Representantes catarinenses em contagem regressiva para a final do Mundial de Motocross

Faltando três dias para a grande final do Campeonato Mundial de Motocross, o Honda GP Brasil, a ansiedade já toma conta dos pilotos que irão representar o Brasil na competição, no próximo final de semana, 12 e 13 de setembro, em Canelinha.

Os representantes de Santa Catarina, João Marronzinho Júnior (MX1) e Pipo Castro (MX2) já estão em contagem regressiva para correr ao lado dos melhores pilotos do mundo. -Estou bem ansioso, quero que o dia chegue logo, com chuva, ou sem chuva, estou contando os dias para o início das provas-, contou o tricampeão brasileiro de motocross, João Marronzinho Júnior.

O atual vice-campeão brasileiro das categorias MX1 e MX2 também não vê a hora de chegar em Canelinha. -Esse é um evento de grandes proporções. A expectativa é sempre a melhor, estou muito ansioso para disputar as provas-, disse.

A preparação dos dois representantes da casa para o mundial vem sendo forte para garantir bons resultados na competição. -Estou bem preparado, consegui um grande resultado no Campeonato Brasileiro nas duas principais categorias, a minha rotina de treinos continua a mesma e estou com uma ótima preparação física-, contou Pipo.

-Estou treinando bastante, praticamente todos os dias. Hoje, eu não treinei porque choveu muito, mas nos outros dias o treino foi forte para ir em busca de um bom resultado-, comentou Marronzinho.

Para os pilotos, a nova pista do motódromo Arthur Jachowicz será um desafio a mais para todos os competidores. -A nova pista está muito diferente do que estamos acostumados, mais larga e rápida, acredito que Canelinha terá disputas emocionantes dentro da nova pista-, afirmou Pipo.

Marronzinho teve a oportunidade de experimentar a nova pista na semana passada para a gravação de um programa de televisão e aprovou o novo traçado do motódromo Arthur Jachowicz. -Andei nela semana passada, ficou muito boa, nota 10. Será uma grande experiência poder correr nela ao lado de grandes pilotos-.

Para o tricampeão brasileiro, a disputa pelo mundial será mais pela diversão do que pela competição. -Há muito tempo que não faço uma corrida assim, por pura diversão, sem aquele compromisso com a vitória, talvez até esse sentimento de só diversão, ajude a conseguir um bom resultado para o país-, disse.