Reclamação, passaporte e financiamento

Reclamação, passaporte e financiamento

Reclamação, passaporte e financiamento

Reclamação – Antes de fazer esta reclamação pensei por várias vezes e revisei muito este texto para não cometer nenhuma injustiça, mais acho que algo deve ser revisto para a reparação destes erros que tem acontecido. Adquirir diretamente na loja a cota 0274-00 do grupo 004404 há algum tempo, já possuo uma outra moto no meu nome também, e sempre fui uns dos clientes que melhor divulgava a qualidade dos produtos e prestação de serviços da Yamaha e me pesa muito dizer que desta vez o Pós Venda “sacaniou” feio comigo. Eu adquirir a cota, solicitei o lance, paguei e mandei a documentação até então solicitada a mim pela loja, simplesmente os documentos voltaram devido a renda do fiador que foi informada ser inferior a 3 vezes o valor da parcela das duas motos juntas, algo que não foi dito pela concessionária no ato de envio dos documentos, refiz os documentos com a renda atual, uma vez que a anterior informada foi através da declaração de IRPF 2007 e teve mudança para 2008, agora fui informado que o cônjuge tem restrições e interfere na aprovação também. Meu Deus, como uma concessionária que faz estes processos há vários anos e várias vezes por mês não filtraram estas informações desde o início e porque o setor de aprovação de cadastros não informou todas as irregularidades da primeira vez que o processo foi rejeitado, sinceramente, estou decepcionado com o grupo Yamaha. Já estou tomando medidas necessárias para a correção dos dados, mais penso que não sou um cliente tão importante para vocês como pensava e que sempre defendia perante há amigos e até mesmo um Gerente da principal concorrente. Minha moto irá atrasar em pelo menos um mês devido a todo este transtorno, e pela primeira vez depois de tempos estou sem ânimos para obter um bem novo de vozes, não tenho mais toda aquela animação e confesso que pensei até mesmo em desistir da moto devido a isto tudo e vender a cota, de que adianta me oferecerem um consorcio com taxas menores se existe pesares maiores na entrega do bem. Marcelo Moreira Campos(23) Ariquemes, RO
– Marcelo, o ideal seria mais dados, como quem é o consorciado (entendi que é você), valor da motocicleta, valor da parcela, prazo, quantas parcelas liquidadas, pra eu lhe auxiliar melhor. Mas vamos lá: quando sua cota de consórcio é sorteada ou recebe o lance, você escolhe a moto que ficará alienado, como garantia, ou seja, a partir do momento que saiu a documentação da moto, você assinou os documentos, a relação de consumo já não é mais de mero consorciado, mas de financiado, pois há uma análise de crédito. Dependendo do seu salário mensal ou poder aquisitivo, aliado a garantia que será a moto, não é necessário fiador. Será necessário fiador em duas situações: a) seu nome/CPF estar negativado nos órgãos de proteção de crédito; b) sua renda não ser o suficiente. No caso da hipótese “a”, obviamente, seu fiador deve ter rendimento mensal, como se fosse ele o consorciado, além de nome/CPF não estar negativado. Se sua cônjuge não será fiadora e nada tem haver com a relação de crédito, tal exigência se tornar abusiva e portanto passível de sofrer as conseqüências ditadas pelo Código de Defesa do Consumidor. Agora seu desabafo é justo, todavia, na hora de vender a cota, a empresa de Consórcio deveria fazer toda pré-análise, especialmente, quanto ao rendimento, mas isto é um assunto que será desenvolvido. Não desanime e curta sua moto nova. Abraço

Passaporte
Estou programando uma viagem para o final de novembro/08,de Maringá-Montevideo-Buenos Aires, eu e mais um amigo,eu de Falcon ele de Twister,num, prazo de 02 semanas,é preciso de passaport, ou a carteira de identidade ja resolve, a habilitação nossa é valida ou precisa uma internacional. Quanto a seguro particular, e algum apropriado e seguradora, qualquer uma (idonea)sabera tomar as providencias, ou é no momento de entrada dos paises que se resolve as pendências. O que for possivel vcs responderem já agradeço antecipadamente. Heriton Rui de Freitas (41) Maringá PR
– Heriton nos países do Mercosul, não é necessário passaporte, basta a cédula de identidade RG. Todavia, o ideal é que sua expedição seja recente e igualmente a foto seja recente.Não é necessário uma carteira de habilitação internacional, a nossa é válida. Documento da motocicleta deve estar no nome do condutor.Carta verde, que se trata de um seguro internacional, que não pode ser esquecido jamais.Você pode adquirir a Carta Verde em Instituições Financeiras, Seguradoras e algumas Corretoras de Seguro. O custo da Carta Verde, depende dos dias de viagem e a importância segurada para danos pessoais e danos materiais ( por terceiro).O seguro sempre se inicia as 24:00hs ou 0 hs, portanto, o ideal é que ele inicie as 24 horas ou 0 hs do dia que você passará pela fronteira. Exemplo: vai passar às 9 hs da manhã do dia 15/11/2008, o seguro deve iniciar-se às 0:00 hs desse dia. Se iniciar-se as 24hs do dia 16/11/2008, você não passa pela fronteira até o dia seguinte. No mais, boa sorte, bom passeio, mas a sorte e o bom passeio, consistem em algumas atitudes como revisão das motos, equipamentos de segurança (luva, botas, jaquetas, capacetes de qualidade) e, acima de tudo, uma boa dose de bom senso na pilotagem. Com diz nosso amigo João Tadeu: “Vida Longa”!!!
Um grande abraço e depois nos narre suas aventuras.

Financiamento
boa tarde me chamo claudete gostaria de financiar uma cg125 mas tenho um carro financiado em meu nome sou aposentada tenho renda comprovada valor de 3.580,00pago 480,00reais de prestasao mas estao em dias nunca atrasei se tiver como me ajudar a financiar por favor me liga ou por imail com urgência obrigado. Claudete irene batista(32) guarullhos sp
– Sra.Claudete, o valor de uma CG125 0Km é de R$ 5394,00 (cinco mil, trezentos e noventa e quatro reais). A Honda está numa campanha, onde o consumidor dá uma entrada de R$ 790,00(setecentos e noventa reais) e paga mais 42 (quarenta e dois) parcelas de R$ 185,00 (cento e oitenta e cinco reais), totalizando a importância de R$ 8.560,00 (oito mil quinhentos e sessenta reais). A taxa de juros de 37,89% ao ano ou 3,16% ao mês é um exorbitância. Portanto, qual a destinação da motocicleta? Se for pra trabalhar é até justifcável, desde que se pondere o custo X benefício; se for para lazer, sinceramente, não é um bom negócio. O consórcio talvez seja o melhor caminho, fugindo das altas taxa de juros. Lembrando, que não é aconselhável assumir 30% ou mais do seu salário líquido com este tipo de dívida (financiamento). Obrigado pela confiança e lembre-se: não basta comprar a moto, veja o custo dos equipamentos de segurança de boa qualidade (bota, luvas, jaqueta, capacete)”

André Pinto Garcia é motonliner, motociclista (oficialmente desde 1991) e advogado.