Heber Pedrosa: “Minha moto nunca esteve tão boa".

Motovelocidade: Revelado o segredo da Spiga Racing

Heber Pedrosa: “Minha moto nunca esteve tão boa".

Heber Pedrosa: “Minha moto nunca esteve tão boa".

Vitoriosa na etapa de abertura do SuperBike Series Brasil, em Interlagos (SP), com o piloto Heber Pedrosa, a equipe Spiga Racing esteve perto de fazer dobradinha, não fosse a queda de Maycon Zandavalli na quinta volta da prova. Mesmo correndo com motos modelo 2008 e enfrentando equipes com motos 2011, a Spiga Racing conta com alguns segredos para surpreender os adversários nesta temporada. Quem revela as artimanhas para ir em busca do título é o chefe de equipe, Antonio Finardi, o Spiga.

Além de contar com jovens e promissores pilotos e uma equipe de mecânicos de primeira linha, a Spiga Racing está desenvolvendo peças de alta performance que são utilizadas tanto na moto de Pedrosa quanto na de Zandavalli. “Estamos fabricando peças exclusivamente para competição: sub-chassi dianteiro e traseiro, carenagem, guidão, pedal de marcha e outras peças em fibra de carbono”, revela Spiga.

A produção das peças, segundo Finardi, deu-se, em princípio, em função da burocracia para importação dos produtos. “Além disso, ao fabricar essas peças de alta performance, fomos beneficiados duplamente: primeiro, ganhamos agilidade no processo de substituição em caso de algum dano; e, em segundo lugar, diminuímos os custos, pois não precisamos gastar dinheiro importando tais peças” explica.

Em relação à aquisição de motos modelo 2011, Spiga disse que pode em breve fechar uma parceria com alguma montadora para ser fornecedor oficial das motos à equipe. “Conversamos com algumas fábricas, mas ainda estamos abertos à novos parceiros”. Quem não tem nada a reclamar, pelo contrário, só a elogiar é o paulista Heber Pedrosa. “Minha moto nunca esteve tão boa. A equipe está trabalhando nela dia após dia. Eu preciso evoluir tecnicamente para tirar 100% da moto, o que ainda não consegui na primeira etapa, mesmo vencendo” afirma Pedrosa.

Zandavalli
O outro piloto da Spiga Racing, Maycon Zandavalli, que se acidentou na primeira etapa do SuperBike Series e fraturou o fêmur, vem surpreendendo os médicos e já realiza trabalhos de fisioterapia. “A expectativa é de que ele volte na abertura do TNT Superbike, no dia 10 de abril”, projeta o chefe de equipe. Nesta segunda etapa do SBK Series, Zandavalli estará presente nos boxes. A Spiga Racing tem o patrocínio de Treetech e conta com o apoio Akrapovic.