alex-barros

Com 20 anos de Mundial, Alex Barros volta às pistas

O mito voltou. Depois de 10 anos afastado do Mundial de Motovelocidade, Alexandre Barros voltará às pistas em 2017. O piloto brasileiro que fez história na MotoGP, atravessando a turbulenta transição das motos de 2 para as de 4 tempos no Mundial e obtendo 32 pódios (dos quais sete com vitórias), correrá o SuperBike Brasil neste ano.

A boa notícia foi divulgada pela Honda nesta semana, em evento organizado pela marca para receber a visita do piloto espanhol Marc Márquez, atual campeão da MotoGP, que disputou a segunda etapa do calendário da competição na Argentina no último final de semana. Barros correrá o SBK Brasil com uma Honda CBR 1000RR Fireblade, defendendo uma equipe satélite apoiada pela Honda, ao lado do argentino Diego Perluigi. A equipe oficial da Honda no SBK continua composta pelo trio Luiz Cachorrão, Eric Granado (atual campeão da categoria SuperSport) e Diego Faustino (tricampeão da SuperBike Pro).

Marquez e Barros brindam em evento promovido pela Honda, em São Paulo; será que tem cerveja dentro da garrafa?

Marquez e Barros brindam em evento promovido pela Honda, em São Paulo; será que tem cerveja dentro da garrafa?

O retorno de Alex Barros

Talvez o maior nome da motovelocidade nacional, e uma das principais figuras do motociclismo brasileiro, Alex Barros começou a correr com oito anos, quando foi campeão com minibikes. Aos 15 anos foi campeão brasileiro na 250 cc e no ano seguinte iniciou sua trajetória no Mundial de Motovelocidade, em 1986, pela categoria de entrada, a 80 cc.

Foram 20 temporadas pelo Mundial de Motovelocidade, incluindo sua longa passagem pelas 500cc e MotoGP

Foram 20 temporadas pelo Mundial de Motovelocidade, incluindo sua longa passagem pelas 500cc e MotoGP

Aos 19 anos, em 1990, estreou na categoria rainha, a 500cc, pela Cagiva. Ao todo, foram 20 temporadas no Mundial, que totalizaram sete vitórias, 32 pódios, 276 corridas, 14 voltas rápidas e 2123 pontos. Os melhores resultados de Barros na categoria principal (500cc até 2001 e MotoGP a partir de 2002) vieram nas temporadas de 1996, 2000, 2001 e 2002, quando o brasileiro encerrou os calendários na quarta colocação.

Brasileiro chegou à categoria principal aos 19 anos, ainda na era de motos 2 tempos. Além de Honda, também correu com Cagiva, Suzuki e Ducati

Brasileiro chegou à categoria principal aos 19 anos, ainda na era de motos 2 tempos. Além de Honda, também correu com Cagiva, Suzuki e Ducati

Das 16 temporadas na divisão principal, Barros fez 10 com motos da Honda, oito com a NSR500 e dois com a RC211V. “É um prazer muito grande retornar à casa da Honda, marca que defendi por 13 anos e depois de tanto tempo poder voltar a somar forças é muito gratificante. Espero poder atender a expectativa da marca e fazer um grande trabalho”, destacou Alex Barros.

Alex Barros 'fora de forma'? Esta foto podia ser de 2005, quando ele venceu o GP de Portugal pela MotoGP, mas é do ano passado, quando foi o mais rápido no SBK Brasil, aos 45 anos

Alex Barros ‘fora de forma’? Esta foto podia ser de 2005, quando ele venceu o GP de Portugal pela MotoGP, mas é do ano passado, quando foi o mais rápido no SBK Brasil, aos 45 anos

Mas, perto de ser um cinquentão será que Barros não estaria velho demais para os autódromos? Ao que tudo indica, não. Apesar de fora da MotoGP, Barros nunca se distanciou do motociclismo ou da motovelocidade. Em 2014 ele criou a Alex Barros Racing, projeto voltado para a formação de pilotos e que mais tarde também passou a receber pilotos experientes, que disputavam categorias elevadas, como a SuperBike Pro, principal divisão do SBK Brasil. Foi por esta mesma equipe que ele resolveu correr um etapa no ano passado, quando alinhou no grid da última etapa do calendário 2016 e correu de igual para igual com os melhores pilotos do cenário nacional atual. Das duas corridas disputadas em Interlagos, a bordo de uma BMW S 1000RR, Alex Barros faturou um primeiro e um segundo lugar, chegando a deixar o próprio Diego Faustino, então campeão, na saudade.

Fonte: Vipcomm

Separador_motos



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.