Marc Marquez, Repsol Honda Team

MotoGP™: notícias do padock

FORMA FÍSICA DE MÁRQUEZ MELHORA ANTES DO RETORNO A AUSTIN

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Márquez retorna ao palco da sua primeira vitória na categoria rainha, agora como Campeão do Mundo e favorito enquanto o seu corpo se recupera. Depois de ter fraturado a perna direita poucas semanas antes do início da temporada, Márquez correu de forma fantástica para superar Valentino Rossi em grande batalha pela vitória no Qatar e agora o jovem espanhol estará ainda mais forte para a viagem ao Texas.

Apesar da lesão não o ter prejudicado muito no Qatar, Márquez afirmou que com tantas curvas para a direita na pista de Losail estava tendo que compensar a fraqueza na perna com o braço direito, pelo que a recente parada de duas semanas e meia entre corridas foi vital para o jovem espanhol.

“Desde a primeira corrida que me tenho focado em fortalecer a perna e o corpo em preparação para a corrida deste fim-de-semana em Austin”, explicou Márquez. “Esta é uma das minhas pistas preferidas, fiz boa corrida aqui no ano passado e tenho boas recordações da minha primeira vitória no MotoGP. Vamos ter de esperar para ver como estão as coisas com as novas regras este ano, mas de toda forma vamos concentrar-nos no nosso trabalho. Felizmente, a maior parte das curvas mais duras são para a esquerda nesta pista, o que é mais fácil para a minha perna porque ainda não estou a 100%”.

O seu colega de equipe Dani Pedrosa, terceiro no Qatar, também vai tentar melhorar e lutar pela vitória em Austin, uma corrida em que no ano passado liderou as primeiras 12 voltas antes de ser ultrapassado por Márquez e terminar em segundo, dando à Repsol Honda a primeira dobradinha de 2013. Pedrosa acrescentou: “Tive uma boa semana de treino em casa e agora estou desejoso por chegar a Austin, ver a equipa e rodar numa pista de que gosto. Fiz boa corrida aqui no ano passado e agora temos de ver como funciona a moto este ano. Espero rodar bem e que sejamos recebidos com a atmosfera tradicional da América nesta nossa segunda visita a Austin.”

OS NÚMEROS DO GRANDE PRÊMIO RED BULL DAS AMÉRICAS

Uma seleção de fatos e números antes da segunda corrida do Campeonato do Mundo de MotoGP™ de 2014 no Circuito das Américas em Austin, Texas (EUA).

333 – O total combinado de vitórias em Grandes Prêmios dos pilotos que alinharam para a corrida de MotoGP no Qatar era de 333, um novo recorde para a maior reunião de pilotos vencedores em GPs na largada de uma corrida. O recorde anterior era de 332 vitórias e remontava ao grid do Grande Prêmio de Aragão de 2011.

262 – O segundo lugar de Valentino Rossi no Qatar estabeleceu novo recorde em termos de resultados nos pontos em corridas de Grandes Prêmios, com 262; o anterior detentor do recorde era Loris Capirossi com 261 resultados no pódio em 22 anos de carreira nos Grandes Prêmios.

250 – A vitória de Marc Márquez no Qatar foi a 250ª da Honda na categoria rainha dos Grandes Prêmios. A Honda é o primeiro construtor a atingir a marca; a Yamaha é o segundo número de vitórias com 201 triunfos em Grandes Prêmios da categoria rainha.

33 – Dominique Aegerter não terminou a corrida de Moto2™ no Qatar após 33 provas consecutivas marcando pontos. Antes disto, a última corrida em que ficou no zero foi quando terminou em 18º a primeira corrida de 2012, também no Qatar.

– No ano passado o melhor resultado de um piloto americano no primeiro Grande Prêmio das Américas foi o nono lugar de Nicky Hayden.

8 – As últimas oito corridas de MotoGP nos EUA foram ganhas por pilotos Honda. A última vez que a vitória no MotoGP foi conquistada por um piloto não Honda foi em 2010 quando Jorge Lorenzo levou venceu em Laguna Seca.

6 – No dia da corrida em Austin passam exatamente seis anos do dia em que Jorge Lorenzo venceu pela primeira vez uma corrida de MotoGP, em Portugal em 2008; a sua terceira corrida na categoria rainha.

6 – O sexto lugar de Sam Lowes na corrida de Moto2 do Qatar foi o melhor resultado por parte de um estreante britânico na categoria intermédia em 40 anos, desde que Peter McKinley terminou em sexto na corrida de 250cc no Isle of Man TT de 1974

0,586 segundos – Os primeiros seis pilotos a cruzar a meta na corrida de Moto3™ do Qatar ficaram separados por 0,586s. Só por uma vez em 65 anos de história da Moto3/125cc (em corridas disputadas até ao final) se assistiu a seis pilotos a cruzarem a linha de chegada com margem mais curta: foi na corrida italiana de 125cc de 2008, vencida por Simone Corsi e com os seis primeiros ficando separados por 0,490s.

COLIN EDWARDS ANUNCIA APOSENTADORIA APÓS 2014

Colin Edwards anuncia aposentadoria das pistas

Colin Edwards anuncia aposentadoria das pistas

O trio europeu do MotoGP™ Marc Márquez, Valentino Rossi e Bradley Smith contaram com a companhia dos americanos Nicky Hayden, Colin Edwards e Josh Herrin na coletiva de imprensa de pré-evento do Grande Prêmio Red Bull das Américas nesta quinta-feira, com Edwards aproveitando a oportunidade para anunciar a sua aposentadoria das pistas após o final de 2014.

Edwards compete a nível profissional há 22 anos e está no MotoGP™ desde 2003, contando com 12 pódios depois de ter entrado para o Mundial como Campeão do Mundo de Superbikes. O anúncio da aposentadoria levou o texano a brincar: “Mas ainda vou correr este ano!”.  Edwards, da NGM Forward Racing, explicou então: “Durante os testes deste ano vi que tinha de mudar o meu estilo de pilotagem e é contra o meu instinto correr de forma diferente, o que teve efeito. Quero passar mais tempo com a minha mulher e filhos e, é claro, quero agradecer à Yamaha e a todos os que me ajudaram na minha carreira”.

Vários os pilotos comentaram a aposentadoria de Colin, como Rossi que disser: “Fico muito triste com a notícia da saída do Colin, ele é um dos meus melhores amigos no paddock. Um tipo fantástico e um grande piloto”. Márquez comentou com um sorriso: “O Colin começou a correr no topo quando eu tinha apenas dois ano. Espero poder competir durante tanto tempo como ele e creio que pode estar mesmo orgulhoso da carreira que fez”. O compatriota de Edwards, Hayden, concluiu: “Sempre admirei a energia do Colin ao fim de tantos quilômetros e anos de competição. É uma pena perder um compatriota americano no esporte. Espero que leve as coisas na calma o resto do ano e que nos facilite a vida”.