Foto: SCO 150, com motor quatro tempos de 150 cc

Da maneira tradicional

Foto: SCO 150, com motor quatro tempos de 150 cc

Foto: SCO 150, com motor quatro tempos de 150 cc

Depois de entrar no mercado de duas rodas com scooters el‚tricos, a Motor Z lan‡a trˆs modelos a gasolina

Em mar‡o deste ano, a MotorZ, empresa do grupo Zeppini, anunciou seu ingresso no promissor mercado brasileiro de duas rodas de uma maneira pouco convencional: scooters el‚tricos para o lazer e tarefas profissionais leves. “Procuramos um nicho que ainda nÆo fosse explorado”, explicou … ‚poca, o diretor-executivo da empresa, Paulo Fernandez.
A empresa agora comemora os resultados da empreitada. Cerca de sete meses depois, j  foram vendidas 1.000 unidades de seus scooters el‚tricos. “A quantidade pode parecer pequena, mas se tratando de um ve¡culo que simplesmente nÆo existia, j  ‚ alguma coisa” comemorou Fernandez. Com as vendas satisfat¢rias e tamb‚m com a rede de revendedores atingindo 39 em todo o Pa¡s fez com que a MotorZ lan‡asse no £ltimo SalÆo das Duas Rodas, trˆs modelos a gasolina e entrasse para valer na briga por uma fatia do mercado de motos.

No £ltimo 21 de novembro, a empresa organizou um test-drive para a imprensa com os ve¡culos movidos com o tradicional combust¡vel na sua sede em SÆo Bernardo do Campo, regiÆo metropolitana de SÆo Paulo. No segmento de scooters, a MotorZ apresentou a SCO 50, com motor quatro tempos de 50cc e visual vintage. Al‚m da SCO 150, tamb‚m com motor quatro tempos mas de 150 cc. A grande novidade foi o lan‡amento de um modelo CUB com motor de 110cc. Bastante popular, a CUB 110 da MotorZ vem brigar com a Honda Biz 125 e a Sundown Web.

Mais dois scooters el‚tricos tamb‚m foram mostrados: o SS500, que traz como novidade o conjunto de baterias remov¡vel para facilitar a recarga; e o SS 1000, que conta com dois motores de 500W, um na roda dianteira e outro na traseira, para melhorar o desempenho em ladeiras muito ¡ngremes.

Feita para os pequenos – Fabricada na µsia e montada no Brasil, a CUB 110 nÆo traz nada de inovador para o segmento. Quadro underbone, garfo telesc¢pico na dianteira e dois amortecedores na traseira, juntamente com cƒmbio rotativo semi-autom tico, ou seja, com embreagem centr¡fuga. A £nica novidade sÆo as rodas de 17 polegadas fabricadas em liga-leve, maiores que nas concorrentes. Ponto positivo, j  que rodas maiores significam mais estabilidade em vias irregulares, por‚m nÆo h  nenhum espa‡o sob o banco, como na Honda Biz.
Ainda na parte cicl¡stica a CUB 110 da MotorZ traz freio a disco na dianteira e a tambor na traseira. O painel ‚ simples, mas completo: traz veloc¡metro, indicador de marcha engatada e marcador de combust¡vel (o tanque conta com cinco litros de capacidade).

O motor ‚ um monocil¡ndrico de 110cc arrefecido a ar. Os n£meros de desempenho declarados nÆo empolgam: 6,8 cv de potˆncia m xima a 7.500 rpm e torque nÆo declarado. Na pr tica, exige constantes redu‡äes de marcha em subidas e nÆo ultrapassa os 90 km/h no veloc¡metro. Entretanto mostra-se de acordo com o uso urbano da motoneta.

Mas o que se nota logo ao subir na CUB 110 ‚ sua ergonomia nÆo muito favor vel. Ela ‚ “pequena” demais, mesmo no meu caso que me‡o 1,71m. As pedaleiras parecem estar fora de lugar. No lado direito, onde al‚m do pedal de freio traseiro, h  ainda o pedal de partida, ‚ dif¡cil encontrar uma posi‡Æo confort vel para apoiar o p‚ com firmeza. J  do lado direito, o pedal do cƒmbio rotativo funciona bem nos engates para “baixo”, subindo as marchas. Por‚m nÆo facilita as redu‡äes, que devem ser feitas com o calcanhar. Outro ponto negativo ‚ o tecido utilizado na cobertura do banco, bastante liso, fazendo com que o piloto escorregue pra frente nas frenagens.

Apesar disso, o visual da CUB 110 ‚ moderno. Traz um conjunto ¢ptico arredondado na dianteira e lente transparente na traseira. Destaque tamb‚m para as pedaleiras da garupa fixadas ao quadro e nÆo … balan‡a, o que significa mais conforto.

Pre‡o competitivo – Como outros ve¡culos asi ticos, a MotorZ CUB 110 chega com um pre‡o bastante competitivo: R$ 4.200,00. Bem inferior … Honda Biz 125, que custa R$ 4.943,00 na versÆo com partida a pedal (KS) e R$ 5.624,00 na versÆo com partida el‚trica (ES). Apesar de seu motor maior (125cc) e de melhor desempenho, a Biz nÆo traz freio a disco nestas versäes. J  a Sundown Web com motor de 100cc custa R$ 4.549,73 sem freio a disco, mas ao menos no papel tem mais potˆncia (7,5 cv).
A motoneta da MotorZ pode ser adquirida por financiamento em uma das 39 revendas ou por cons¢rcio da pr¢pria f brica que deve entrar em funcionamento em breve, segundo a empresa.

FICHA TCNICA
MotorZ Cub 110
Motor Monocil¡ndrico, quatro tempos, arrefecido a ar
Capacidade c£bica nÆo declarada (110 cc aproximada)
Potˆncia m xima (declarada) 6,8 cv a 7.500 rpm
Cƒmbio Rotativo de quatro marchas
TransmissÆo final Corrente
Alimenta‡Æo Carburador
Partida El‚trica
Quadro Underbone
SuspensÆo dianteira Garfo telesc¢pico,
SuspensÆo traseira Sistema bichoque,
Freio dianteiro Disco simples
Freio traseiro A tambor
Tanque de combust¡vel 5 litros
Cores Azul e prata
Pre‡o R$ 4.200,00