logo abraciclo tom

Abraciclo prevê recuperação do mercado de duas rodas em 2015

Depois de um ano com muitas notícias desfavoráveis para o segmento de motocicletas, que vai fechar 2014 com saldo negativo frente 2013, a Abraciclo – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, projeta um ligeiro avanço para 2015. A entidade estima um aumento de 2,0% na produção e 1,0% nas vendas no atacado, 2,1% no varejo, enquanto as exportações devem cair 55,6%.

Na comparação mensal, a produção do penúltimo mês de 2014 registrou queda de 15,8% frente a outubro. Saíram das fábricas 121.719 motocicletas contra 144.596 unidades no mês passado.  No acumulado dos 11 meses deste ano, foram fabricadas 1.429.012 motocicletas, o que corresponde a uma queda de 10,2% em relação a igual período de 2013, com 1.592.073 unidades.

Os números do acumulado do ano das vendas no atacado (da montadora para as concessionárias) fecharam 11,3% abaixo do registrado em 2013. Foram 1.483.307 (2013) contra 1.316.391 (2014). Na comparação mensal, os resultados foram 7,2% menor, gerando um volume de 129.156 motocicletas comercializadas, em outubro, contra 119.808, em novembro.

Números ainda mais baixos foram registrados nos índices de exportações. De acordo com dados da Abraciclo, o número de motocicletas comercializadas para outros países registrou entre outubro (7.107) e novembro (3.355) recuo de 52,8%. Já no acumulado, a queda foi de 16,3%, quando comparado a 2013. Foram 98.002 motos exportadas no ano passado contra 82.003, em 2014.

“Em 2015, não teremos os impactos negativos no varejo que tivemos em 2014, com a Copa do Mundo e eleições, e mesmo sendo um ano com expectativas de ajustes da economia brasileira, com a chegada da nova equipe econômica, o setor de Duas Rodas está confiante na retomada do mercado. Além disso, acreditamos que as medidas da nova lei sobre a retomada de bens deve favorecer o mercado, permitindo a flexibilização nas concessões de crédito e contribuindo para o segmento atingir seus objetivos”, comenta Marcos Fermanian, presidente da entidade.

Alta cilindrada na contramão do mercado

Seguindo o caminho inverso das motocicletas de baixa e média cilindrada, os modelos acima de 450 cm³ mantêm a tendência de alta, registrada por todo ano de 2014. Nos primeiros 11 meses do presente ano foram comercializadas para as concessionárias 49.050 motocicletas, contra 45.229, em 2013, um incremento de 8,4%. No mesmo período, foram produzidas 51.122 unidades, em 2014, frente a 45.778, no ano passado, o que corresponde a uma alta de 11,7%. As vendas no varejo – para o consumidor final – seguiram no mesmo sentido, apresentando crescimento de 10,8%, com 51.208 motocicletas, em 2014, ante 46.233, em 2013.

Emplacamentos e Média diária.

Em novembro, os emplacamentos de motocicletas atingiram 111.950 unidades contra 120.317 em outubro, recuando 7,0%. No acumulado, o volume foi de 1.301.981, em 2014 ante 1.374.988, em 2013, queda de 5,3%. A média diária de vendas de motocicletas em novembro foi de 5.598 unidades, frente a 5.231 em outubro. Mesmo com três dias úteis a mais no mês anterior, o resultado foi positivo.