Foto: Bitenca

Visor desintegra, teste XRE300, Monoshock na CB 450, Comparação.

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Amigo, o visor de oleo de freio da minha sundonw max 125 ESD 2006, simplismente se desmachou, o que posso fazer alem de trocar todo o reservatorio, tem como “fabricar” colar com araldite, coisa assim, na central, aqui a autorizada, não tem nada. ou sabe se algum reservatorio de outra moto é adaptavel? desde jah agradeço. Allison, 22, São José SC

R: Allison, Acho que no seu caso cabe uma solução criativa de alguém com boa habilidade manual, que possa confeccionar uma peça de plástico que se encaixe no buraco do visor. O Dr. André, meu colega do Jurídico pode lhe indicar uma solução que envolva o fabricante mas com certeza levará tempo bem maior.
Como o reservatório é em conjunto com o cilindro mestre não aconselho trocar por outro de outra marca, sem fazer uma medição da vazão de ambos. O volume deslocado das duas peças deve ser o mesmo para obter o funcionamento correto do freio. Os diâmetros e cursos dos dois pistões devem ser iguais para deslocar o mesmo volume de óleo e a rosca do flexível ser compatível, ou senão terá que adaptá-la também. Boa sorte.

Gostaria que vocês fizessem um teste com a nova HONDA XRE 300. Falando de desempenho, consumo e conforto. Se possível que usassem um piloto com 1,80m – 1,90m. Afinal, um cara com 1,70m não tem como não ficar confortável numa moto destas. João, 25, Recife PE.

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

R: Estamos aguardando uma unidade para teste, João. É verdade, a expectativa como observado no test-ride já realizado é que o conforto está muito bom, reforçado pela configuração “dois andares” do banco. A garupa fica levemente acima do piloto que recebe um apoio que evita que escorregue para trás nas acelerações.

Boa tarde gostaria de saber sobre a suspensao monoshok colocada na cb 450 ano 86, onde posso encontrar quem faça isso, que balança que é colocada e amortecedor, é seguro? aguardo obrigado. Cristiano, 36, Pirajuí, SP.

R: Tuning radical esse heim Cristiano…. O correto seria refazer todo chassi pois todas as forças internas dele serão modificadas. Você nunca verá uma fábrica lançar um modelo bi-shock em um ano e monoshock no outro sem que seja refeito inclusive o motor. A parte traseira deste, junto com o pivô da balança nas motos modernas é integrado e você vai ter que andar uns 20 anos para trás na técnica para enfiar um monoshock numa CB450. Esse modelo, já clássico, na minha opinião deveria ser deixado como foi desenvolvido. Se da mesma forma quiser fazer a cirurgia procure um mecânico experiente em confecção de chassis (temos poucos no Brasil) e não poupe em recursos para um projeto de qualidade. Aço de alto teor de carbono e se possível cromo molibdênio, soldas profissionais. Segurança é fundamental numa motocicleta.
Abraços,

Parabéns pelo site. Já que a Honda quis assim, não seria interessante um teste entre XRE300, Falcon e Tornado? Creio que seria de grande valia e repercussão para o mundo 2 rodas. Que eu saiba, ninguém fez coisa parecida. Sebastião, 36, Belo Horizonte, BH.

R: Sebastião, é fácil essa comparação. A fábrica fez uma opção para ajustar o seu produto ao mercado mais abrangente por questões econômicas. A Falcon tem a mecânica mais antiga das três e teria que ser totalmente reformulada para atender ao Promot 3. A Tornado poderia ser modificada e instalada nela uma injeção, mas como uma opção de caráter mais “off” do que a Falcon, a empresa estaria abandonando um mercado muito grande se não abordasse o aspecto mais “street” desta última. Me parece que foi uma decisão acertada para um momento de grandes mudanças no mundo inteiro, onde novos padrões estão sendo determinados em termos de emissões, custo-benefício e “usabilidade”. Um produto mais versátil que pudesse atender uma gama maior de usuários, sem abandonar completamente clientes fieis à marca era a decisão mais acertada para o momento. Nada impede que a Honda volte a segmentar sua participação de mercado para atender seus clientes com produtos mais focados nas particularidades de cada nicho.
Então, a comparação que você sugere seria como comparar bananas com abacates, produtos distintos destinados a clientes distintos.
obrigado,