Motociclistas estão sozinhos!

Hoje, certamente, somos muito mais de 15 milhões de brasileiros motociclistas e que votam. Apesar destes números impressionantes, não possuímos em lugar algum do Poder Público, um representante verdadeiramente nosso, que tenha saído do nosso meio e que foi posto lá, por nós, motociclistas, para ser um digno e legítimo representante da classe.

O resultado disto, senhores, é o que está se vendo e nos indigna. Quem manda e está no poder, faz o que quer com os motociclistas. Criam-se leis absurdas, estreitam faixas de rolamento, querem que usemos colete com “X”, tentam nos impedir para que não possamos andar com garupa ou que trafeguemos por determinadas vias de trânsito rápido, tentam nos obrigar a que tenhamos marcado em nosso capacete, a placa da nossa motocicleta e outras barbaridades. Agora surgiu a “maior idéia dos últimos tempos”: Cobrar pedágio de motocicleta em rodovias federais. A obrigação de manter e conservar rodovias é do Estado e é por isso que pagamos nossos impostos, altíssimos, por sinal. A incompetência dos governos em cumprir suas tarefas, faz criar a necessidade de a iniciativa privada participar disso, mas, não cobrando uma parte do que já pagamos para manter o aparato governamental em funcionamento, mas, novamente, da gente que faz este país funcionar.

A motocicleta, senhores, que fique aqui registrado, será o veículo do futuro. O único meio de transporte individual que possui característica apropriada para o trânsito urbano é a motocicleta. Veja-se a quantidade de veículos transitando com uma só pessoa. Imaginem todos, o exagero de combustível desperdiçado pelos veículos de quatro ou mais rodas, todos os dias nos grandiosos congestionamentos dos grandes centros urbanos brasileiros. Somem a tudo isso a ausência de espaço para estacionamento e o crescimento da frota de veículos, que já ultrapassa a marca de 2 milhões de veículos por ano.

O futuro, senhores, está aí e, em breve não haverá espaço para veículos nas vias públicas, que não se multiplicam na mesma intensidade que eles. O resultado será um caos ainda maior. Em breve quem possui veículo não poderá utilizá-lo todos os dias, surgirão novos impostos para quem quiser trafegar em determinados dias e locais e etc. A motocicleta será a grande aliada na solução de boa parte dos problemas que virão, ainda mais, com um controle mais acirrado da emissão de poluentes pelos veículos de duas rodas. Quem viver verá. Mas ao final de tudo isso, cabe uma observação. Os motociclistas brasileiros são, verdadeiramente, um elefante amarrado com um barbante: Eles não têm idéia da força que possuem, muito menos do poder que têm quando se unem com o mesmo objetivo. Precisamos muito de gente nossa, em todos os Poderes da nação brasileira, para a defesa dos nossos interesses.

Tá dito.