bmw-r-ninet-scrambler_8

BMW R nineT Scrambler

O estilo foge às convenções e muito heróis de filmes de ação do passado (e do presente também) as conduzem em cenas eletrizantes. Suas aptidões vão além de estradas com ou sem asfalto. Claro, estamos falando das Scrambler, motos de desenho clássico, mas com pneus todo-terreno, escapamento elevado, amortecedores de maior curso e com a barra do guidão mais larga. É difícil traduzir a palavra, mas algo como “misturador” pode mostrar um pouco do que são as motos scrambler.

Elas foram as precursoras das motos trail e como estas, fugiam ao uso comum nas ruas e avenidas. As scrambler e seus pilotos eram encontrados em toda parte e a BMW confunde sua história com estas motos. Foi no Salão de Frankfurt de 1951 que a BMW apresentou a R 68, uma moto clássica com alguns equipamentos especiais, como o escapamento alto e um par de amortecedores com mais curso. Ainda hoje muitos proprietários daquelas R 68 antigas mantém suas motos com os acessórios e as tornaram verdadeiras Scrambler.

Para surfar a onda retrô que tomou conta da indústria de motos, a BMW Motorrad resolveu mostrar a sua R nineT Scrambler para agradar aos mais puristas amantes do estilo. A BMW Scrambler utiliza o clássico motor boxer de 2 cilindros contrapostos, refrigerado a ar e óleo, de 1.170 cc, que desenvolve potência de 110 cv a 7.750 rpm e torque de 12,0 kgf.m a 6.000 rpm. Este motor vem equipado com um novo mapeamento de injeção eletrônica e utiliza filtro de carvão ativado para o combustível, o que o enquadra nas normas de emissões Euro 4.

Alguns detalhes exclusivos chamam muito a atenção da nova R nineT Scrambler. O tubo do escapamento elevado com as duas ponteiras acentua o estilo e a fixação bem próxima do quadro deixam a moto esbelta. O chassi foi construído em tubos de aço e é exclusivo para esta moto com o motor fazendo parte da estrutura. Há um sub-chassi que pode ser ou não utilizado, caso o piloto decida inserir um assento para o garupa. Segundo a BMW Motorrad, a geometria do chassi foi desenvolvida para favorecer a manobrabilidade e a rapidez de respostas, com muita esportividade.

As suspensões completam a ciclística com garfo telescópico (com guarda-pó) e curso de 125 mm na dianteira e, como é usual nas motos da linha equipadas com motor boxer, há monobraço tipo Paralever na traseira que oferece curso de 140 mm. As rodas são de liga de metal fundido e seguem o que é comum neste tipo de moto: aro 19 na dianteira com pneu 120/170-19 e aro 17 na traseira com pneu 170/60-17. Os freios são à disco duplo na dianteira (320 mm) e com disco simples na traseira (265 mm). O ABS é de série no modelo.

A posição de pilotagem na BMW R nineT Scrambler é mais ereta que na sua irmã nineT original. O guidão é mais alto, o assento menos acolchoado e as pedaleiras mais baixas e para trás, o que resulta numa posição bem mais relaxada para conduzir. Um dos desafios que os engenheiros da BMW tiveram ao pensar nesta moto foi reduzir ao mínimo a quantidade de equipamentos para destacar seu caráter purista e clássico das motos do passado. O pequeno farol redondo e o instrumento único analógico também redondo e pequeno demonstram esta preocupação. O tanque de combustível é de aço e tem capacidade para 17 litros e o acompanha na cor e no material uma tampa que encobre a caixa de ar do lado direito.

Como trata-se de um lançamento europeu, ainda não tem data nem confirmação de sua chegada ao Brasil. Por enquanto ficamos apenas na admiração. Se você curte motos BMW, consulte o Guia de Motos do Motonline e veja a opinião de quem tem uma BMW.Separador_2



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.