O sonho

Minha mãe disse que a ligação era de uma concessionária de moto. Fui atender e a pessoa do outro lado da linha perguntou se eu tinha alguns minutos para conversar, disse que sim e ele começou a contar sobre um evento que realizariam dali a uma semana, para apresentar uma moto nova e mais algumas novidades.

Achei ótimo e perguntei por que fui convidado, ao que ele respondeu: o senhor está sem moto e é o momento de escolher uma nova opção. Mas como sou curioso, perguntei se não podia dar uma olhada antes na moto, ao menos no material promocional. Ele então indicou um site que seria apresentado no evento.

Lá estava ela, linda reluzente, com toda informação necessária, e mais, uma apresentação da campanha de propaganda, o filme que seria veiculado nas TVs, banners de sites e o material de merchandising que seria colocado nas lojas, pontos de vendas e eventos.

Fiquei extasiado com tudo aquilo, informação completa e era só aguardar o convite, que seria entregue pelo correio.

Recebido o convite, veio junto um pequeno vale para um sorteio no dia do lançamento, indicando uma ótima promoção para ser aproveitada com uma moto nova.

Quando percebi, estava chegando ao local do evento e fui recebido por umas moças lindíssimas, alguns representantes da concessionária que chamavam meu nome e indicavam um lugar demarcado numa mesa, para a apresentação da nova moto. Perguntei novamente a um deles como chegaram até meu nome e recebi a resposta: temos tudo sobre o senhor, seu gosto, seu tipo de moto, viagens que fez, levantamos todos os seus dados ligados ao motociclismo.

Puxa, pensei esses caras são bons mesmo!

Baixa a luz, som na caixa, uma névoa começa a tomar conta do ambiente, barulho de aceleração e de moto e…no palco, reluzente, aquela máquina maravilhosa, brilhando, linda!

Um apresentador pegou o microfone e começou a desfilar as qualidades da máquina, atributos, velocidade, potencia e muitas outras qualidades. Apresentou a estratégia de Marketing, campanhas, quem seria um “padrinho” daquela moto no Brasil, etc. Ao final, disse que iria sortear algumas vagas para um test drive numa pista de testes de uma fábrica de pneus e também o tal vale que recebi com o convite.

Quando estava tenso, torcendo para que meu número fosse sorteado… …..bi-bi-bi-bi, toca o radio-relogio e acordo desse sonho maravilhoso! Puxa vida, não era real!

Bem, muitos irão dizer, o cara viajou na maionese!

É verdade, quantas empresas desenvolvem planejamentos de Marketing como esse do meu sonho? Quantas empresas investem em Marketing e Comunicação com a pontaria tão ajustada, a ponto de levantar dados sobre os prováveis clientes?

E olhe que não é só para motos grandes. Ficar num ponto de ônibus ou metro com uma prancheta na mão, preenchendo questionários sobre gostos e preferências de prováveis usuários, vende moto à bessa! É só montar um questionário objetivo e rápido que se monta um cadastro excepcional!

Posso dizer que um dia na minha vida, em 1973, lancei no Rio de Janeiro, a linha completa das motos MVAgusta, com destaque para a 750 cilindradas, mais ou menos nesses moldes. Na época, vendemos o estoque e ainda o importador ficou devendo trazer mais.

Por isso, só não vende moto quem não quer. Imobilismo dá paralisia e isso pode se refletir num péssimo resultado de vendas.

Lembre-se: o mercado não aceita desaforo. Bobeou, dançou!