Pilotos fazem doação na Mauritânia

Em dia de descanso, equipe brasileira distribuiu 70 camisetas em ONG para crian‡as na periferia de Nouakchott.

Enquanto os mecƒnicos brasileiros davam duro para recuperar a moto, o carro e o caminhÆo da Equipe Petrobras Lubrax, os pilotos Jean Azevedo, Klever Kolberg e Andr‚ Azevedo utilizaram o dia de descanso para prestar solidariedade …s crian‡as de Nouakchott, capital da Mauritƒnia. O trio distribuiu 70 camisetas do Brasil para meninos e meninas na ONG Caritas, na periferia da cidade.

“Sempre trazemos grandes lembran‡as da µfrica e nunca ‚ demais deixar alguma lembran‡a tamb‚m”, disse Andr‚ Azevedo, piloto do caminhÆo Tatra. Do aeroporto at‚ a sede da ONG, meia hora de t xi por uma rua de asfalto ladeada de casas de barro e em meio a um trƒnsito desordenado e tomado por carros caindo aos peda‡os. A grande maioria das demais ruas de Nouakchott ‚ de areia. Desde os anos 60, a regiÆo passa por um rigoroso processo de desertifica‡Æo. Os fortes ventos, comuns na cidade, levantam a areia e colocam certos pontos da cidade debaixo de uma constante n‚voa.

“ muito bom ver o sorriso no rosto das crian‡as”, disse Jean sobre um pa¡s no qual a taxa de analfabetismo supera os 50% da popula‡Æo. Klever Kolberg tamb‚m mostrava satisfa‡Æo com a doa‡Æo, feita por volta do meio-dia (hor rio local) deste domingo. “No rali, vemos muita pobreza.  bom poder parar o carro por um dia e ajudar de alguma forma”, afirmou o piloto.

Minutos depois de conseguir, com muita habilidade, organizar a fila formada por dezenas de crian‡as, Diallo Amadou Maia, diretor da ONG agradeceu aos brasileiros. “Somos muito grato por esta gentileza”, disse. “Mais do que nunca, vamos torcer por vocˆs no rali e pela sele‡Æo brasileira na Copa do Mundo”, afirmou Amadou. Desde 1990, quando foi criada, a Caritas j  atendeu mais de 22 mil crian‡as. “SÆo mais de 1.400 crian‡as por mˆs”, calculou o diretor. “Desnutri‡Æo, desidrata‡Æo e questäes pr‚-natal sÆo os principais problemas que chegam a n¢s”, revelou.

· tarde, os pilotos voltaram para o acampamento onde acompanharam os ajustes feitos nos ve¡culos. O motor da KTM de Jean Azevedo foi trocado. “ apenas uma precau‡Æo”, disse o mecƒnico Geraldo Lima. Jean vem subido de posi‡Æo a cada etapa e chega … metade do rali em nono lugar, colocado o oitavo e no s‚timo. “Vou para a barraca e descansar. Ainda tem muita prova pela frente.”

Ronaldo Pinto e Mira Martinec tamb‚m nÆo tiveram descanso nesta parada do Dakar. Ambos tentavam deixar o Tatra de Andr‚ Azevedo pronto para a segunda metade da prova. Depois de se firmar entre os trˆs mais r pidos no Dakar, o ve¡culo apresentou problemas mecƒnicos na suspensÆo e no cƒmbio, derrubando a equipe para a 5¦ posi‡Æo.

Os mecƒnicos da Tibau, equipe encarregada de tomar conta do Mitsubishi Pajero da dupla Klever Kolberg/Eduardo Bampi utilizaram o dia de folga (do rali) para acertar alguns problemas apresentados pelo carro nas £ltimas etapas. “Agora ‚ a hora de descansar, de deixar as dores no corpo diminu¡rem. At‚ amanhÆ, a vontade de pilotar j  vai ter voltado”, garantiu o piloto, que ao lado do navegador Eduardo Bampi ocupa a 13¦ coloca‡Æo na prova.