um

Ciclo Faixas de lazer e o futuro do ciclista

Ciclo Faixa de Lazer na avenida Paulista, em São Paulo: ciclistas "domingueiros"

Ciclo Faixa de Lazer na avenida Paulista, em São Paulo: ciclistas "domingueiros"

Projetos como a recém criado Ciclo Faixa de Lazer da avenida Paulista, em São Paulo, e outros do tipo que vem por ai, com hora e local marcados aos domingos, tem a função de estimular o uso da bicicleta, o que é desnecessário.

Ninguém sabe ao certo quantas bicicletas há no município de São Paulo, mas fabricantes e distribuidores calculam que deva ser algo como uma bicicleta a cada quatro habitantes, ou seja, aproximadamente 3 milhões de bicicletas. Boa parte quase nunca sai da garagem, mas há números que provam que há montões de ciclistas circulando pela cidade todos dias.

Segundo a Prefeitura 700 mil ciclistas saem às ruas num domingo ensolarado. Há quem diga que é bem mais. Nos dias de trabalho aceita-se 300 mil ciclistas como o mínimo. Do que se conclui duas coisas: bicicleta é uma realidade e há uma imensa demanda reprimida. A questão é que a quantidade de domingueiros que estão optando pela bicicleta como modo de transporte não pára de crescer.

Quanto mais ciclistas nas ruas, mais seguro é para cada um dos ciclistas. Esta é a realidade que se repete em absolutamente toda parte do mundo. Mas o aumento descontrolado de ciclistas domingueiros no trânsito pode ser um tiro no pé, exatamente como vem acontecendo com as motos. Ciclo Faixas de Lazer fazem com que o ciclista pedale cercado de parafernália surrealista e de custo alto. “Precisamos cuidar da segurança dos ciclistas…” é a frase padrão das autoridades de trânsito, o que mostra que eles não fazem a mais remota ideia da realidade. Querem é cuidar da própria segurança jurídica, que tem zero a ver com a segurança de qualquer ciclista.

Há enorme demanda reprimida para o uso da bicicleta diariamente

Há enorme demanda reprimida para o uso da bicicleta diariamente

Há muitos relatos de acidentes com ciclistas, obviamente não divulgados e menos ainda oficializados. “É um estágio educativo…”, dizem. Porta bandeirolas a cada esquina; pedalar nas avenidas à esquerda da via, ao bordo do canteiro central? Se você nunca viu um domingueiro pedalando no bordo do canteiro central de avenidas que não tem Ciclo Faixa de Lazer – Domingo – 7h às 16h, é porque precisa de um oculista urgentemente.

Poderia ser diferente caso tivéssemos uma noção mínima sobre cidadania. Infelizmente a própria população e seu individualismo exacerbado acaba sabotando qualquer iniciativa.