A CARA DO SETOR

A CARA DO SETOR

Dados de produção e vendas podem ser usados para analisar a valorização de cada modelo.

Texto: M. Barthô – Ilustração: Ricardo Sá

SÃO PAULO – Desde que foi criada, em 1976, a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), divulga mensalmente o balanço do mercado nacional de duas rodas.

A entidade reúne oito fabricantes nacionais de motocicletas, scooters, motonetas e ciclomotores, e mais três de bicicletas. Outros fabricantes, como a Suzuki e a Kawasaki, estão em vias de associar-se. Vale lembrar que só pertencem à Associação as marcas que possuem fábricas instaladas e operando no Brasil.

A cada mês, o site da Abraciclo (www.abraciclo.com.br) traz o desempenho individual mensal de cada um dos 75 modelos de motocicletas nacionais atualmente à venda no mercado.

Ali também podem ser conhecidos os números relativos à produção, vendas, mercado interno e exportação, além de notícias e novidades sobre os planos, análises de mercado, campanhas de segurança e outros itens criados ou trabalhados pela entidade.

Através de uma consulta apurada nas tabelas do site, é possível analisar a evolução e o desempenho das motos nos anos anteriores, desde que foram lançados. Ou mesmo pesquisar o histórico de algumas modelos que já saíram de linha.

Pelo site, por exemplo, dá visualizar a evolução das vendas do modelo Honda CG 125, a campeã de vendas do mercado. Também é possível analisar se um determinado modelo está caindo de produção — o que significa que logo estará saindo de linha para dar lugar a outro mais compatível ou tecnologicamente avançado em sua faixa.

NOVO FORMATO – O profissional de marketing e web Ryo Harada, 61 anos, explica como desenvolveu o atual formato da ferramenta eletrônica da entidade:

— Cada associado tem a sua tabela produzida mensalmente para acompanhamento do seu mercado. A Imprensa vivia cobrando dados mais pormenorizados da Abraciclo. A resposta era invariavelmente “solicite essa a informação junto aos associados”. Afinal, todos queriam números mais detalhados do setor! — diz.

Nos anos 80, Harada produzia uma tabela em nome do fabricante Caloi/Suzuki. Mas, paralelamente, levantava os números de todas as outras cilindradas e marcas, para fazer comparações. Com a autorização da diretoria da Abraciclo, ainda nos 80, surgiu uma tabela geral englobando todas as marcas nacionais. Os dados seriam distribuídos ao mercado e à Imprensa através de press-releases mensais.

A Internet e os e-mails chegaram a partir da metade da década de 90. Naturalmente, a tabela e os demais dados da entidade, que eram feitos em papel e distribuídos por fax ou via correio, foram inseridos na forma de linguagem eletrônica.

A partir daí, a Imprensa e os internautas passaram a ser informados agilmente sobre os resultados da produção, mercado, eventos, exportações, associados e a indústria de duas rodas. O desempenho mensal da indústria também passou a ser divulgado com análises e comentários do presidente da entidade.

Alguns anos mais tarde, em 2001, a Abraciclo criou seu site. O site foi criado pela empresa Blueweb.com Ltda. Recentemente, ele teve sua primeira grande reformulação. Da criação do novo conteúdo participou o arquiteto e design gráfico Durval de Lara Filho, 60 anos.

Diretor de arte do MOTONLINE, ele tem Mestrado na ECA/USP na área de Ciência da Informação. Em 1999, foi finalista concurso Top Ten, do IBEST, em duas categorias: Melhor Site de Arte/Cultura e Webmaster Top Ten. Segundo Durval, o que se destaca na atual formatação, que está na rede, é a organização das informações, que já vinha da versão anterior e foi mantida. Durval afirma que o site é simples e objetivo, e procura mostrar de forma transparente os dados do setor. A prioridade sempre foi destacar as informações.

Com ele concorda o diretor da Abraciclo, Moacyr Paes, 61anos.

— O novo conteúdo foi todo pensado de forma a facilitar a busca de informações. Ele é atualizado periodicamente, a cada novidade que surge no setor. Também permite visualizar a saúde e a posição de indústria de duas rodas em relação aos altos e baixos da economia. POR DENTRO DO SITE– O site da Abraciclo informa sobre o setor de duas rodas de uma maneira geral. Ele é isento das particularidades de cada marca associada. O motonliner pode consultá-lo para posicionar sua moto dentro da realidade de mercado.

Por exemplo, uma dica de leitura é acompanhar o resultado das vendas. As marcas mantêm o processo produtivo de seus modelos de acordo com os pedido das lojas. Se as vendas de um modelo caem mês a mês, isso é apontado pelos números no site. A partir daí pode-se concluir que logo sua produção ficará inviável, e tomar a decisão de vender ou não a moto.

Qualquer internauta pode chegar a essa e a outras conclusões consultando as tabelas e gráficos expostos na tela de seu PC. Os gráficos informativos, conhecidos como Infográficos, são uma ótima novidade no atual site.

— Com o passar dos meses, o motonliner notará se a marca/modelo dê sua preferência está “bombando” nas vendas ou não. Este é o primeiro sinal de que algo pode mudar. Se as vendas estiverem em queda livre, pode-se questionar se ela irá sair de linha” — explica Harada.

As informações ajudam a decidir de trocar de modelo ou na compra de uma nova moto, algo precioso nesses tempos de crise. O novo site da indústria também permite mergulhar na história do motociclismo nacional e fazer uma pesquisa filtrada sobre a evolução recente da produção e das vendas de um determinado modelo.

http://abraciclo.com.br/