nc700X_abre

Lançamento Honda NC 700X

NC 700X é uma crossover; jeitão de trail, mas pegada de naked

NC 700X é uma big trail com vocação para asfalto que a Honda chamou de Crossover

Quando a Honda mostrou-a no Salão de Milão de 2011, os olhares foram atraídos pelo design. Ela parece uma big-trail, mas os pneus não deixam qualquer dúvida de que se trata de uma moto para asfalto. Agora a Honda mostra seu apetite para o mercado brasileiro e praticamente seis meses depois da Europa, o Brasil já tem disponível a NC 700X.

A Honda a denominou como uma Crossover. O que é isso? Para se entender melhor este novo conceito no mundo das motos é necessário olhar para o segmento automobilístico. A explosão de vendas de SUV (Sport Utility Vehicle) nos últimos anos se deu porque as fábricas resolveram levar para os 4X4 (jipes) itens de conforto dos automóveis sedans. Em seguida, a indústria percebeu que 90% dos compradores de SUV jamais usavam o carro em pisos sem asfalto. Surgiram os Crossovers, um automóvel sedan com jeitão de SUV.A Honda faz o mesmo com esta moto, seguindo um pouco o que a Kawasaki já fez com sua linha Versys e que certamente outras marcas farão. Portanto, a NC 700X é uma crossover, moto que apresenta aspectos de big trail mas performance para puro asfalto. O resultado foi possível ser experimentado em rápido test-ride na pista da Moto Honda da Amazônia, em Manaus (AM), onde a moto realmente se mostrou equilibrada no asfalto.

Onde estaria o tanque há um porta-capacete e na rabeta, o tanque de combustível

Onde estaria o tanque há um porta-capacete e na rabeta, o tanque de combustível

A NC 700X vai além das funbikes e supermotards, guardadas as devidas proporções evidentemente. Aquelas são motos trail com pneus para asfalto e essa é uma moto desenvolvida para o asfalto com algumas coisas das trail. Pelo seu conceito, as diferenças são notadas em todos os detalhes. A começar pelo exclusivo porta-capacete localizado onde tradicionalmente é o tanque de combustível, o motor bicilíndrico em linha de 669,6 cm, com arrefecimento a líquido e eixo anti-vibração e o bocal do tanque de combustível na rabeta da moto. O conjunto de suspensões de longo curso também contribui para a pilotagem nas cidades e atribui mais esportividade ao modelo.Todas estas características, aliadas ao design diferente, à ótima agilidade e estilo aventureiro, resultam num modelo que a Honda espera movimentar e estimular este novo segmento de motos premium. “Esta é a sexta moto da categoria premium que a Honda fabrica no Brasil e isso mostra nossa disposição e capacidade de produzir aqui em Manaus qualquer modelo de moto que o mercado apresentar demanda”, falou Alfredo Guedes, supervisor de Relações Públicas da Honda.

Painel completo e totalmente digital; dificuldade para visualizar o contagiros

Painel completo e totalmente digital; dificuldade para visualizar o contagiros

O projeto da NC 700X procura baixar o centro de gravidade com as linhas angulosas. Sua carenagem foi desenhada em conjunto com o para-brisa para reduzir o arrasto aerodinâmico. Na dianteira o conjunto óptico tem farol com lâmpadas em LED de 60/55 W, ideal para auxiliar o motociclista na pilotagem com baixa visibilidade por conta de seu alto poder de iluminação. O painel de instrumentos é totalmente digital em LCD. É possível obter informações sobre a rotação do motor, relógio, indicador de combustível, hodômetro total e parcial.A posição de pilotagem também merece destaque, pois o guidão elevado e o assento com altura de 831 mm em dois níveis propiciam que tanto o motociclista quanto o garupa rodem com conforto e segurança. O tanque de combustível com capacidade para 14,1 litros oferece boa autonomia. A Honda realizou um teste de consumo com a NC 700X para demonstrar sua grande economia de combustível, chegando a 33 km/l em condições absolutamente favoráveis, sem paradas e sem passar de 70 km/h numa pista de 8 km.

Ágil e confortável, NC 700X parece uma moto bem menor para conduzir

Ágil e confortável, NC 700X parece uma moto bem menor para conduzir

O motor da NC 700X é completamente novo e foi concebido a partir de muitas pesquisas. O modelo é equipado com um novo motor bicilíndrico em linha OHC, com comando único no cabeçote, 669,6 cm³, quatro tempos, refrigeração a líquido, dotado de pistões paralelos a 62º, de 73 mm diâmetro e curso de 80 mm. Extremamente compacto, o motor é capaz de gerar potência máxima de 52,5 cv a 6.250 rpm, e torque máximo de 6,4 kgf.m a 4.750 rpm, assegurando potência equilibrada para uso nos centros urbanos e torque de sobra para garantir grande agilidade em uso urbano.

O motor é bastante inclinado à frente, o que ajuda na distribuição de peso

O motor é bastante inclinado à frente, o que ajuda na distribuição de peso

O motor corta a aceleração em 6.500 rpm. “Privilegiamos o torque nas três primeiras marchas e alongamos as três últimas”, explicou Guedes. Na prática, o piloto tem que aprender a trocar as 3 primeiras marchas bem rápido, sem deixar o giro subir demais. Seu bloco é inteiramente novo e possui catalisador mais próximo da saída dos cilindros, o que mantém alta a temperatura de funcionamento e ajuda a reduzir o consumo. A Honda garante grande autonomia como uma das principais características desta motocicleta. O sistema de injeção eletrônica PGM-FI (Programmed Fuel Injection) contribui para a redução do consumo de combustível em qualquer situação de uso.O chassi é tubular em aço, com distância entre eixos de 1.538 mm, o que contribui para a estabilidade da motocicleta, principalmente com garupa e bagagem. Pensando em uma pilotagem confortável e esportiva, o conjunto de suspensões apresenta, na dianteira, garfo telescópico com 153,5 mm de curso. Na traseira, conta com mono-amortecedor do tipo Pro-Link, com 150 mm de curso e regulagem na pré-carga da mola.

Chassi tubular usa o motor como parte da estrutura

Chassi tubular usa o motor como parte da estrutura

As rodas são de liga leve de 17’’ equipadas com pneus street de configuração 120/70 na dianteira e 160/60, na traseira. O sistema de freios tem duas versões: com ou sem ABS. A Standard recebe freios a disco de 320 mm de diâmetro na dianteira e cáliper de dois pistões. Na traseira, o disco único de 240 mm de diâmetro é acionado por cáliper de um pistão.A versão com freios Combined ABS (C-ABS), apresenta, na dianteira, pinças de três pistões. O sistema reúne os benefícios do ABS (Anti-lock Brake System) e do CBS (Combined Brake System). Enquanto o primeiro evita o travamento das rodas em frenagens bruscas, facilitando o controle do veículo em situações de emergência e permitindo manter seu controle direcional, o segundo distribui a força de frenagem entre as rodas dianteira e traseira.A mecânica dessa moto é compartilhada também com outros novos modelos: o scooter Integra e a versão naked NC 700S na Europa. Mas para o Brasil, pelo menos por enquanto, apenas a NC 700X está à venda. Seu preço de lançamento é R$27.490,00  (STD) e R$ 29.490,00 (c/ ABS) e a Honda estima a comercialização de 300 unidades mensais a partir de julho/2012 e pretende aumentar a produção e chegar a 6.000 unidades nos primeiros 12 meses.

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico.