha projeta que o público alvo do novo scooter Neo 125 seja 80% formado por novos motociclistas, predominantemente jovem e que as mulheres sejam maioria (60%). Essa projeção faz todo o sentido, pois basta olhar as ruas das grandes cidades e também no interior do País para verificar que o público feminino predomina no segmento de scooter e também de CUB. “Percebemos um enorme potencial para atrairmos clientes que hoje usam CUB e desejam algo mais moderno e prático”, fala Susini. Percebe-se, portanto, que a Yamaha aponta suas armas também para atingir um mercado hoje dominado quase que 100% pela Honda com o seu Biz.

Há ainda outro grande potencial que são as pessoas que já possuem um automóvel, mas não desejam continuar utilizando-o diariamente, e buscam uma alternativa para se transportar nos centros urbanos de forma rápida e eficiente. “Acertamos estes consumidores com o NMax 160 e agora achamos que o Neo 125 também pode agradar este público que chamamos na Yamaha de ‘seis rodas’ porque já tem o automóvel e deseja mais duas rodas da moto”, explica o diretor da Yamaha.

A motinho é muito leve: apenas 96 kg em ordem de marcha

A motinho é muito leve: apenas 96 kg em ordem de marcha

Totalmente Neo

A moto realmente sai do visual tradicional dos scooter e lembra algum daqueles super-heróis japoneses (Jaspion, talvez !?!?). Realmente ela é diferente de qualquer outra moto que se tem hoje no mercado. E quem a vê não diz imediatamente que se trata de um scooter. Com muitos cantos, ângulos e recortes, o design da Nova Yamaha Neo 125 se destaca pelas rodas maiores aro 14″, pelos faróis em LED e com luz branca, pelo piso “flat” (liso) e pelo perfil muito esguio, mais magrinho do que os scooter tradicionais, normalmente mais gordinhos.

Design foge do convencional e não passa desapercebido no trânsito

Design foge do convencional e não passa desapercebido no trânsito

Equipado com um motor de um cilindro, arrefecido a ar, com capacidade cúbica de 125 cc e que desenvolve 9,8 cv de potência máxima e 0,98 kgf.m de torque máximo, o Neo 125 tem um conjunto mecânico muito agradável. Na apresentação que a Yamaha proporcionou, pudemos circular pelas congestionadas ruas de São Paulo e também por grandes avenidas e foi possível perceber que, combinado com a transmissão automática tipo CVT (Transmissão Continuamente Variável), o novo scooter vai muito bem, até além da expectativa, com boa arrancada e que rapidamente chega aos 80 km/h no velocímetro.

Esse novo motor pertence à nova geração de motores Yamaha, mais compactos e eficientes, nos quais se aplicam novas tecnologias, como DiAsil (Die cast Aluminum silicon), uma composição de material que funde alumínio com silício e torna o cilindro mais leve e com melhor capacidade de dissipação térmica e resistência mecânica.

Opção para o trânsito urbano, Yamaha informa que consumo é superior aos 40 km/l

Opção para o trânsito urbano, Yamaha informa que consumo é superior aos 40 km/l

Os freios, à disco na dianteira e tambor na traseira são equipados com o sistema UBS (Sistema de Freio Unificado), que aplica 30% da força de frenagem na roda dianteira quando se aciona apenas o freio traseiro. Outra característica que traz mais segurança ao produto é o descanso lateral equipado com o sistema auto-stop, que desliga o motor no momento em que é acionado. O baixo peso (96 kg em ordem de marcha), as rodas grandes (aro 14″) equipadas com pneus Metzeler Feel Free Front sem câmara e o chassi muito simples, colaboram para um comportamento equilibrado da moto em qualquer situação de uso. Aquele desagradável balanço típico de scooter não existe.

Visual de super-herói japonês pode não agradar a todos os públicos, mas os faróis de LED são muito bonitos

Visual de super-herói japonês pode não agradar a todos os públicos, mas os faróis de LED são muito bonitos

Como destaque, foi possível perceber que o Neo 125 “serpenteia” com muita facilidade no meio do trânsito parado e passa fácil por espaços mais apertados, fruto de seu perfil esguio e do baixo peso, o que dá segurança ao piloto, pois o centro de gravidade bem baixo mantém a motinho sob total controle. Apesar de normalmente serem outro ponto crítico em scooter, as suspensões estão acima da média no novo Neo 125. O garfo telescópico na dianteira (curso de 90 mm) e o único amortecedor na roda traseira cumprem bem o seu papel e até poupam o piloto daquelas pancadas mais duras que são sensíveis às costas dos pilotos em scooter convencionais, o que mostra que a Yamaha dedicou especial atenção ao assunto. Colabora para isso o duplo link com coxins de borracha na junção da balança traseira com o chassi que, se não amplia o curso, lhe dá mais precisão e a torna mais resiliente.

Motor compacto e um bom trabalho na suspensão deu à moto capacidade acima da média para absorver buracos

Motor compacto e um bom trabalho na suspensão deu à moto capacidade acima da média para absorver buracos

Quando se fala em conforto e funcionalidade para o usuário, o assunto tem que ser levado muito a sério em scooter. E o Neo 125 traz vários itens que atendem bem as necessidades de quem busca a praticidade desse tipo de veículo. Há dois espaços abertos no escudo frontal e mais um bom espaço sob o banco para um capacete aberto e outros pequenos objetos (14 litros). A tradicional alça para pendurar sacolas também está lá e o piso liso colabora para este “espaço” extra, além de dois ganchos para pendurar capacetes se o espaço sob o banco precisar ser utilizado para outra coisa. Completam a parte prática e funcional a boa proteção do escuto frontal para os pés e a facilidade do acelera e freia sem precisar trocar marchas, bem simples e eficiente.

Branca, vermelha e cinza: nas lojas na segunda quinzena de outubro por R$ 7.990,00 e um bom pacote para atrair novos motociclistas

Branca, vermelha e cinza: nas lojas na segunda quinzena de outubro por R$ 7.990,00 e um bom pacote para atrair novos motociclistas

O painel traz o essencial para o veículo: além do velocímetro e do marcador do nível de gasolina no pequeno tanque de combustível (4,2 litros), há as luzes espia do funcionamento do motor, do pisca, do farol alto e a função ECO, que indica o momento de pilotagem mais econômica. Outras facilidades do Neo 125 são a presença do cavalete central e do descanso lateral, a trava do guidão acompanhada do fechamento magnético do local onde a chave entra para a partida, o que impede a abertura mesmo com objeto semelhante, a abertura do banco na chave, a assistência 24 horas em qualquer local do Brasil pelo período de 12 meses, que inclui reboque, socorro mecânico, chaveiro, troca de pneus, pane seca, hospedagem, taxi e despachante e a revisão com preço fixo.

A nova Yamaha Neo estará disponível na segunda quinzena de outubro deste ano nas cores: Magma Red (Vermelho Metálico), Branco Cristal (Branco Metálico) e Matt Grey (Cinza Fosco) ao preço sugerido é de R$ 7.990,00 + frete.

NEO 125 – FICHA TÉCNICA

MOTOR

Tipo Monocilíndrico 4 tempos, SOHC, 2 válvulas, Refrigeração a ar
Cilindrada 125cc
Potência máxima 9,8cv a 8.000 rpm
Torque máximo 0,98Kgf.m a 5.500 rpm
Sistema de partida Elétrica
Alimentação Injeção eletrônica

TRANSMISSÃO e CÂMBIO

Transmissão Engrenagens (primária e secundária)
Câmbio CVT

DIMENSÕES e CAPACIDADES

Comprimento 1.870 mm
Largura 865 mm
Altura 1.070 mm
Altura do assento 775 mm
Dist. entre eixos 1.260 mm
Suspensão diant. Garfo telescópico (Curso da roda = 90 mm)
Suspensão tras. Motor Balança (Curso da roda = 80 mm)
Peso Seco Seco = 92 kg  –  Em ordem de marcha = 96 kg
Capacidade do cárter 0,84 litros
Capacidade do tanque 4,2 litros – gasolina

FREIOS e PNEUS

Pneu dianteiro 80/80 14M/C
Pneu traseiro 90/80 14M/C
Freio dianteiro Disco hidráulico Ø 200 mm
Freio traseiro Tambor mecânico Ø 130 mm

OUTROS

Cores Matt Grey (Fosco) – Branco Cristal (Metálico) – Magma Red (Metálico)
Painel de instrumentos Velocímetro analógico, hodômetro total, marcador do nível de combustível e função ECO

Separador_motos



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.