A difícil segurança no verão

VerÆo ‚ a ‚poca do ano na qual o Brasil faz jus ao nome que recebeu dos portugueses, porque de norte a sul o pa¡s inteiro parece um imenso braseiro, e para n¢s motociclistas, fica dif¡cil conciliar equipamento de seguran‡a com o sol escaldante. Por isso eu prefiro usar a moto no inverno. A primeira coisa que o motociclista precisa ter em mente ‚ que nossa pele representa o maior ¢rgÆo do corpo humano. Ao exp“-la demasiadamente ao sol corremos o risco de desidrata‡Æo, al‚m de manchas e at‚ cƒncer.

Depois de quase esturricar ao sol em uma viagem de Natal, RN, a Salvador, BA, desenvolvi algumas t‚cnicas que temperam o calor com a seguran‡a. A primeira delas foi o uso de camisas de motocross/enduro. Mesmo de manga comprida, elas tˆm pequenos furos para ventila‡Æo e refor‡o nos cotovelos. NÆo vou bancar o hip¢crita e recomendar casacos de couro, mas j  existem casacos de cordura que tˆm aberturas para ventila‡Æo e funcionam muito bem.

Muita gente adota capacete aberto no verÆo, mas em caso de colisÆo frontal o choque no maxilar se transfere para a base do crƒnio, levando a uma fratura fatal. Atualmente os capacetes fechados tˆm aberturas para ventila‡Æo e pode-se manter a viseira parcialmente aberta. Basta um pedacinho pequeno de papel para colocar na parte debaixo da viseira para manter um espa‡o suficiente para ventila‡Æo. Os capacetes de cross sÆo eficientes tamb‚m.

Usar bermudas traz o risco adicional de uma queimadura ao encostar no motor ou escapamento. J  vi motociclistas ca¡rem e o escapamento ficar sobre a perna exposta. O resto vocˆ j  imagina. E muito cuidado com as gatitas que vocˆ leva na garupa. Nesta ‚poca elas adoram usar vestinhos curtos, justos e deliciosamente ventilados, mas o menor vacilo pode provocar s‚rias queimaduras e vocˆ vai ficar igualmente queimado perante a mo‡a. E para piorar, queimaduras em metal cromado deixam marcas para sempre. Pelo menos a gatita sempre vai lembrar de um certo rolˆ de moto no verÆo.

A tenta‡Æo de usar sand lias e papetes tamb‚m ‚ grande. E a possibilidade de perder um dos dedos do p‚ ‚ igualmente enorme. Em caso de queda os p‚s sÆo os primeiros a tocar o asfalto, imagine seu dedinho ralando num asfalto a 65§C! Para proteger os p‚s use tˆnis, que ‚ bem ventilado e garantem a manuten‡Æo dos dedos.

Para as mÆos novamente podemos recorrer aos equipamentos de cross. As luvas de fora-de-estrada sÆo bem protetivas e ventiladas. Algumas j  contam com refor‡o de kevlar que as tornam ainda mais resistentes.

Por fim, durante as viagens use um len‡o no pesco‡o para protegˆ-lo do sol. Os cremes protetores sÆo eficientes, mas formam uma meleca nojenta depois de alguns quil“metros de poeira e ¢leo diesel. Abuse dos l¡quidos e aumente as paradas para descanso. Evite comidas pesadas e dˆ um tempo maior ap¢s as refei‡äes. Outro equipamento que sempre levo comigo ‚ uma rede de n ilon. Pintou aquele soninho …s duas da tarde, ‚ s¢ procurar duas palmeiras e relaxar…