Moto coletivo

Quantos habitantes cabem em cada moto?

A pergunta feita no título deste artigo parece absurda, mas reflete o nível de desenvolvimento do transporte de uma cidade, região e até de um país. O IBGE e o Denatran atualizaram até julho de 2012 os dados sobre a população brasileira e sobre a frota de veículos automotores no Brasil, respectivamente.

Rondônia lidera o ranking estadual de habitantes por moto

Rondônia lidera o ranking estadual de habitantes por moto

E os dados mostram que o Brasil está com a média 10. Calma, isso não significa nota máxima, até porque neste índice nota máxima não se aplica. Mas ter o índice 10 significa que, em média, o Brasil tem 10 habitantes para cada moto. Ou seja, em números aproximados, no Brasil tem 193 milhões de habitantes e algo próximo de 19 milhões de motocicletas.

Você acha esse índice importante? Para quem planeja as cidades brasileiras e precisa pensar de que forma  as pessoas vão se movimentar nelas, esses índices mostram com clareza onde é preciso investir e de que forma. A liderança de Rondônia, por exemplo, mostra com clareza que o índice baixo não representa a preferência das pessoas em utilizar a moto, mas possivelmente, que as pessoas não tem muitas opções de transporte coletivo e tampouco possuem renda para comprar um carro.

Deve-se levar em consideração ainda que, nestes números do Denatran só estão incluídas as motos com licenciamento (emplacadas) e, portanto, em muitas cidades do interior, sobretudo dos estados das regiões Norte e Nordeste, o número de motos trafegando é maior, colaborando para “melhorar” o índice de habitantes por moto nestes estados. Assim, as informações de que em muitas cidades as autoridades de trânsito não estão atentas (para ser respeitoso com estas autoridades) ao problema do licenciamento de motos e do uso de equipamentos de segurança pelos motociclistas, de certa maneira justificam-se. Ao menos como política municipal de transporte. Afinal, esse cidadão que usa moto é um a menos que precisa de transporte público.

Taiwan: estímulo ao uso, privilégios no trânsito, para estacionar e regras rígidas de segurança

Taiwan: estímulo ao uso, privilégios no trânsito, para estacionar e regras rígidas de segurança

Um bom e saudável exemplo de política para transporte se encontra em vários países da Ásia, onde a moto faz parte da cultura e onde há estímulo ao uso da moto como transporte individual nos centros urbanos. Importante que se entenda por “estímulo” preços baixos, espaços para trafegar nas grandes avenidas e rodovias e algumas regras de trânsito que facilitam o tráfego. Mas tudo isso vem acompanhado de regras, fiscalização e punição. É o caso, por exemplo, de Taiwan, onde o volume de pequenas motos e scooters é enorme e não se vê grandes congestionamentos em parte alguma.

Já que estamos em ano de eleições municipais, nas próximas semanas Motonline publicará o ranking de habitantes por moto nas capitais dos estados brasileiros. Você que é motociclista, já pode ir pensando em cobrar seu candidato sobre as políticas de estímulo ao uso saudável da motocicleta. Quem sabe sua cidade não colabora para melhorar o índice do seu estado.