nc700x-1344858278

Honda NC700 X, prós e contras

Prós

Hoje após 10 mil km rodados na moto me sinto confortável em avaliar a mesma, ao contrário de certas avaliações onde a pessoa dá uma volta na moto e fala com propriedade como se tivesse a moto a mais de ano…

A moto vive em giro baixo, o que em tese aumenta muito a vida útil e desgaste de peças.

A moto vibra pouco, praticamente como uma 4cil. É confortável tanto para o piloto quanto para o garupa. Utilizo-a no dia a dia, cerca de 60km diário e já fiz duas viagens totalizando 4 mil km.

Utilizo bau e alforges da Givi, por isso não vejo problema algum em ter que levantar o banco do garupa para abastecer, visto que é obrigatório descer da moto ao abastecer, sem contar as questões do próprio corpo, como fazer um alongamento. E desculpem, mas uma pessoa que gasta 30 mil numa moto amarrar bagagem no banco é porque precisa rever seus gastos.

O consumo dela é ótimo nessa época em que a gasolina está a 3 reais o litro, fazendo médias de 28 a 30 km/l. Manutenções a cada 6 mil km, sendo que o maior gasto virá a cada 18 mil km (troca do filtro de ar) e 48 mil km (troca das velas) o resto é só verificação e troca de óleo. Até o momento não tive problemas com a moto.

A grande sacada da moto é o bau no local comum do tanque, aquilo salva qualquer um. Leva mochila, carteira, celular…

Hoje, depois de 10 anos andando de moto posso afirmar que encontrei a moto perfeita para meu uso, união de uma moto para utilizar no dia a dia e poder ao mesmo tempo fazer viagens longas sem problema algum.

Econômica, confortável, estável, potente. Muitos discordam nessa questão de potencia, mas falar que uma moto que pega 180 km/h com garupa, bau, alforges, ter 6.4 de torque a 4.750 rpm ser chamada de fraca? Ela pode ser menos potente que as concorrentes, mas fraca não é.

Contras
A moto, ao meu ver, tem dois pontos contras:
1 – Esse eu já comprei a moto sabendo, falta um cavalete central, em viagens é uma mão na roda para lubrificar a corrente ou algum eventual reparo na moto. E não encontro no Brasil, apenas fora.
2 – Esse só percebi depois, falta um para lama traseiro, qualquer poça de água suja muito a moto, principalmente a perna do garupa.

Fora isso tem alguns detalhes, como os comandos de seta e buzina que são invertidos, com o tempo você acostuma, facilita para dar seta, mas para buzinar é meio complicado em alguma situação de emergência.

CONDIÇÃO DO TESTE:
Tempo de Uso: Menos de um ano
Ano de Fabricação: 2012
Tipo de uso: Meio de transporte
Terreno testado: Urbano, estrada, pista
Quilometragem: 10.000 Km

Avaliado por “Pegasus” e publicado na Comunidade Motonline .Trinta e seis pessoas concordaram com a avaliação.