Foto: Marcos M. Carmona

Test-Ride Kawasaki Z650: para encarar a concorrência

Com a chegada da Z650, moto que entrou no lugar da ER-6n e que você já conheceu aquia Kawasaki unifica sua linha naked com a assinatura “Z” no sobrenome. Além disso, coloca em todas elas o mesmo ingrediente do design denominado Sugomi, conceito que pode ser traduzido como a agressividade de um animal que está pronto para o bote. E isso acaba por dar à todas as motos da família uma mesma cara, com pequeno detalhes diferenciando-as e, claro, com os motores que a numeração do nome deixa claro.

Z650

Z650 entrou em linha para aposentar a ER-6n

Há quem possa entender que a Z650 é a evolução da aposentada ER-6n e isso é até justificável, pois de fato a Z650 tem como base a antiga moto. Mas ficou por aí, apenas a base. A Z650 é totalmente nova, construída sob um novo conceito, com outras características e design de outra família, ficando bem longe de ser apenas uma evolução da ER6. Pode-se dizer que é uma nova geração das naked médias da Kawasaki, que vem para embolar ainda mais a briga por este segmento onde há fortes concorrentes também equipadas com motores de dois cilindros, como a Yamaha MT-07 e a Honda CB 500F, para ficarmos apenas nas marcas japonesas.

O slogan do novo modelo poderia remeter à agressividade, à crueldade refinada, pois fica fácil perceber isso quando olhamos para ela. Com linhas marcantes e estilosas, a Kawasaki se preocupa com cada detalhe e, segundo a marca, o projeto dedicou-se em engenharia e design para carregarem o conceito Sugomi, que norteia o desenvolvimento das Kawasaki Z, família que agora está composta por Z300, Z650, Z800 e Z1000, em breve podendo passar a contar com a Z900, também.

A Z650 é uma moto completamente diferente da sua antecessora

A Z650 é uma moto completamente diferente da sua antecessora. Foto: Marcos M. Carmona

A Kawasaki Z650 é uma nova moto

A Z650 é montada sobre um chassi totalmente novo, em treliça, principal motivo pela redução de peso em relação à antiga ER6-n. A balança traseira mudou também e, embora tenha o mesmo formato, o fator que se destaca no componente é o material empregado – alumínio. Apenas estas duas mudanças foram responsáveis pela redução de incríveis 19 kg. Numa moto rápida e ágil, essa diferença resulta em grande avanço.

A Z650 utiliza um chassi novo, feito em treliça ele é o maior responsável pela redução de peso

A Z650 utiliza um chassi novo, feito em treliça ele é o maior responsável pela redução de peso

O motor também é outro. A Z650 perdeu 4 cv em relação à ER6-n e desenvole 68 cv a 8.000 rpm. Essa perde se deve aos catalizadores, responsáveis por minimizar a emissão de poluentes, atendendo ao Promot 4. No entanto, na prática essa perda de potência não é sentida e, embora tenha perdido potência, ela ganhou um pouco de torque, que agora é de 6,7 kgf.m 6.500 a rpm contra os 6,4 kgf.m.

O motor tem 2 cilindros paralelos, 8 válvulas e DOHC – duplo comando de válvulas no cabeçote. O mapa da ignição também é novo, assim como o eixo de comando, que sofreu alterações e foi adotado um cilindro do tipo “Open Deck”, que melhora o arrefecimento da moto. Com isso, não existe necessidade das aletas do motor, o que também ajudou na redução de peso da Z650.

Motor perdeu 4 cv por conta das adequações ao Promot 4

Motor perdeu 4 cv por conta das adequações ao Promot 4 – Foto: Marcos M. Carmona

As mudanças no motor tinham o objetivo de melhorar a faixa de rotação no uso urbano da moto, oferecendo uma subida de potência e torque lineares, sem degraus ou buracos. O câmbio, por sua vez, é macio e as trocas de marcha ocorrem de forma suave, bem escalonadas. A embreagem usada na Z650 é assistida e deslizante, que diminui os trancos nas reduções de marcha mais fortes.

O sistema de frenagem é eficiente, montado com um disco duplo em formato margarida de 300 mm de diâmetro assistido por um pistão duplo na roda dianteira e outro disco, também em formato margarida, com 220 mm e um pistão simples na roda traseira. Esse conjunto freia muito bem e passa total segurança nas frenagens.

A mudança na posição da pedaleira alterou a posição de pilotagem na Z650 - Foto: Marcos M. Carmona

A mudança na posição da pedaleira alterou a posição de pilotagem na Z650 – Foto: Marcos M. Carmona

O amortecedor lateral, marca registrada da ER-6n, não existe mais. Ele foi colocado em desuso e substituído por um amortecedor centralizado e com sistema de links. Quando a Kawasaki foi questionada sobre tal mudança, disse que o objetivo da moto é atender um uso urbano e levemente esportivo e esse tipo de amortecedor centralizado atende melhor ambos os casos. Além de ficar mais afastado do escapamento, ele não sofre o efeito de “fading”, que a perda de eficiência por efeito do calor.

A Z650 recebeu garfos dianteiros telescópicos de 41 mm e suspensão traseira horizontal do tipo Back-link. O comprimento total da moto diminuiu, mas manteve a mesma distância entre eixos. Coxins foram instalados para diminuir a vibração transmitida para o piloto através do guidão e assento, embora ainda seja possível sentir um pouco de vibração nos pés e no punho.

Em comparação à ER-6N, a Z650 é mais leve e ágil - Foto: Guto Felipe

Em comparação à ER-6N, a Z650 é mais leve e ágil – Foto: Guto Felipe

Como foi rodar com a Z650 no test-ride

No lançamento da Z650 tivemos a oportunidade de rodar cerca de 50 km, entre estradas vicinais, cheias de curva, além de trechos urbanos. Pudemos andar com os dois modelos (ER-6n e Z650), e assim ficou fácil perceber as diferenças e a clara evolução da nova moto. Assim que sentei na moto e engatei a primeira marcha ficou nítido que a Z650 é mais leve, mais ágil e oferece uma dirigibilidade melhor que sua antecessora. A posição de pilotagem também mudou, ficando mais relaxada com as pedaleiras colocadas mais à frente. A diminuição de altura do assento, que passou de 805 mm para 790 mm, melhorou a vida dos pilotos de menor estatura.

Foto: Marcos M. Carmona

O design remete ao conceito Sugomi, já conhecido nas outras motos da linha Z – Foto: Marcos M. Carmona

A Z650 tem um tanque de menor capacidade, com um litro a menos que a ER-6n, mas de acordo com a Kawasaki, a autonomia fica próxima entre as duas motos porque a Z650 ficou mais econômica. Nela, a entrega de torque e potência é mais linear, contribuindo com a economia de combustível e deixando-a mais amigável para o uso urbano. Essa nova Z650 já está disponível nas concessionárias Kawasaki desde o início de junho em três cores combinadas com o preto: Chumbo, Branco e Verde. Ah, o preço? R$ 32.990,00.

Posição de pilotagem ficou mais confortável - Foto: Guto Felipe

Posição de pilotagem ficou mais confortável – Foto: Guto Felipe

Ficha técnica Kawasaki Z650

MOTOR

Tipo 4 tempos, 2 cilindros paralelos, arrefecimento a líquido, DOHC, 8 válvulas
Cilindrada 649 cc
Diâmetro x curso 83,0 x 60,0 mm
Taxa de compressão 10,8:1
Potência máxima  68 CV / 8.000 rpm
Torque máximo 6,7 kgf.m / 6.500 rpm
Sistema de combustível Injeção eletrônica
Ignição Digital
Partida Elétrica
Lubrificação Lubrificação forçada (cárter semi-seco)

CHASSI

Tipo Treliça em tubos de aço
Pneu: Dianteiro 120/70ZR17M/C (58W)
Pneu: Traseiro 160/60ZR17M/C (69W)
Caster (rake) 24°
Trail 100 mm
Ângulo de esterçamento (Esq/Dir) 35° / 35°

DIMENSÕES

Comprimento total 2.055 mm
Largura total 775 mm
Altura total 1.080 mm
Entre eixos 1.410 mm
Altura mínima do solo 130 mm
Altura do assento 790 mm
Peso em ordem de marcha 187 kg
Capacidade do tanque 15 litros

TRANSMISSÃO

Câmbio 6 velocidades
Sistema de acionamento Corrente de transmissão
Relação de redução primária 2,095 (88/42)
Relações de marcha: 1a 2,438 (39/16)
Relações de marcha: 2a 1,714 (36/21)
Relações de marcha: 3a 1,333 (32/24)
Relações de marcha: 4a 1,111 (30/27)
Relações de marcha: 5a 0,966 (28/29)
Relações de marcha: 6a 0,852 (23/27)
Relação de redução final 3,067 (46/15)
Embreagem Multidisco, em banho de óleo

SUSPENSÃO

Dianteira:  Garfo telescópico de 41 mm
Traseira:  Horizontal Back-Link com pré-carga da mola ajustável
Curso da roda: Dianteiro 125 mm
Curso da roda: Traseiro 130 mm

FREIOS

Dianteiro: Tipo Disco duplo de 300 mm em formato margarida
Dianteiro: Pinça Pistão duplo
Traseiro: Tipo Disco simples de 220 mm em formato margarida
Traseiro: Pinça Pistão simples

Separador_2



Jan Terwak

Publicitário, curte motos desde que se conhece como gente, é piloto de motocross, enduro, cross-country e trilhas. Empresta sua experiência no off-road para as avaliações de motos no Motonline.