Foto: Bruno Corano fez uma bela prova de recuperação e venceu a segunda etapa do Superbike Trophy

Bruno Corano é o vencedor da segunda etapa do Superbike Trophy

Foto: Bruno Corano fez uma bela prova de recuperação e venceu a segunda etapa do Superbike Trophy

Foto: Bruno Corano fez uma bela prova de recuperação e venceu a segunda etapa do Superbike Trophy

Definitivamente, o Superbike Trophy caiu no gosto dos pilotos. Após dez anos sem o campeonato Paulista de Motovelocidade, a segunda etapa confirmou o grande sucesso obtido também na primeira, com mais de 100 inscritos.

O evento foi realizado nesse sábado, no Autódromo Internacional de Interlagos. Com um alto nível de disputas em todas as categorias, o grande vencedor na Superbike Pro, principal categoria, foi o piloto Bruno Corano.

Na primeira bateria Bruno, que largou na sexta colocação, fez uma corrida de recuperação e protagonizou uma grande disputa com o pole position Cristiano Vieira como há muito tempo não se via em Interlagos. A chegada foi milimétrica, com apenas sete milésimos de diferença a favor de Cristiano.

Na segunda bateria da Superbike Pro, Bruno Corano repetiu o grande desempenho da primeira prova. Na largada teve problemas, ficou no grid, mas buscou os líderes. Na primeira volta já passou em sexto e, incansável, foi à caça dos adversários.

Na quarta volta, Corano estava em segundo e assumiu a ponta após uma pequena falha de Cristiano Vieira. Entretanto, Vieira buscou a recuperação, mas Bruno estava em dia inspirado, manteve a posição e venceu a segunda etapa, já que a segunda bateria vale como critério de desempate.

A abertura do evento ficou por conta das categorias de baixa cilindrada, a 135, 250 e 500cc. Na de menor cilindrada, Sandro Paganelli de Souza venceu, seguido por Maicon de Ângelo e Rodrigo Cezar Maier, o terceiro.

Também entraram na pista as categorias 600cc, carburadas e injetadas e a Superbike Pro Amador. Na 600 carburada, Mauro Thomassini venceu, seguido por Octavio Pinto e Marcelo Alves. Na 600 injetada, Carlos Cruz foi o primeiro colocado, seguido por Marco Antônio Reis e Atsushi Kokazai. Na Superbike Pro Amador, Júlio Cesar Checchia chegou com relativa folga em relação Alan Douglas dos Santos, o segundo colocado. Rui Goerk foi o terceiro.

Para completar o dia de velocidade em Interlagos, ainda largaram as categorias Superbike Stock e Triumph. O vencedor na Superbike foi o piloto Heber Santos. Denis Eiji Mesquita chegou na segunda colocação, seguido por Sérgio de Laurentys, em terceiro.

Na Triumph, composta por motos originais de fábrica, Eduardo Neto, o Dudu, levou a melhor e venceu na segunda etapa. Marcello Brasil foi o segundo e Sérgio de Laurentys chegou com tranquilidade na terceira colocação.

Oportunidade – As categorias amadoras do Superbike Trophy proporcionam uma grande oportunidade para aqueles que possuem motos acima de 600cc em suas garagens. Ao todo, quatro categorias são destinadas a esses motociclistas.

Há duas categorias para motos específicas, a categoria Buell e a categoria Triumph. As motos habilitadas a competir na categoria Triumph são os modelos Daytona 675 e 975i. Na categoria Buell, são quatro modelos. A Buell City Cross, XB12s, XB12Ss e a Ulysses.

A outra categoria existente no Superbike Trophy é a Superbike Stock, que enquadra os outros modelos acima de 600cc, de qualquer montadora, comercializados no Brasil. As características originais são mantidas.

Entretanto, para dar mais segurança e melhorar o nível da disputa, são feitos pequenos ajustes nas motocicletas originais. Os faróis, luzes de seta e a placa das motos são cobertas com fita resistente para evitar estilhaços em casos de acidentes. Acessórios como bujão e a vareta de medição do óleo são lacrados e não é permitido nenhum tipo de aditivo no líquido de arrefecimento, apenas água.

A última categoria é a Superbike Pro Amador, que possui motos acima de 600cc, quatro tempos, mas que possuem uma preparação mais próxima às das categorias profissionais. Esteticamente, ela precisa estar semelhante às motos comercializadas no País. O que faz essas categorias serem amadoras, é que o piloto não pode ter competido de forma oficial.

Incluindo a participação de pilotos que não têm experiências em competições, o Superbike Trophy estimula e conscientiza os motociclistas. Com segurança e infra-estrutura propícias para as competições, o piloto passa a correr no local certo: a pista de um autódromo.

A próxima etapa do Superbike Trophy está agendada para o dia 02 de agosto, no Autódromo de Interlagos. O Superbike Trophy tem a supervisão da Federação Paulista de Motociclismo (FPM) e xv-it! Motovelocidade. O patrocínio é de Moto School, Motorcicle Clothes, Maxima Racing Oils e Shark. Apoio: Pirelli, Alemão Rodas e Pneus e Alpinestars.

Resultados da 2ª etapa do Superbike Trophy/Paulista de Motovelocidade

Superbike Pro (1ª bateria)
1 Cristiano Vieira
2 Bruno Corano
3 José Luiz de Camargo
4 Murilo Colatrelli
5 Ricardo Kazuo

Superbike Pro (2ª bateria)
1 Bruno Corano
2 Cristiano Vieira
3 José Luiz Teixeira
4 Ricardo Kazuo
5 Murilo Colatrelli

600 Naked (carburada)
1 Mauro Thomassini
2 Octavio Santos Pinho
3 Marcelo Alves
4 Agnelo Queiroz Ribeiro
5 Douglas Figueiredo

600i Naked (injetada)
1 Carlos Cruz
2 Marco Antônio de Souza Reis
3 Atsushi Kokazai

Superbike Pro AM
1 Júlio Cesar Checcia
2 Alan Douglas dos Santos
3 Rui Goerk
4 Anderson Fernando da Silva
5 Carlos Alberto Sales de Moura

Superbike Stock
1 Heber Pedrosa dos Santos
2 Denis Eiji Mesquita
3 Rubens Guglielmetti
4 Alexandre Borloni
5 José Carlos Peixoto Jr.

Triumph
1 Eduardo Costa Neto
2 Marcello Brasil
3 Sérgio de Laurentys
4 Ricardo Pelosini
5 Hovanês Abgarian Emin

500cc
1 Rodne Rufino
2 Denis Amorim
3 Edivaldo Martinatti
4 Carlos Alberto Louzada

250cc
1 Danilo Lewis da Silva
2 Ricieri Luvizotto
3 Lucas Teodoro
4 Marcelo Cristal
5 Murilo Júnior

135cc
1 Sandro Paganelli
2 Maicon de Ângelo
3 Rodrigo Maier
4 Deivid Minho
5 Eder Hualas de Souza