Scudeler alcança o heptacampeonato brasileiro

Scudeler alcança o heptacampeonato brasileiro

Scudeler alcança o heptacampeonato brasileiro

O paulista Gilson Scudeler comemorou de forma antecipada neste domingo (19) o heptacampeonato brasileiro de Motovelocidade – os três últimos na categoria Superbike, a principal da competição. Com a primeira bateria impecável, disputada no Autódromo Internacional de Cascavel (PR), o piloto confirmou a superioridade e somou uma vitória importante. Na segunda, mesmo sem precisar do primeiro lugar, ele acelerou forte e manteve a invencibilidade no campeonato. Até aqui foram dez baterias e dez vitórias. A competição segue até a sexta etapa em Interlagos (SP), no dia 15 de novembro.

1ª bateria – Uma verdadeira corrida de nervos e de resistência marcou o sétimo título de Scudeler. A primeira bateria do dia foi cheia de curvas apertadas e retas bastante disputadas. Danilo Andric largou na frente, mas logo foi superado por Scudeler. Os dois se alternaram na liderança por um bom tempo e deixaram o público empolgado, até Scudeler dominar a ponta. A dor ainda presente na recuperação após a cirurgia que sofreu no dedo mínimo da mão esquerda esta semana foi um grande obstáculo para o piloto. Mesmo assim, a vontade de vencer prevaleceu.

“Foi uma prova muito difícil. Eu estava sentindo muita dor no ombro, por conta da posição de pilotagem que estou tendo de praticar depois da cirurgia. Até pensei em desistir e chegar mais atrás. Porém, não queria ser campeão sem terminar com a vitória”, confessou Scudeler.

2ª bateria – Na seqüência, a segunda bater ia foi mais cansativa. Novamente, Andric saiu na frente buscando a recuperação. O adversário se manteve na ponta até ser pressionado por Pierre Chofard. O companheiro de Scud segurou a primeira posição até o final. Em terceiro lugar quase toda a corrida, Scudeler resolveu que era hora de ultrapassar. Acelerou mais rápido e dominou a ponta na reta final. “Eu estava muito desgastado. Achei que não iria sair com a vitória na segunda bateria. Quando vi que eles abriram uma brecha e que eu tinha condições fui para cima. Ser campeão com dez vitórias é muito bom. Ainda assim, vou tentar buscar mais duas em Interlagos.”

Para os outros dois pilotos do Team Scud, que conta com o patrocínio da Honda, o dia também foi de festa. Pierre Chofard e Robson Portaluppi largaram bem. Pierre seguiu em terceiro boa parte da primeira bateria e chegou a ultrapassar o segundo colocado Danilo Andric. Quase no final da prova teve um p roblema nos freios, cedeu lugar a Cidalgo Chinasso e terminou em quarto. Robson Portaluppi foi bastante regular e sustentou a quinta colocação o tempo todo, completando o pódio verde e branco.

A segunda bateria coroou o trabalho de Chofard, que sustentou o primeiro lugar e tinha grandes chances de subir ao lugar mais alto do pódio. Robson Portaluppi também fez uma boa prova e cruzou a linha de chegada em sexto lugar.

Chofard gostou do resultado da prova. “O segundo lugar na segunda bateria foi muito bom. Eu corri forte, fiquei na frente grande parte do tempo. No final senti a moto esquentar um pouco e achei melhor segurar, quando o Gilson passou. Vou seguir firme para a próxima etapa.”

“Para mim foi um grande resultado. Consegui fazer uma boa prova e somar pontos importantes. Quero fazer um bom trabalho até Interlagos para brigar pela terceira colocação”, disse Robson Portaluppi.

Histórico – A história de Scudeler na motovelocidade começou há tempos. Em 1987 ele levou para casa o primeiro título paulista na categoria 125cc. De lá para cá, não parou mais. Passou pela Europa e adquiriu experiência internacional. Atualmente é reconhecido como o maior piloto brasileiro da modalidade.

Resultados – Primeira bateria
1 – Gilson Scudeler (Honda CBR 1000RR)
2 – Danilo Andric
3 – Cidalgo Chinasso
4 – Pierre Chofard (Honda CBR 1000RR)
5 – Robson Portaluppi (Honda CBR 1000RR)

Segunda bateria
1 – Gilson Scudeler (Honda CBR 1000RR)
2 – Pierre Chofard (Honda CBR 1000RR)
3 – Danilo Andric
4 – Cidalgo Chinasso
5 – Murilo Colatrelli
6 – Robson Portaluppi (Honda CBR 1000RR)