Garfo de suspensão de uma perna só.

Foram cinco anos de desenvolvimento, até que os engenheiros da Cannondale Bicycle Corporation mostrassem seu protótipo como prova de conceito. Chamado Simon, o novo membro da linha Lefty (canhoto) de garfos de uma perna só. De acordo com a Cannondale, o microprocessador a bordo da magrela permite que seu usuário customize seu grau de conforto – e pode fazê-lo numa gama de amortecimento de choques de orifício totalmente aberto a totalmente fechado em apenas 6 milissegundos.

O comprador primeiro se entrevista com a Simon, utilizando a tela de LCD no mastro e o joy-stick no guidão. Dá a ele suas especificações básicas (altura, peso, preferências ), depois escolhe entre cinco modos de suspensão (Cross-Country (fora de estrada), All-Mountain (montanha), Downhill (para baixo), Travel Management (gerenciamento de viagem, para subidas de montanha) e Lock-Out (Trava). Depois que a bicicleta é colocada em movimento, um sensor óptico segue o garfo dentro de seus 130 mm de curso – e um acelerômetro detecta pancadas à roda dianteira. Cada vez que isso acontece, o mecanismo de amortecimento de energia é simultaneamente ajustado de acordo com os dados e a preferência do usuário.

Na maioria dos garfos, o mecanismo de amortecimento trabalha através de um pistão que força óleo através de pequenos orifícios. O tamanho e o número dos orifícios determina a quantidade e a qualidade do amortecimento. No Simon, há apenas um orifício, que é ajustado eletronicamente 500 vezes por segundo através de um pino retrátil. Quanto maior o buraco ou o baque, mais para fora o pino é puxado e maior a quantidade de energia absorvida.

O pino é movimentado através de um motor de força linear muito rápido, motor esse que recebe sua força de uma bateria recarregável de íons de lítio. A bateria, é claro, pesa bastante e ocupa bastante espaço no quadro – dois quilos no total e meio quilo a mais do que a Lefty desmotorizada. A bateria dura cerca de oito horas entre recargas (duas horas em percurso muito acidentado).

Resta saber como os atletas ciclistas de off-road vão aceitá-la.


José Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de veículos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania. É editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de redação da revista Carga & Transporte.