Apaixonado pelo motociclismo, mesmo nas horas vagas entre os treinos e a faculdade de engenharia mecânica, Pedrosa gosta de andar de moto e assistir a corridas

Dois anos, um título e muitos sonhos para realizar

Piloto de motovelocidade há apenas dois anos, o paulista de Atibaia, Heber Pedrosa, da Spiga Racing, é mais uma dessas jovens revelações do esporte brasileiro. Em sua primeira temporada no SuperBike Series,na categoria Stock, Pedrosa surpreendeu e se sagrou campeão. Já no ano seguinte, mantendo o mesmo desempenho que fez com que conquistasse o título, o piloto foi convidado para integrar a equipe Spiga Racing na categoria Pro, a que tem as motos mais potentes do campeonato.

Apaixonado pelo motociclismo, mesmo nas horas vagas entre os treinos e a faculdade de engenharia mecânica, Pedrosa gosta de andar de moto e assistir a corridas

Apaixonado pelo motociclismo, mesmo nas horas vagas entre os treinos e a faculdade de engenharia mecânica, Pedrosa gosta de andar de moto e assistir a corridas

Estando apenas na sua 10ª participação depois da mudança de categoria, o atibaiense esbanja talento e está entre os cinco melhores do campeonato, de 24 pilotos. “Estou surpreso com minha rápida evolução. Os tempos estão melhorando e sei que tenho condições de baixá-los ainda mais. Dedico bastante tempo à motovelocidade e tenho sorte de poder contar com as pessoas certas para me ensinar o caminho. O trabalho em equipe é fundamental para a evolução de qualquer atleta em qualquer modalidade, assim como o apoio da família”, agradece.

Apaixonado pelo motociclismo, mesmo nas horas vagas entre os treinos e a faculdade de engenharia mecânica, Pedrosa gosta de andar de moto e assistir a corridas.

Toda a dedicação aos treinos, ao acerto da moto, às horas de academia para manter a forma física tem um objetivo, competir em uma etapa do MotoGP. Apesar do grande sonho, Pedrosa reconhece as dificuldades: “A motovelocidade é um esporte extremamente caro, isso limita muito a quantidade de participantes e dificulta o surgimento de novos talentos. Dependemos muito de patrocínios para poder evoluir e competir, sobretudo em âmbito internacional”, lamenta.

Embora existam percalços, o atibaiense de 24 anos não desanima e revela todo seu amor pelas duas rodas. Para Pedrosa, o motociclismo significa saúde, motivação, alegria. “A motovelocidade ensina muito mais do que apenas a pilotar uma moto. Ela ensina lições valiosas para a vida.

Por último, o piloto da Spiga Racing faz um convite a todos: “Venham assistir a uma corrida ao vivo! Não percam a oportunidade de assistir às motos passarem a 290 km/h a poucos metros de você. É uma experiência sem igual”, garante Pedrosa. A Spiga Racing tem o patrocínio de Treetech e conta com o apoio Akrapovic.