Valentino_destaque

#46: sinônimo de ousadia e vitória na MotoGP

O menino talentoso já mostrava ousadia

O menino talentoso já mostrava ousadia

O número 46 está presente em muitos capacetes, motos e até carros. Todo fã de motocicletas conhece o dono deste numeral: Valentino Rossi. Mas como este italiano magrelo transformou este número em um símbolo de vitória e velocidade em duas rodas?

Rossi mostrava habilidade em duas desde pequeno. “The Doctor”, seu apelido, ou simplesmente Vale, nasceu em 16 de Fevereiro de 1979 e possui nada menos que 9 títulos mundiais de motociclismo, sendo 7 na principal categoria. O último foi conquistado em 2009. Rossi é considerado um dos maiores atletas do planeta e, consequentemente, um dos mais bem pagos. Usa o número 46 desde o início da carreira, em homenagem ao pai, Graziano Rossi, que usava o mesmo número em competições. Abriu mão até de usar o #1 como campeão, que é uma tradição no motoGP. “O 46 é seu número de sorte”, costuma dizer.

O número e o apelido: marcas registradas

O número e o apelido: marcas registradas

Destacou-se na carreira quando ganhou o Campeonato Mundial da categoria 500 com uma Honda, em 2001. Conquistou os Campeonatos Mundiais de 2002 e 2003 do MotoGP também com uma Honda, e continuou sua conquista de campeonatos em 2004, 2005, 2008 e 2009 ao transferir-se para a rival Yamaha.

Não foi apenas a habilidade de Rossi que o tornou um mito. Ele é conhecido pela sua excentricidade dentro e fora das pistas. Simpático com o público, suas comemorações são um show a parte e ele é atração por onde passa. Outra marca são os capacetes pintados com design diferente e inusitado a cada corrida. O mais famoso mostra uma caricatura do piloto no topo.

Sua técnica vai além das duas rodas. Rossi já realizou vários testes na Ferrari e chegou a ser cogitada uma possível mudança das motos para os monopostos da Fórmula 1. Nos carros teve um resultado expressivo em 2010, quando participou do Monza Rally, e foi vice-campeão.

As brincadeiras no capacete: irreverência do multicampeão

As brincadeiras no capacete: irreverência do multicampeão

Esta trajetória foi parar nas telonas. Rossi é a estrela do documentário Fastest, lançado no final de 2011, que registra as emoções, as quedas, o envolvimento e a coragem que o motociclismo exige de seus astros. Com cenas dos bastidores, entrevistas e destaca a espetacular recuperação de Vale após 41 dias fora das pistas devido a uma fratura na perna. Descreve ainda a saída do piloto da equipe Yamaha e sua chegada na italiana Ducati, o que gerava grande expectativa dos fãs e o tornou um dos atletas mais bem pagos do mundo.

A temporada 2012 acabou e the doctor Valentino ficou decepcionado com o próprio rendimento. Longe do pódio com a Ducati, Rossi mostrou que seu espírito competitivo fala mais alto. Aos 33 anos de idade abriu mão de um salário milionário para ser o segundo piloto na equipe Yamaha. Terá como companheiro, novamente, Jorge Lorenzo, que o derrotou em seu último ano na Yamaha e é o atual campeão. The Doctor está muito motivado com a nova equipe e todos nós que somos fãs do motociclismo queremos ver novamente a lenda disputando o título mundial e dando show nas pistas.

Com a Honda em 2001

Com a Honda em 2001

Com a Ducati: dois anos sem vitórias

Com a Ducati: dois anos sem vitórias