Os números do Gran Premio da Italia TIM

Os números do Gran Premio da Italia TIM

Os números do Gran Premio da Italia TIM

Uma selecção de números, estatísticas e factos interessantes sobre a quarta ronda do Campeonato do Mundo de MotoGP de 2010 em Mugello.

388 – Nenhum dos três italianos que alinhou na grelha de 125cc em Le Mans viu a bandeira de xadrez. A última vez que tal aconteceu foi no GP de França de 1982 em Nogaro; é uma sequência de 388 corridas de 125cc em que pelo menos um piloto italiano chegou ao final. Contudo, a corrida de Nogaro, em 1982, foi alvo de boicote por parte de vários pilotos de topo devido a questões de segurança. Antes disso, a última corrida de 125cc em que não houve italianos a cruzar a meta foi no Grande Prémio da Finlândia dem 1979.

150 – No Grande Prémio de Itália Joan Olivé vai levar a cabo o seu 150º GP. Olivé não falhou uma corrida desde que se estreou nos Grandes Prémios na classe de 125cc, na primeira corrida de 2001 no Japão. Ele será o quarto piloto mais jovem de sempre a atingir o marco de 150 partidas, atrás de Dani Pedrosa, Marco Melandri e Alex de Angelis.

100 – No Grande Prémio de Itália Mattia Pasini vai levar a cabo o seu 100º GP. Pasini estou-se nas 125cc na primeira corrida de 2004, na África do Sul. Desde que se estreou falhou apenas uma corrida, o GP de França de 2005, altura em que caiu e fracturou o pulso esquerdo durante a qualificação.

70 – Jorge Lorenzo somou 70 pontos nas primeiras três corridas do ano. O melhor total de pontos de um piloto da categoria rainha ao cabo de três jornadas desde que Valentino Rossi somou também 70 pontos nas três primeiras rondas de 2005.

62 – A Itália, em conjunto com a Holanda e Grã-Bretanha, é um dos apenas três países que recebeu Grandes Prémios em cada um dos 62 anos de história do Campeonato do Mundo, que começou em 1949.

49 – A pole position de Valentino Rossi em França foi a 49ª da carreira na categoria rainha. Os recordes de pole positions só estão disponíveis desde 1974, sendo que a liderança desta tabela está a cargo de Mick Doohan com um impressionante total de 58. Mais nenhum piloto soma mais poles que Rossi na categoria rainha.

20 anos – A pole de Kenny Noyes no GP de França foi a primeira de um piloto norte-americano fora da categoria rainha desde que John Kocinski foi o mais rápido da qualificação para a corrida de 250cc do Grande Prémio da Austrália de 1990.

8 anos – Antes do GP de França tinham-se passado oito anos desde que os mesmos três pilotos venceram dois Grandes Prémios consecutivos nas suas respectivas categorias. Em 2002 Arnaud Vincent (125cc), Marco Melandri (250cc) e Valentino Rossi (MotoGP) ganharam o GP de Inglaterra nas suas categorias e repetiram o feito uma semana mais tarde na Alemanha. Os mesmos três pilotos acabaram por ganhar os respectivos ceptros nesse ano.

7 – A vitória de Jorge Lorenzo em França foi a sua sétima numa máquina de MotoGP. Apenas menos uma que o seu grande rival Dani Pedrosa. Apenas dois outros espanhóis têm mais triunfos na categoria rainha: Sete Gibernau, com nove, e Àlex Crivillé com 15.

7 – Pol Espargaró é o sétimo piloto mais jovem de sempre a ganhar dois GPs consecutivos. Os outros seis são: Marco Melandri, Valentino Rossi, Loris Capirossi, Dani Pedrosa, Manuel Poggiali e Jorge Lorenzo.

5 – Apenas cinco pilotos somaram pontos nas três corridas já disputadas de Moto2: Toni Elías, Simone Corsi, Sergio Gadea, Gabor Talmacsi e Roberto Rolfo.

3 – Jorge Lorenzo terminou à frente de Valentino Rossi nas duas últimas corridas de MotoGP. Se Lourenzo voltar a bater o rival e companheiro de equipa em Mugello será a primeira vez que Rossi se vê batido por três vezes seguidas pelo companheiro de equipa desde que entrou para o MotoGP em 2000.